Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Colunistas | Wilson Barbosa | Panorama Esportivo – por Wilson Barbosa

Panorama Esportivo – por Wilson Barbosa

Eliminou

Furacão buscou a virada nos minutos finais em um jogo emocionante – Martin Bernetti/AFP

O ano emocionante do Atlético Paranaense ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira. A equipe brasileira foi ao Chile e venceu a Universidade Católica por 3 a 2, se classificando para a próxima fase da Libertadores da América 2017. O resultado deixou o Furacão na segunda colocação do Grupo 4 e eliminou os chilenos, que ficaram em último. O Rubro-Negro estava bem na partida quando, aos 35 minutos, Santiago Silva recebeu na entrada da área e tocou de bico para abrir o placar. Na segunda etapa, aos 30 minutos, Carlos Alberto serviu Eduardo da Silva, que estou para as redes para deixar tudo igual. Douglas Coutinho, aos 37 minutos, decretou a virada. Mas, Noir, aos 39 minutos, empatou. Carlos Alberto, aos 41 minutos, entretanto, garantiu a vitória. Agora, a volta para o Brasil deve ser mais tranquila, já que a vitória encerrou um jejum de cinco partidas, incluindo a perda do título Estadual, um empate decepcionante na Copa do Brasil e uma goleada histórica sofrida na abertura do Campeonato Brasileiro. Tudo em um espaço de menos de 20 dias.

Pressionado
O Santos viveu uma típica noite de Libertadores nesta quarta-feira. Jogando na altitude de 3.660 metros de La Paz, na Bolívia, o Peixe foi pressionado desde o início pelo The Strongest, viu Bruno Henrique, seu melhor jogador, ser expulso no primeiro tempo e ainda saiu atrás no marcador. Porém, mesmo com todas as adversidades, o Peixe foi buscar o empate na segunda etapa, com Vitor Bueno, também presenciou Pablo Escobar tentando cavar e perdendo um pênalti no fim, e voltará para o Brasil nesta quinta com a classificação para as oitavas de final do torneio na bagagem. Com a igualdade, o alvinegro manteve-se na liderança do grupo 2, com nove pontos, e confirmou a vaga na próxima fase da Liberta. O The Strongest, por sua vez, ocupa a segunda colocação, com oito, e segue lutando pela classificação. Na última rodada da fase de grupos da competição, os santistas recebem o Sporting Cristal, na Vila Belmiro, na próxima terça-feira, às 21h45 (de Brasília). Já os bolivianos ‘jogam a vida’ contra o Santa Fe, no mesmo horário, em Bogotá. Quem vencer na Colômbia ficará com a outra vaga da chave.

Igualdade
O Palmeiras não foi brilhante, mas passou a depender de um empate para garantir a classificação às quartas de final da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, o time alviverde bateu o Internacional por 1 a 0 no Estádio Palestra Itália, situação que permite jogar a partida de volta por uma igualdade. O time dirigido pelo técnico Cuca, devidamente trajado de calça vinho, correu riscos no primeiro tempo, mas conseguiu sair na frente após um gol contra do colorado Léo Ortiz. Na etapa complementar, a equipe gaúcha voltou a ameaçar, mas foi incapaz de alcançar o empate. O jogo decisivo está marcado para as 21h45 (de Brasília) do próximo dia 31 de maio, no Beira-Rio. Os dois times voltam a campo às 19 horas de sábado. Pela Série A, o Palmeiras pega a Chapecoense, na Arena Condá. Pela Série B, o Inter encara o ABC, dentro de casa.

Derrotada
O sonho de voltar a conquistar a Libertadores acabou para o Flamengo. A equipe rubro-negra foi eliminada da competição ao ser derrotada pelo San Lorenzo, de virada, por 2 a 1, em partida disputada na noite desta quarta-feira, no estádio Nuevo Gasometro, em Buenos Aires. Com isso, sobra ao time de Zé Ricardo a Copa Sul-Americana. O time carioca encerrou a fase de grupos da Libertadores na terceira posição com nove pontos ganhos, sendo superado pelo próprio San Lorenzo e pelo Atlético-PR, que ficaram com as duas vagas do Grupo 4. O Flamengo saiu na frente com Rodinei, mas a equipe do Papa Francisco virou o marcador com gols de Angeleri e Belluschi. O resultado acabou fazendo justiça ao melhor desempenho do San Lorenzo, que partiu para buscar a vitória desde os primeiros minutos. O Flamengo conseguiu sair na frente, mas recuou para defender o resultado e acabou sofrendo grande pressão durante todo o segundo tempo. Os argentino não desistiram e acabaram sendo premiados pelo esforço.

