Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Roraima é um dos quatro estados indicados para compor equipe técnica do Conass

Roraima é um dos quatro estados indicados para compor equipe técnica do Conass

Roraima é um dos estados que fará parte do processo de homologação dos sistemas de informações em saúde nos municípios - Foto: Ascom/SesauRoraima é um dos estados brasileiros indicados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), em conjunto com o Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (Conasems) a compor, a partir de agora, a Comissão Técnica responsável pelo processo de fortalecimento dos Sistemas de Informação nos estados e municípios, que possuem unidades credenciadas no SUS. Além de Roraima farão parte do grupo temático representantes de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

A inclusão de Roraima no processo de homologação dos sistemas de informação foi assegurada por meio da participação ativa do Núcleo Estadual dos Sistemas de Informações em Saúde, nas reuniões da Câmara Técnica de Informação e Informática, nos últimos três anos.

Conforme o gerente estadual do Núcleo de Sistemas de Informações em Saúde, José Vieira, a mudança atende portaria do Ministério da Saúde, que prevê a instalação e conclusão do processo de informação de forma ampla, eficaz e confiável. “A partir de agora, antes do Sistema de Informação ser implantado nos estados e municípios, com unidades credenciadas no SUS, os projetos deverão ser revisados e homologados pela comissão, ou seja, serão feitas reuniões onde serão discutidos e definidos, simultaneamente, todos os pontos importantes para a execução dos trabalhos e formulação do projeto e posterior homologação”, esclareceu.

Na prática, a partir agora, depois de coletadas as informações nas unidades da Rede de Atenção Básica e inseridas no sistema, os dados serão disponibilizados para o grupo que, através de questionários, durante 15 dias, fará o acompanhamento e verificação das informações para saber se o sistema está atendendo as necessidades das unidades, se possui dados que precisarão ser atualizados ou complementados e depois será feita uma reunião de avaliação para o processo de homologação do sistema.

Outra finalidade do grupo será avaliar se a atualização do sistema está de acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde, pois a partir de agora, já serão inseridos dados sobre notificação compulsória de HIV, óbito materno e óbito infantil, entre outros. “Com isso será possível ampliar o rol de informações disponíveis atualmente, por isso é fundamental que a alimentação do sistema seja feita da forma adequada”, complementou.

Para Vieira, a participação de Roraima de forma permanente é prova do reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelo Núcleo Estadual. “Essa escolha de Roraima, pelo CONASS, demonstra em primeiro lugar, o reconhecimento do trabalho desenvolvido no Estado nos últimos três anos, além de valorizar a participação ativa da Região Norte na Câmara Técnica de Informação e Informática, da qual faço parte. Além disso, na confiança depositada em nós, em relação ao processo de execução das tarefas, na medida em que temos apresentado um resultado na coleta e armazenamento das informações para o sistema de forma fidedigna e ágil”, acrescentou.

Sistema

O Sistema de Informação de Agravos de Notificação tem como objetivo coletar, transmitir e disseminar dados gerados rotineiramente pelo Sistema de Vigilância Epidemiológica das três esferas de governo, por intermédio de uma rede informatizada, para apoiar o processo de investigação e dar subsídios à análise das informações de vigilância epidemiológica das doenças de notificação compulsória. O Sinan foi implantado, de forma gradual, a partir de 1993, e conforme a Portaria n.º 073, de março de 1998, tornou-se obrigatória a alimentação regular da base de dados nacional pelos municípios.

O sistema que começou com a versão 1.0, atualmente atua na versão 5.0, ou seja, passa por uma evolução gradativa de aprimoramento tecnológico. “O Sinan é uma ferramenta de vigilância e monitoramento disponível para o registro todos os casos notificados pelo Ministério da Saúde, além de ser um espaço de avaliação das informações prestadas e de retrato para os governos municipal, estadual e federal. Por isso é fundamental que todo o processo, desde a coleta das informações até a conclusão do banco de dados seja feita de forma responsável e de acordo com o que preconiza o MS, e com isso seja alcançado cada vez mais um trabalho de excelência”, concluiu.

 

 

Deixe uma resposta