Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Política | Profissionais da área tecnológica aguardam encaminho do PCCR a ALE-RR

Profissionais da área tecnológica aguardam encaminho do PCCR a ALE-RR

Wolney Costa, presidente do Senge-RR - Foto: Charles WellingtonO Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) dos profissionais da Área Tecnológica do Estado de Roraima, formada por engenheiros, arquitetos, médicos veterinários, técnicos industriais e agrícolas já se encontra em fase de adequação.

A informação foi prestada pelo presidente do Sindicato dos Engenheiros do Estado de Roraima (Senge-RR) e presidente da Comissão de Negociação (CONEPAT), Wolney Costa afirmando que no momento, o documento passa por alterações. “Após as modificações serem feitas, o PCCR será encaminhando para nós no sentido de analisarmos e ver se o documento corresponde com os anseios da categoria. Caso, seja aprovado pelos profissionais da Área Tecnológica é encaminhando para a Procuradoria Geral do Estado (Proge-RR). Caso não concordemos, encaminhamos novamente a matéria para a equipe técnica do Executivo para que a corrija”, explicou.

O sindicalista acredita que devido ao governador ter firmado compromisso com a categoria, até o final deste mês o Projeto de Lei do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração seja enviado, tramitado e aprovado pelos deputados estaduais na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), e consequentemente sancionado pelo governador do Estado, Chico Rodrigues (PSB). “É importante lembrar que temos até o final de junho para resolver essa questão, tendo em vista que com o período eleitoral será impossível que aprovemos o PCCR da Área Tecnológica. Mas acreditamos no bom interesse do Poder Executivo que é o de fazer com que tenhamos um Plano que supra as necessidades de todos os profissionais”, finaliza.  

Entenda o acordo

Ficou definido entre os profissionais da Área Tecnológica e o Poder Estadual que o Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração (PCCR) dos servidores seria aprovado ainda este ano e passaria valer a partir de janeiro de 2015, e um aumento salarial de R$ 1 mil para os profissionais de Nível Superior, R$ 600 para os de Nível Técnico e um valor proporcional entre os dois níveis para os Tecnólogos isso no salário base. Ficou proposto pelo governo que seriam disponibilizados equipamentos necessários para que os servidores tivessem melhores condições de trabalho, tanto na capital, quanto no interior. Foi definido ainda, o retorno às atividades de origem dos profissionais da Área Tecnológica que se encontram a disposição em outros órgãos.

Toda a negociação está sendo feita com base na situação econômica do Executivo.

 

 

 

Deixe uma resposta