Virada
No primeiro embate entre os tricolores gaúcho e carioca, melhor para o time do Sul. Nesta quarta-feira, o Grêmio venceu de virada o Fluminense pelo placar de 3 a 1, jogando dentro de casa. Os gols foram marcados por Arthur e Lucas Barrios, duas vezes, enquanto Renato Chaves fez para a equipe do Rio de Janeiro. Para o confronto, o técnico Renato Portaluppi fez apenas uma modificação em comparação ao time que venceu o Botafogo no final de semana, pelo Campeonato Brasileiro. Sem Marcelo Oliveira lesionado, o comandante colocou o lateral-esquerdo Bruno Cortez no lugar do jogador. Já o Fluminense não contou com o atacante Wellington, com dores no púbis, e com o equatoriano Orejuela, que ficou no Rio de Janeiro se recuperando de dores nas coxas. A partida de volta entre gaúchos e cariocas acontece no dia 31 de maio, desta vez no Rio de Janeiro. O Flu precisa vencer por 2 a 0 ou por três ou mais de vantagem para avançar diretamente. 3 a 1 para o time de Abel Braga leva aos pênaltis.

Qualificado
A Ilha do Retiro viveu uma noite de muita emoção e ferveu com o primeiro jogo da final da Copa do Nordeste na noite dessa quarta-feira. Sport e Bahia começaram a escrever a história de decisão desse ano pelos pés de seus ‘Juninhos’. Primeiro, o volante do Tricolor abriu o placar. Mas, no fim, o atacante talismã do Leão entrou para deixar tudo igual. O empate de 1 a 1 não é de todo ruim para o Bahia, que na próxima quarta entra em campo campeão na Fonte Nova, já que o gol qualificado é critério de desempate. Ao Sport resta vencer em Salvador ou conseguir algum empate a partir do 2 a 2 para ficar com o título. O Sport entrou em campo sem Henríquez, Mena, Leandro Pereira, Ronaldo Alves, Rithely e Evandro. Por outro lado, o Bahia não pôde contar com Armero, Edson, Régis, Jackson, Wellington Silva, Yuri e Hernane. Apesar dos muitos desfalques, não faltou emoção e bom futebol na Ilha do Retino. Guto Ferreira surpreendeu na escalação do Tricolor ao colocar Matheus Sales no lugar de Regis entre os titulares e, assim, mandar a campo uma equipe mais precavida, com três volantes. E essa postura foi fundamental para segurar o ímpeto inicial do time da casa.

Precoce
A queda precoce do Flamengo na Copa Libertadores foi celebrada no Estádio Palestra Itália durante a noite desta quarta-feira. Já o técnico Cuca prefere ver a inesperada eliminação dos rubro-negros como um alerta para o próprio Palmeiras no torneio continental. No primeiro jogo pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o time alviverde ganhou por 1 a 0 do Internacional, conquistando a vantagem do empate para avançar às quartas. Assim que o jogo acabou, o sistema de som da arena informou a derrota do Flamengo diante do San Lorenzo de forma provocativa: “Cheirinho no ar”. Com o revés por 2 a 1 na Argentina e a vitória do Atlético-PR por 3 a 2 sobre a Universidad Católica, o Flamengo acabou eliminado. Enquanto torcedores festejaram o fracasso do time rubro-negro, rival na briga pelo Campeonato Brasileiro 2016, Cuca adotou tom mais sério. “É futebol e tudo pode acontecer”, afirmou, lembrando a recente eliminação do Palmeiras diante da Ponte Preta na semifinal do Campeonato Paulista, sob o comando de Eduardo Baptista. “Não precisa pegar os outros como exemplo. Há pouco tempo, o Palmeiras teve um dia ruim e também ficou fora”, recordou Cuca.

