Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Saúde Itinerante fez quase 25 mil atendimentos nos municípios

Saúde Itinerante fez quase 25 mil atendimentos nos municípios

Treze municípios foram visitados pelo menos uma vez com a oferta de consultas e exames especializados - Foto: Ascom/SesauO Programa Saúde Itinerante, da Secretaria de Estado da Saúde de Roraima (Sesau), já realizou 24.526 atendimentos e procedimentos nos primeiros sete meses deste ano. Fora a capital, dos 14 municípios, 13 foram visitados pelo menos uma vez com a oferta de consultas e exames especializados. Até o fim do ano, a expectativa é concluir a segunda rodada de visitas a todos os municípios.

Entre as consultas ofertadas, foram 7.371 oftalmológicas, 2.069 ginecológicas, 342 endocrinológicas, 1.621 cardiológicas, 1.900 pediátricas, 1.908 dermatológicas, 266 ortopédicas, 1.385 urológicas, 262 otorrinolaringológicas e 1.977 na área de clínica geral. Também foram ofertados exames como ultrassonografias (2.267) e eletrocardiogramas (804).

A ideia do programa Saúde Itinerante, do Departamento de Políticas de Saúde Itinerante (DPSI) é garantir a assistência de saúde especializada à população do interior. No primeiro trimestre deste ano, 13 municípios receberam a primeira rodada de visitas. Na maioria deles, as visitas passam não apenas pela sede, mas também em até duas das principais vilas, que em alguns casos, ficam distantes da sede dos municípios.

Em junho, foi iniciada a segunda rodada de atendimentos. O último município pelo qual as equipes passaram foi Amajari, no último sábado, 19 de junho, com 701 atendimentos realizados. A maior demanda foi na área da oftalmologia, com 163 pacientes para consultas e entrega de óculos. Neste semestre, a ação também já passou por Pacaraima e São Luiz. Em agosto, é a vez dos municípios de Rorainópolis e Caracaraí receberem a ação.

O secretário de Saúde em exercício, Alysson Lins, destacou que a Saúde Itinerante é um complemento às ações executadas pela atenção básica, uma vez que muitos municípios apresentam dificuldade em oferecer atendimento especializado. “Isso reflete no sistema de saúde como um todo e facilita a vida dos pacientes, que não precisarão se deslocar até a capital”, pontuou.

Aliado a isso, ele pontuou que a Sesau vem trabalhando no fortalecimento da prestação dos serviços de saúde nos municípios do interior. Recentemente, as unidades de saúde nos municípios de Normandia, Bonfim e São Luiz passaram por melhorias. “Isso demonstra o comprometimento da gestão em buscar melhorias na assistência à saúde, e o interior do Estado é uma das prioridades”, acrescentou.

Conforme, o diretor do Departamento de Políticas de Saúde Itinerante (DPSI), Erich Volney Berger, as ações itinerantes fazem parte de um calendário de atividades programado para 2014, que pretende atender a cada ação, uma região diferente, e com isso garantir acesso à saúde aos que vivem em locais distantes. “A ideia é atender dois municípios por mês para que até o final de 2014, todos os municípios recebam a segunda visita”, enfatizou.

Embora o foco maior seja o interior do Estado, nem todas os atendimentos ocorreram fora da capital. Neste ano, o DPSI já realizou quatro ações, de fevereiro a maio deste ano, levando 1.853 atendimentos em complemento aos já oferecidos em unidades de saúde, além de entidades do Sistema S, instituições privadas e no sistema prisional, que já recebeu 354 atendimentos da Saúde Itinerante neste ano.

Consultas oftalmológicas

As consultas oftalmológicas representaram 30% do quantitativo de todas as ações e  41% das consultas especializadas nas ações da Saúde Itinerante. Na primeira visita, o paciente detectado com qualquer alteração na visão é encaminhado à ótica conveniada ao SUS, que acompanha a ação, para que sejam tiradas as medidas necessárias do paciente e feita a escolha da armação para a confecção dos óculos.

Após isso, a equipe do DPSI retorna às localidades para fazer a entrega aos pacientes contemplados. As Secretarias Municipais de Saúde têm os contatos de todos os pacientes atendidos com consulta oftalmológica e entram contato para informá-los sobre a entrega. Geralmente a população é convocada por meio das rádios comunitárias e carros de som nesses municípios.

Além das consultas com médicos de diversas especialidades e exames, a ação disponibiliza serviços e exames como: teste de glicemia, aferição de pressão, pesagem para as crianças e distribuição de material informativo. A Coordenação Geral de Regulação, Avaliação e Controle (CGRAC) também atua, de forma parceira, emitindo cartão SUS a quem não o possui e autorizando os pedidos de confecção de óculos, por meio da APAC (Autorização de Procedimentos Ambulatoriais).

 

 

 

Deixe uma resposta