Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Reunião define ações de fiscalização durante período do defeso

Reunião define ações de fiscalização durante período do defeso

Fiscalização será intensificada em toda bacia hidrográfica de Roraima - Foto: Ascom-SFPA/RR

Fiscalização será intensificada em toda bacia hidrográfica de Roraima – Foto: Ascom-SFPA/RR

Para coibir a prática da pesca predatória durante o período do defeso em Roraima, a Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura em Roraima (SFPA/RR) promoveu na tarde de terça-feira, 17, uma reunião com vários órgãos de fiscalização. O objetivo foi definir medidas de fiscalização em toda bacia hidrográfica do estado.

O Superintendente da SFPA/RR, Fábio Machado, destacou durante a reunião que as fiscalizações devem ser intensificadas em todas as localidades e principalmente no município de Caracaraí. “Um dos lugares que nós temos mais preocupação é com a região do Baixo Rio Branco. É nesta época que muitas embarcações oriundas do amazonas vêm capturar nossos peixes e isso nós não podemos permitir”, pontuou.

Machado ressaltou ainda que é importante os órgãos trabalharem em conjunto. “Essa é a segunda reunião que realizamos esse mês e a superintendência tem procurado chamar todos os órgãos de fiscalização para que possamos alinhar as atividades, de forma que possamos atuar em conjunto e conseguir fiscalizar a maior parte do estado”, disse.

Em Roraima, mais de 6 mil pescadores cadastrados no Registro Geral da Pesca (RGP) devem interromper as atividades e só poderão voltar a pescar normalmente a partir do mês de julho. Quem descumprir as normas poderá ser penalizado pelos órgãos fiscalizadores, sofrer várias punições administrativas e ainda ter o material de pesca apreendido, podendo inclusive, a depender do flagrante, ser preso.

De acordo com o comandante da Companhia Independente de Policiamento Ambiental (CIPA), major Miguel Arcanjo, a população pode ajudar os órgãos ambientais denunciando. “As pessoas podem ligar principalmente para o número 190 da polícia militar, que automaticamente a Companhia Ambiental será acionada e os demais órgãos fiscalizadores também poderão atuar em conjunto para coibir qualquer tipo de irregularidade”, enfatizou.

Além da Superintendência da Pesca e Aquicultura, participaram também da reunião o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), a Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (FEMARH), bem como a Companhia Independente de Policiamento Ambiental (CIPA). Estiveram presentes ainda representantes da Secretaria Municipal de Gestão Ambiental e Assuntos Indígenas de Boa Vista (SMGA) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO).

Anderson Soares

 

Deixe uma resposta