Cauteloso
Às 21h45 (de Brasília) da próxima quarta-feira, em seu último compromisso na primeira fase da Copa Libertadores, o Palmeiras pode até perder por um gol de diferença do Atlético Tucumán para avançar às oitavas. Cauteloso, o treinador não se anima com o cenário teoricamente favorável. “Se a gente perde por dois gols, podemos ficar fora. Na Libertadores, é importante jogar bem e vencer para terminar na liderança da chave”, afirmou Cuca. “Pela grandeza, times como Flamengo, Palmeiras, Santos e Grêmio sempre têm a pressão de passar da fase de grupos. Mas o torneio não diz que o menor vai sair e o maior vai passar”, declarou. Antes de pensar na Copa Libertadores, o Palmeiras volta suas atenções ao Campeonato Brasileiro. Às 19 horas (de Brasília) deste sábado, com uma escalação alternativa em função do desgaste do elenco, o time dirigido por Cuca enfrenta a Chapecoense, na Arena Condá.

Cansaço
O meia Rodriguinho vive seu melhor momento na carreira, segundo ele próprio, e hoje é um dos melhores jogadores do Corinthians, atual campeão paulista. O atleta, porém, não conseguiu desempenhar algumas funções que vinha fazendo no clube e vinha até demonstrando cansaço excessivo por conta de problemas físicos, agora parte do passado. Há cerca de um mês, o armador admitiu que não reunia suas melhores condições físicas devido a dores no joelho esquerdo, que praticamente o impediam de treinar. O incômodo foi apontado, inclusive, como um dos motivos para ele não bater o pênalti na disputa contra o Internacional, pela Copa do Brasil, associado a câimbras derivadas do condicionamento abaixo do ideal. “Olha, esse tempo com mais treino ajudou bastante, eu tratei bem, fortaleci. Está bem tranquilo. Está normal, para ser sincero”, assegurou o armador. O tempo ao qual ele se refere se deu entre o segundo jogo da semifinal do Campeonato Paulista, contra o São Paulo, e a estreia no Campeonato Brasileiro, frente à Chapecoense, período no qual ele jogou três jogos em 20 dias.

Abatido
O técnico Zé Ricardo demorou a aparecer na sala de entrevistas após a eliminação do Flamengo na Copa Libertadores da América. O comandante rubro-negro admitiu que o sentimento de frustração era muito grande, mas reconheceu que o time não produziu bem no segundo tempo e acabou não suportando a pressão do San Lorenzo. “Infelizmente, o resultado no outro jogo, que poderia nos classificar, não aconteceu. Hoje é um dia difícil para todos nós”, comentou o abatido treinador depois do revés por 2 a 1. Zé Ricardo explicou que o fato de o Flamengo não conseguir pontuar fora de casa na competição foi o grande motivo pelo qual a equipe acabou eliminada. Foram três derrotas que acabaram influenciando no resultado final. Para o técnico, o momento é de esquecer a derrota e pensar no futuro. “Temos que levantar a cabeça e, no sábado, já pensar no próximo adversário pelo Campeonato Brasileiro”. O técnico da equipe da Gávea comentou ainda que não pode responsabilizar os jogadores pelo fracasso. Em sua avaliação, Zé Ricardo entende que o time fez um bom primeiro tempo, mas acabou caindo de rendimento da etapa final, e admitiu que às vezes as substituições não funcionam como se espera. “A gente não quer caça às bruxas no nosso plantel. Isso não é o que vai acontecer enquanto eu estiver aqui”, avisou.

Desabafo
A entrevista de Paulo Autuori após a classificação do Atlético Paranaense para a próxima fase da Libertadores da América conquista com a vitória de virada por 3 a 2 sobre a Universidad Católica se transformou em desabafo. Pressionado após a sequência de resultados ruins do time e a possibilidade de cair na competição que é o principal objetivo do clube no ano, o técnico, que desta vez fez três substituições certeiras, não poupou palavras, especialmente à imprensa. “Vou dedicar essa vitória aos oportunistas de plantão da mídia. Aos plantadores de notícias falsas”, disse o treinador, que garante se importar mesmo apenas com a opinião interna e as lições que o grupo aprende. “Que continuem a duvidar. Que duvidem de tudo, até deles mesmo. Nós não. Sabemos o que fazemos. Vivemos entre alegrias e tristeza, vitórias e derrotas. Temos que saber conviver, ter o equilíbrio necessário para saber conviver com situações opostas. É mais uma oportunidade para o grupo crescer bastante e valorizar a força que tem”, completou.

