Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Videoconferência: técnicos da saúde debatem sobre Fóruns Perinatais

Videoconferência: técnicos da saúde debatem sobre Fóruns Perinatais

Para a região Norte, a transmissão será de 14 às 17h, horário de Brasília, na CGVS - Foto: Ascom/SesauA videoconferência motivada pelo Ministério da Saúde (MS) vai reunir técnicos e profissionais de saúde das cinco regiões do país, para debater em torno dos Fóruns Perinatais. A transmissão acontecerá dia 21, em dois horários distintos. Para a região Norte, Sudeste e Sul será de 14 às 17h, horário de Brasília. A transmissão em tempo real, em Roraima, acontecerá na Coordenação-Geral de Vigilância em Saúde (CGVS). Os convidados são integrantes do Grupo Condutor da Rede Cegonha e do Fórum Perinatal do Estado.

Os interessados em acompanhar o debate, que reunirá especialistas, podem acessar o site datasus.saude.gov.br. Para perguntas em tempo real, dúvidas, esclarecimentos e sugestões ficará disponível o e-mail videoconferencia.redecegonha@gmail.com. A iniciativa do MS, por meio da Coordenação-Geral de Saúde das Mulheres e da Política Nacional de Humanização, é apoiar a constituição de fóruns perinatais e colocar em análise a dinâmica de funcionamento dos já existentes.

Roraima já está com o Fórum Perinatal Estadual instituído e já está na quinta reunião. Os encontros dos membros acontecem bimestralmente. O Fórum roraimense é composto por gestores estaduais, municipais, representantes de organizações não-governamentais e sociedade civil organizada, com mais de 20 membros constituídos. Recentemente os membros debateram pontos em torno da ampliação dos testes do pezinho nos municípios. O acesso da população rural e indígena esquentou a discussão na última reunião. O encaminhamento que saiu é negociar com os distritos Sanitários um treinamento com profissionais de saúde, para que façam nas áreas de difícil acesso.

Segundo uma das integrantes do Fórum Perinatal, Valentina Vieira, com assento no Fórum pela gerência do Núcleo de Ações Programáticas de Saúde da Criança do Estado, o desafio hoje é conseguir organizar os fluxos nos municípios, de forma que a atenção à saúde seja integral.

Valentina acredita que debates, por meio de videoconferência, em tempo real, além de reduzir gastos em passagens, otimiza a atuação de todo mundo. “A ferramenta ajuda em tempo real trocar experiência com outros Estados, tirar dúvidas, além do Ministério manter certo monitoramento”, indagou.

Outra estratégia que tem sido um debate constante é as ações que possibilitem a realização completa do pré-natal, incluindo as sete consultas mínimas realizadas pelas gestantes, a criação de uma Comissão Executiva do Fórum Perinatal, o Monitoramento da Rede Cegonha, no que se refere ao componente pré-natal.

 

 

 

Deixe uma resposta