Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Rede de Atenção Psicossocial: profissionais de Roraima passam por intercâmbio em Ouro Preto

Rede de Atenção Psicossocial: profissionais de Roraima passam por intercâmbio em Ouro Preto

Os técnicos de Roraima participam, em esquema de revezamento, do intercâmbio na área de Saúde Mental Infantojuvenil - Foto: InternetA Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) terá 20 profissionais em intercâmbio na cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais. Como a rede roraimense está em formação, esta será a oportunidade em que os participantes poderão trocar experiências a partir da convivência com outras realidades. Os técnicos de Roraima participam, em esquema de revezamento, do intercâmbio na área de Saúde Mental Infantojuvenil. A cada mês, dois profissionais são capacitados no município mineiro durante 30 dias. Dois técnicos já foram enviados no mês passado e outros dois irão no próximo dia 23 e assim sucessivamente, durante dez meses.

A ação faz parte de um projeto do Ministério da Saúde, por meio da Coordenação-Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas, que abriu uma chamada para seleção de projetos para Intercâmbio entre Experiências e Supervisão Clínico-Institucional. O regulamento permitia a participação de municípios como rede receptora – responsável pela capacitação dos profissionais – ou como rede em formação – como o caso de Roraima, que envia os profissionais para capacitação.

Durante o treinamento, os profissionais passam por cinco oficinas de atualização sobre o eixo de ação indicado, no caso, sobre a saúde mental infantojuvenil. Pelo edital, as redes selecionadas, como em formação, recebem financiamento de R$ 100 mil para materiais de consumo nos pontos de atenção da RAPS, materiais didáticos, incremento de pontos de acesso à internet e informatização da Rede para processos educativos; R$ 100 mil destinados a custeio de diárias e passagens dos profissionais que participarão do processo de formação na rede preceptora.

A diretora do Departamento Estadual da Saúde Mental, Lidiane Almeida, explicou que todas as unidades da RAPS do Estado, inclusive as que ainda serão instaladas, terão profissionais envolvidos no intercâmbio. “Além das oficinas, os profissionais terão a vivência do dia a dia da rede em Ouro Preto. Essa qualificação é de fundamental importância para que este profissional preste um serviço cada vez com mais qualidade”, disse.

Rede

Em relação à Política de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas que é materializada por meio dos componentes e pontos de atenção da RAPS, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) está consolidando o modelo assistencial no estado. Além disso, o Estado e o município de Boa Vista aderiram ao Programa Crack é Possível Vencer, em agosto de 2013. “Isto significa um conjunto de serviços planejados e vários que estão em implantação para a ampliação do acesso dos usuários e familiares no SUS”, disse.

A maioria dos serviços foi implantado em 2012 e com uma quantidade incipiente de profissionais com experiência em saúde mental, álcool e outras drogas. Recentemente, a Sesau realizou concurso público para os serviços da RAPS e foram lotados nos componentes de urgência, da atenção psicossocial e da atenção residencial de caráter transitório, totalizando mais 90 servidores das diferentes categorias profissionais, entre nível médio e superior sem experiência na área. Apesar das iniciativas de capacitação realizadas localmente, está é mais uma oportunidade para aprimoramento do processo dos trabalhos e desenvolvimento de habilidades técnicas e estratégias de cuidado coletivas.

Atualmente Roraima conta com 127 pontos de atenção psicossocial, entre Unidades Básicas de Saúde, equipes de Saúde da Família, Centro de Atenção Psicossocial – Caps I (municipal), Caps II (municipal) Caps III (estadual), Caps ad III (estadual) além de bases do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e leitos no Hospital Geral de Roraima (HGR).

 

 

 

Deixe uma resposta