Filosofia
O comandante rubro-negro continuo seu desabafo ao afirmar que o clube hoje está se diferenciando dos demais por sua filosofia e a virada em campo e na classificação é algo que acontece também na vida. “O Atlético é um time e luta contra os paradigmas, contra os clichês estabelecidos. Não tenho mais saco para essa mesmice do futebol. Se ganha está bom, se perde inventam histórias. Estávamos com tudo aberto antes do San Lorenzo e virou tudo para nós. E, infelizmente, hoje virou para o Flamengo. Futebol é vida. Não fica alheio da realidade do que se passa na rua”, filosofou. Autuori destacou a força de reação de seu grupo e, mais do que títulos, almeja colocar o próprio Atlético em outro patamar. “Libertadores é uma competição difícil de ser disputada. Participei com dois grupos vitoriosos. E espero que esse grupo ganhe essa mentalidade vitoriosa. Temos que preparar a equipe para uma temporada. São momentos que se passam. Alguns grupos conseguem sair, outros, não. Esse mostrou que tem capacidade para ultrapassar os obstáculos. Queremos entrar nesse rol de equipes com tradição. Temos estrutura, organização, agora temos que transformar isso em resultados”, concluiu.

Dependendo
A Chapecoense segue viva no grupo 7 da Libertadores. A equipe foi à Argentina nesta quarta-feira e venceu o Lanús por 2 a 1, mantendo vivas as chances de classificação. Os gols foram de Wellington Paulista e Luiz Otávio. Sand fez para os argentinos. Com o resultado, a equipe de Vagner Mancini foi a sete pontos, dependendo apenas de si para avançar às oitavas. O Lanús, também com sete, está na briga por um lugar na próxima fase. Na última rodada da chave, a Chapecoense recebe o Zulia-VEN, na próxima terça-feira, às 19h30 (de Brasília). No mesmo horário, o Lanús vai ao Uruguai encarar o Nacional, em confronto direto pela liderança da chave. Já com o jogo entrando nos minutos finais, o Lanús voltou a ter boas chances. Aos 30, Sand saiu na cara de Jandrei, mas o arqueiro fez bela defesa. Aos 33, na pressão dos argentinos, Wellington Paulista tocou com a mão na bola, dentro da área, fazendo o pênalti. Na cobrança, Sand empatou. Porém, quando parecia que o empate não sairia do marcador, os brasileiros chegaram ao gol. Aos 43, Reinaldo cobrou lateral direto para a área, e o zagueiro Luiz Otávio acertou a cabeçada: 2 a 1, placar que se manteve até o fim.

Insatisfeito
Além de insatisfeito com a arbitragem, o técnico Abel Braga classificou como exagerada a diferença a favor do Grêmio no jogo desta quarta-feira, em Porto Alegre. Na entrevista coletiva logo após a derrota por 3 a 1, o técnico do Tricolor das Laranjeiras opinou dizendo que a diferença de um gol a favor do time da casa seria um resultado mais justo pelo futebol apresentado pelas duas equipes. Mesmo assim, Abel acredita que o Fluminense tem condições de conseguir uma vitória expressiva e a vaga no jogo da volta, no Maracanã. “Ainda não está acabado, não. Vamos fazer de tudo para virar”, avisou. Para o treinador, o time poderia ter agredido mais depois de sair na frente, mas cometeu muitos erros de passe e permitiu que o adversário crescesse. O comandante do Fluminense disse que os gols do Grêmio aconteceram em falhas que normalmente o time não comete. “Voltamos bem para o segundo tempo. Erramos. Sofremos gol no primeiro poste. A vitória foi justa, mas três foi um pouco exagerado”, observou.

Injusto
A direção colorada achou a derrota de 1 a 0 para o Palmeiras, na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil, um resultado injusto. Após o jogo, o vice-presidente de futebol do Internacional, Roberto Melo, afirmou que o colorado atuou de forma parelha contra os paulistas. “Fizemos um jogo de igual para igual contra uma grande equipe que jogou em casa com o estádio cheio”, avaliou Melo. O dirigente do clube elogiou o elenco palmeirense e contou que faltou sorte aos jogadores do Internacional. “Eles têm o melhor plantel do Brasil. Acho que merecíamos o empate, mas nem sempre o resultado representa o que o time jogou. Merecíamos uma sorte melhor”, afirmou o dirigente. O Internacional retoma o foco para a Série B. No sábado, às 19h (de Brasília), o clube enfrenta o ABC, de Natal, para tentar manter a invencibilidade e a liderança do torneio. Nesta quinta-feira, o grupo colorado se reapresenta no Centro de Treinamentos Parque Gigante.

