Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Polícia | Proerd: Polícia Militar recebe recursos para investimentos no Programa

Proerd: Polícia Militar recebe recursos para investimentos no Programa

Reunião definiu investimentos no Proerd – Foto: Ascom/PM

A PMRR (Polícia Militar de Roraima) recebeu recursos R$ 200 mil para investimentos no PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas). A verba foi destinada à instituição por meio de uma emenda parlamentar do deputado federal Remídio Monai e será destinada ao reaparelhamento e ampliação do programa, tanto na capital quanto no interior do Estado.

A quantia vai possibilitar ainda a atualização do material didático utilizado em salas de aula. “Poderemos, por meio desta contribuição, aprimorar nossas atuações e descentralizar cada vez mais o programa, atendendo mais escolas, atingindo mais crianças, incentivando-as a agir de forma preventiva em relação às drogas”, explicou o comandante CIPCOM (Companhia Independente de Policiamento Comunitário), major Miguel Arcanjo.

A emenda parlamentar é uma parcela do orçamento destinada às áreas que os parlamentares julguem necessárias. “Quando encontramos uma instituição como a PM que é séria e está disposta a fazer um trabalho para prevenir um futuro problema maior, nos sensibilizamos e nos motivamos em contribuir com esta missão”, declarou Remídio Monai.

Proerd

O Proerd tem como base o programa Dare (Drug Abuse Resistance Education) que foi criado nos EUA (Estados Unidos da América) em 1989 e desenvolvido pelo departamento de polícia de Los Angeles. Em 1992 o programa foi implantado no Brasil pela Polícia Militar do Rio de Janeiro e em 2000 pela Polícia Militar de Roraima. Em 2002, todos os Estados Brasileiros passaram a ser contemplados.

As aulas são ministradas por policiais militares fardados e qualificados para a atividade. Durante o curso os alunos aprendem a evitar as drogas e a violência de forma consciente. O programa se fortalece ao integrar as famílias dos alunos, a comunidade escolar e a Polícia Militar.

Oscar Borges

 

Deixe uma resposta