Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Interior | Polícia Civil apreende armase munições em Mucajaí

Polícia Civil apreende armase munições em Mucajaí

Armas apreendidas pela polícia - Foto: Dedson MachadoUm mandado de busca e apreensão em três residências do fazendeiro e empresário Jurandir Ribeiro de Melo, 62, está sendo cumprido desde as 6h, desta segunda-feira, 30, por agentes da Polícia Civil de Mucajaí. Três armas de fogo e munições foram apreendidas em duas propriedades do fazendeiro, que foi preso em flagrante por posse ilegal de armas e os trabalhos ainda estão em andamento.

A ação está sendo coordenada pela delegada titular de Mucajaí, Edneia Chagas e contou com o apoio do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (DPJI) e de policiais da delegacia do Cantá e Grupo de Resposta Tática (GRT).

Segundo a delegada, o mandado de busca e apreensão contempla todas as propriedades do fazendeiro, que são uma casa na sede de Mucajaí, uma fazenda na Vicinal II e outra na vicinal 14, ambas na região do Rouxinho.

A delegada explica que o mandado de busca judicial tem como principal alvo a apreensão de armas. A ação é em decorrência de uma investigação que já foi concluída, por posse irregular de arma de fogo, em que o fazendeiro Jurandir de Melo foi indiciado pelo crime.

Ao longo das investigações os policiais descobriram que além das  duas armas que havia sido apreendido anteriormente e que estavam com o registro vencido, o fazendeiro tinha ainda mais quatro armas de fogo registradas na Polícia Federal, sendo duas espingardas CBC calibre 20 e dois revólveres  calibre 38.

“Em interrogatório, o fazendeiro disse que havia perdido essas quatro armas, mas a Promotoria não se convenceu e determinou a busca e apreensão, que foi acatada pela Justiça”, esclarece a delegada.

Buscas

Na casa do fazendeiro, na sede de Mucajaí, os policiais encontraram na cozinha, dentro do fogão, um revólver calibre 38, com seis munições intactas. Foram apreendidos ainda outros apetrechos como coldres e carregadores. A arma não tinha registro, segundo informou a delegada.

Na fazenda localizada na Vicinal II, os policiais apreenderam uma espingarda calibre 20 e outra calibre 36. Foram apreendidas ainda 21 munições de calibre 20 e 11 munições de calibre 36 intactas. A arma calibre 36 não tem registro.

Os policiais, até às 14 horas de hoje não tinham retornado da fazenda localizada na Vicinal 14, do Rouxinho, uma região bastante afastada da sede de Mucajaí.

Prisão

A delegada esclareceu que por conta das armas encontradas nas propriedades do fazendeiro e que não têm registro ou os registros estão vencidos, foi dada voz de prisão a ele por crime de posse ilegal de arma de fogo. Como é um crime que cabe fiança, a delegada arbitrou fiança de dez salários mínimos, que foi paga pelo empresário. Ele vai responder ao procedimento em liberdade.

Homicídios

Ainda segundo a delegada Edneia Chagas, no dia 26 de maio de 2013, dois caseiros que trabalhavam na fazenda localizada na vicinal II, pertencente ao fazendeiro foram vítimas de latrocínio (matar para roubar) e são apontados como autores do crime Anderson Peres Bezerra, apelidado de “Canela” e Marcos Gomes Rosa, conhecido por “Bambu”.

Os dois homens foram contratados para trabalhar na fazenda e desde a prática do crime estão foragidos.

As vítimas Manoel Saraiva da Silva e Nilson Teixeira Albuquerque foram mortos a tiros e deles foram roubados roupas, dinheiro e telefones. As armas do crime nunca foram localizadas pela Polícia e elas são de calibre similares aos que os policiais fazem buscas para apreender.

 

 

 

 

Deixe uma resposta