Desfavorável
A vitória de virada por 3 a 1 em cima do Fluminense, resultou em elogios para os atletas gremistas pelo comandante Renato Portaluppi. O técnico parabenizou os jogadores e destacou que reverter um placar desfavorável na Copa do Brasil é complicado. “Eu dei os parabéns ao meu grupo. No balanço do jogo, eles jogaram muita bola a partir dos 20 minutos do primeiro tempo. Não é nada fácil virar para 3 a 1 num time como o Fluminense, que é muito bom, muito bem treinado”, avaliou o treinador. Para Renato, o Grêmio possui um grupo forte e destacou que muitos atletas estão lesionados e mesmo assim o time vem jogando bem. “No meu time é o jogador que se escala, não é o treinador. Treinando bem e atuando bem. Nós temos um grupo bom, um grupo muito forte, tanto que temos vários jogadores importantes no Departamento Médico. Nós temos ali 40% da equipe que foi campeã ano passado e mesmo assim continuamos jogando em alto nível. Isso que é importante”, ressaltou. O elenco gremista se reapresenta na tarde desta quinta-feira no Centro de Treinamentos Luiz Carvalho. Na sexta-feira, o time viaja para Curitiba onde encara o Atlético Paranaense, domingo, às 16h (de Brasília), na Arena da Baixada, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Altitude
Muito criticado pela torcida desde o início do ano, Vitor Bueno foi o autor do gol que garantiu o Santos nas oitavas de final da Libertadores. Mesmo com um a menos desde o início do jogo e enfrentando a altitude de 3.660 metros de La Paz, o camisa 7 ajudou o Peixe a empatar com o The Strongest em 1 a 1 e voltar ao Brasil com a vaga na bagagem. Herói na Bolívia, Bueno admitiu que o alvinegro sentiu bastante os problemas do ar rarefeito e ainda criticou a atuação do árbitro Dario Herrera, que expulsou o santista Bruno Henrique aos 22 minutos do primeiro tempo. “Senti bastante a altitude, todos sentiram. Antes do jogo dissemos que seria jogo de superação, ainda mais com expulsão injusta. Esperamos ao máximo a equipe deles e conseguimos sair no contra-ataque para matar o jogo. Agradecemos ao torcedor que veio”, disse o camisa 7 na saída do gramado.

Ofensivas
O meio-campista Cícero tem atuado como volante na maioria dos jogos do São Paulo nesta temporada, em que a equipe encontra dificuldades para equilibrar ações ofensivas e defensivas. O atleta, porém, não credita a fragilidade da zaga à sua atuação. “Estou adaptado a jogar como volante. Os gols sofridos são uma questão coletiva. Quando se toma um gol, começa de trás para frente. Se não marcar direito desde o ataque, estoura lá atrás. Quando um time é forte, tem que pensar como time, como grupo. Messi e Cristiano Ronaldo têm suporte, sozinho, ninguém é melhor do mundo. Temos que melhorar para não sermos surpreendidos no Campeonato Brasileiro”, disse o atleta. O São Paulo volta a campo apenas na próxima segunda-feira, às 20h (de Brasília), quando encara o Avaí, no Estádio do Morumbi. No sábado seguinte (27), o duelo será contra o Palmeiras, às 16h, também no estádio tricolor. O Campeonato Brasileiro é a única competição da equipe no restante da temporada, já que o clube foi eliminado precocemente da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana.

Chateado
Jogador mais experiente do elenco do Flamengo com 38 anos, o zagueiro Juan atuou por alguns minutos na derrota de 2 a 1 para o San Lorenzo, na Argentina. Assim como os companheiros, o defensor mostrou-se muito chateado com a eliminação precoce no torneio sul-americano. Ele considera que o Rubro-Negro foi muito mal em Buenos Aires. “É um momento triste. Queríamos muito passar e buscar algo maior nessa Libertadores. Não ocorreu como estávamos pensando, foi o nosso pior jogo na Libertadores” disse o zagueiro, que pediu cabeça erguida no próximo compromisso do Flamengo, contra o Atlético-GO, sábado, pelo Brasileiro. “Fomos penalizados no último minuto da partida. Todos estão tristes, tem que ser assim. Temos que voltar a ganhar e jogar bem no sábado. Vamos seguir de cabeça erguida para voltar (à Libertadores) no ano que vem”- comentou o zagueiro.

