Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Polícia Civil faz buscas para localizar suspeito de estupro em Mucajaí

Polícia Civil faz buscas para localizar suspeito de estupro em Mucajaí

Uma equipe da Polícia Civil realiza buscas para localizar o principal suspeito de um crime de estupro contra uma adolescente de 14 anos, ocorrido às 19 horas do dia 16 último, numa fenda entre as pedras em que ocorre a encenação da Paixão de Cristo, na cidade de Mucajaí. A delegada titular do município de Mucajaí, Ednéia Chagas, negou que tenha ocorrido na área urbana da cidade uma sequência de estupros como foi divulgado em um jornal local.

Segundo a delegada, ao longo de seis meses, o crime de estupro praticado contra a adolescente foi o único ocorrido na sede de Mucajaí que tenha sido registrado na Polícia Civil.

O crime, segundo ela, não ocorreu pela manhã como foi noticiado e sim às 19 horas do dia 16. O pai da vítima levou a adolescente à Delegacia para registrar o boletim de ocorrência e disse que a filha, de 14 anos, saiu de casa sozinha para ir à residência de uma amiga, quando foi abordada por um desconhecido, que lhe agarrou pelos cabelos e a agrediu no pescoço e a arrastou até a “pedra” onde ocorre a encenação da Paixão de Cristo.

“A vítima tentou se soltar, mas não conseguiu, pois o homem era mais forte e conseguiu levá-la até uma fenda entre as pedras e praticou o estupro. Esse foi o único caso registrado na sede de Mucajaí. Não é verdade que haja um maníaco à solta violentando várias adolescentes. Não é verdade que a vítima estava com uma amiga. Ela estava sozinha e o local em que ela foi atacada estava deserto. Também não é verdade que a Polícia não fez nada, como foi divulgado”, disse a delegada.

Chagas disse ainda que desde o momento em que o pai trouxe a adolescente para registrar o boletim de ocorrência, as investigações tiveram início imediatamente. Inclusive, disse a delegada, já há um suspeito que está sendo investigado e há diligência para localizá-lo e, assim, fazer um reconhecimento formal.

A delegada destacou ainda que já tem agendamento no Instituto de Identificação para elaboração de retrato falado, pois, de acordo com a vítima, ela tem condições de reconhecê-lo, uma vez que o acusado estava de rosto limpo.

“A preocupação nossa em primeiro momento sempre é com a vítima. Por conta disso foram tomadas todas as providências necessárias para que ela recebesse o atendimento médico e fosse submetida a perícia pela equipe do IML. Preliminarmente ela foi atendida no hospital de Mucajaí e posteriormente levada para o Núcleo da Maternidade, que oferece um atendimento padrão e personalizado para esse tipo de vítima”, disse.

A delegada disse ainda que as investigações estão em andamento, mas que não pode fornecer maiores detalhes para não comprometer a investigação, o que pode propiciar a fuga do suspeito de Roraima.

 

Deixe uma resposta