Dramática
A eliminação dramática do Flamengo na Libertadores mal foi digerida pelo clube carioca e as especulações de saída já começaram. Segundo o jornal peruano Líbero, o alvo do mercado é o atacante Guerrero. De acordo com a publicação, o Boca Juniors quer levar o camisa 9 rubro-negro “com força” e pretende oferecer 5 milhões de dólares (R$ 15,6 milhões) ao Flamengo para contratar o jogador peruano. O Boca conta com a venda do atacante Darío Benedetto para o futebol americano como forma de levantar o dinheiro necessário para contratar Guerrero. O interesse do Boca Juniors pelo atacante do Flamengo não é novidade: desde a chegada de Guerrero no clube da Gávea, em 2015, o jogador recebeu diversas ofertas do mercado internacional, incluindo o clube da capital argentina, mas nada se concretizou.

Ambiente
O técnico Ney Franco, após o empate contra o Bahia, na primeira final da Copa do Nordeste, nesta quarta-feira, admitiu frustração. Para ele, dentro de casa, a torcida, os jogadores e ele próprio esperavam um resultado melhor. “Sabemos que nosso torcedor sai daqui da Ilha frustrado. Criou-se um ambiente muito bom, fizeram uma festa muito grande para que a gente entrasse em campo e não conseguimos a vitória”. De acordo com Ney, porém, a situação está longe de ser resolvida. Mesmo fora de casa, o comandante acredita que Leão tem chances de ganhar o tetra na Copa do Nordeste. “A certeza que eu tenho é que temos condições de jogar e ganhar o título. Acho que vai ser mais um jogo equilibrado, forte, difícil, mas temos plenas condições de buscar o resultado lá” garantiu. O técnico considerou a partida equilibrada. E decidida nos detalhes. “Como a partida aconteceu, a gente viu que ela se encaminhava para ser decidida nos detalhes, o que de fato aconteceu. Nós tomamos um logo na hora da substituição, em que Juninho entrou frio, não encaixou na marcação pelo lado direito, e o adversário aproveitou. Mas, depois, esse mesmo atleta fez o que a gente esperava e empatou, com faro de gol”.

Irritação
Após a frustrante eliminação do Flamengo na fase de grupos da Libertadores na noite desta quarta-feira, o presidente Eduardo Bandeira de Mello não driblou a imprensa em Buenos Aires. Parou e falou. Num misto de abatimento e irritação, garantiu que o trabalho do departamento de futebol não será interrompido após o ocorrido diante do San Lorenzo – virada no último minuto: 2 a 1. E, em meio ao clima de frustração geral, Bandeira ainda mostrou preocupação no campo virtual: citou que falsos rubro-negros estariam comemorando no Twitter e se irritou com questionamento de repórteres. O presidente também aproveitou para atacar quem classificou como ”falsos rubro-negros” que, segundo Bandeira, estariam comemorando a derrota do time nas redes sociais. Quem está comemorando nossa derrota, parabéns, mas estamos continuar nosso trabalho. Ninguém espere notícias em cima disso, o trabalho continua. A coisa vai continuar. Sei que algumas pessoas devem estar comemorando aí no Twitter, falsos rubro-negros que estão sempre torcendo contra” disparou, sem citar nomes. O Flamengo retorna ao Rio de Janeiro na manhã desta quinta-feira. No sábado, enfrenta o Atlético-GO, em Goiânia, pelo Campeonato Brasileiro.

Xingamentos
O clima não anda bom para o técnico Ney Franco na Ilha do Retiro. No último jogo, a insatisfação da torcida do Sport ficou clara no segundo tempo do duelo contra o Bahia, pela final do Nordestão. Sobretudo após a substituição que o treinador fez, colocando Juninho no lugar de Everton Felipe. As arquibancadas rubro-negras irromperam em vaias e xingamentos ao comandante. Ele, porém, minimiza as manifestações. “A torcida que vaia é a mesma que aplaude. Se voltarmos da Bahia com o título na quarta-feira, os mesmos torcedores que estão xingando vão elogiar. A reação negativa não é só com Ney Franco. Qualquer treinador no Brasil por isso. Eu venho trabalhar para com tranquilidade, estou calejado com essa situação”. Técnico profissional há cerca de 13 anos, o comandante afirma que a pressão da torcida não muda sua rotina de trabalho. Ney ainda afirmou que compreende a reação da torcida, mas defende seu trabalho à frente do Sport. “A gente não está tendo folga. Estamos trabalhando segunda a segunda. Estou há dois meses no Sport praticamente sem folga. E remontando a equipe de um jogo para o outro, com lesão, suspensão, sem treinamento. Mas o torcedor não entende isso. A gente compreende a reação. Eles pagam ingresso e podem ficar à vontade de ter a manifestação que quiseram com treinador”. Nesta temporada, Ney conseguiu todos objetivos que enfrentou. Classificou o Sport à final da Copa do Nordeste e do Pernambucano, passou para a segunda fase da Sul-Americana e está nas oitavas da Copa do Brasil.

Zagueiro
O São Paulo continua dando voz aos seus líderes no mau momento que passa na temporada. Depois do novo capitão Lucas Pratto, de Rodrigo Caio e Jucilei, além de Cícero, para explicar o “caso prancheta”, foi o zagueiro Lugano quem deu entrevista na manhã desta quinta-feira, antes do treino da equipe no CT da Barra Funda. Mesmo com poucos minutos em campo na temporada, o uruguaio, ídolo da torcida por sua passagem vitoriosa entre 2003 e 2006, elogiou o técnico Rogério Ceni, que recebeu críticas depois das eliminações na Copa do Brasil, no Paulistão e, principalmente, na Copa Sul-Americana. “Todo mundo aqui dentro conhece o Rogério. Ele tem uma metodologia de trabalho moderna, é exigente com os jogadores. É honesto, frontal, o que era como jogador, um cara que mesmo na hora ruim protege o atleta. De repente, valoriza-se treinadores que colocam jogadores para escanteio. O Rogério tem muitas qualidades” disse o zagueiro, que comparou a presença do técnico, maior vencedor da história tricolor, à do ex-meia Diego Maradona quando treinou a seleção da Argentina.

Desclassificação
Autor do gol da vitória da Chapecoense por 2 a 1 sobre o Lanús, na noite desta quarta-feira, o zagueiro Luiz Otávio pode ser o pivô de uma suspensão e desclassificação dos catarinenses na Taça Libertadores. Isso porque a Conmebol comunicou minutos antes do jogo que o defensor não poderia atuar diante dos argentinos. A Instituição afirma que o camisa 21 teria que cumprir suspensão por ter sido expulso contra o Nacional, na quarta rodada. Os brasileiros, porém, argumentam que ele já cumpriu pena na final da Recopa Sul-Americana. A Chape diz ainda que sequer foi notificada da suspensão pela CBF. Naquela mesma partida, há três semanas, a Chapecoense também teve Rossi expulso. A dupla cumpriu suspensão na Recopa, mas só o atacante está ‘quite’ com a Conmebol. Ela alega que Luiz Otávio recebeu três jogos de suspensão e, portanto, teria que cumprir mais dois, contando com o desta quarta-feira.

Tranquilos
“O jogador que entrou em campo estava dentro do regulamento. Nós não temos nada a declarar além disso, além da nossa convicção. Estamos tranquilos. O que mais importa para nós é termos jogado, vencido e estar conscientes da nossa responsabilidade diante do nosso torcedor e do futebol brasileiro. Defendemos aqui o futebol brasileiro. Não houve aviso oficial em nenhum momento” disse Plinio David De Nes Filho, presidente da Chapecoense. “Temos provas disso. Tanto é que estamos tranquilos por essa razão. A decisão foi minha, como presidente do clube, de entrar em campo com os jogadores que estavam programados para jogar. Dois minutos antes recebemos um aviso e que nos foi dado sem nenhuma legalidade maior, a não ser verbal” completou o mandatário da Chape, em coletiva após o jogo.

Permanência
O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, mostrou-se irritado após a eliminação do time carioca na Libertadores, na noite desta quarta-feira, na Argentina. O mandatário rubro-negro discutiu com um jornalista que o questionou e garantiu a permanência de Zé Ricardo. “A avaliação do trabalho do Zé Ricardo é positiva, independentemente do resultado de hoje. Ele tem a nossa total confiança e vai continuar. Infelizmente, aconteceu. Mas vamos levantar a cabeça e seguir trabalhando. Sei que algumas pessoas já estão no Twitter, falsos rubro-negros que sempre torceram contra. Se vocês pensam que cabeças vão rolar, não vai acontecer, podem tirar o cavalo da chuva” disse o mandatário. O presidente rubro-negro usou palavras ríspidas quando foi questionado sobre o conteúdo de suas respostas. “Quem responde às perguntas aqui sou. Então, vou responder do jeito que eu quiser. Vamos lá, vou responder às perguntas de quem está bem intencionado” disse Bandeira, irritado. O mandatário admitiu cobranças pelo mau resultado na Libertadores, mas disse que é hora de ‘trabalhar’. “Avaliação e cobranças são feitas permanentemente, e isso vai continuar. Mas agora tem um ferida para cicatrizar e só vai melhor com muito trabalho. Vamos trabalhar forte para conseguir a vaga (para a Libertadores) no ano que vem e ter uma participação melhor do que essa” comentou.

Despedida
Ronaldinho Gaúcho e Mauro Silva se juntarão ao ex-zagueiro Luís Pereira e também participarão de jogo festivo que acontecerá no dia 28 de maio e marcará a despedida do estádio Vicente Calderón, em Madri, na Espanha. O ex-Barcelona e o ex-Deportivo La Coruña farão parte de um time de estrelas internacionais, que enfrentará uma equipe formada por lendas do Atlético de Madrid, entre eles, o ex-zagueiro do Palmeiras, além do atacante uruguaio Diego Forlán, atualmente no Mumbai City, da Índia. Além da lista de estrelas, que do lado ‘Colchonero’ ainda conta com o ex-atacantes Julio Salinas e Manolo Sánchez, o ex-meia Juan Vizcaíno, atual integrante da comissão técnica do clube, entre outros, ainda haverá homenagens a lendas, como Leivinha, jogador do Atlético entre 1975 e 1979. O jogo será o último do estádio Vicente Calderón, acontecendo exatamente uma semana após o compromisso final do clube em seu histórico estádio, contra o Athletic Bilbao, pela última rodada do Campeonato Espanhol. A renda da partida de lendas será destinada a uma ONG argentina que dá auxilia 446 mil escolas em 190 países.

Reforços
O Atlético-GO estreou mal no Campeonato Brasileiro, perdendo por 4 a 1 para o Coritiba, fora de casa. Esperando evoluir na competição, o Dragão apresentou mais dois reforços nesta quarta-feira, e ambos têm características mais defensivas: o zagueiro Eduardo Bauermann e o volante André Castro. O segundo, inclusive, já estreou pela equipe de Marcelo Cabo, entrando já no fim da partida diante do Coxa, na última segunda-feira. Castro disputou o último Campeonato Paulista pelo rebaixado Audax-SP. Eduardo, por sua vez, é revelado nas categorias de base do Internacional, e tem passagens até mesmo por Seleções de base. Ele também esteve no grupo que disputou a primeira rodada, mas ficou no banco e não entrou. “Fiquei muito feliz com o acerto, jogar na Série A, por um time bem estruturado com o Atlético-GO, vai ser uma grande honra. Estou tendo uma adaptação muito rápida, o Marcelo Cabo vem fazendo um trabalho com que eu me encaixo”, comemorou André. Campeão da Série B em 2016, os goianos acabaram eliminados na semifinal do Estadual e chegam ao Brasileiro como um dos times cotados para disputar a permanência na elite. Por isso, o clube fez questão de se reforçar e trouxe diversos nomes para a competição, com destaque para o atacante Walter e o meia Andrigo.

Liderança
Em jogo antecipado da quarta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Paraná Clube conseguiu sua primeira vitória ao bater o Goiás por 2 a 0, na Vila Capanema, assumindo temporariamente a liderança da competição. O time esmeraldino, por sua vez, é último, sem nenhum ponto. A equipe paranista abriu a contagem aos 15 minutos, com Minho, pegando sobra de bola para marcar. No segundo tempo, aos 44 minutos, fechou a contagem.
Na próxima rodada, a segunda, o Paraná Clube encara o Paysandu, sexta-feira, novamente na Vila Capanema. Já o Goiás terá pela frente o América-MG, no mesmo dia, no estádio Independência. A bola parada se mostrava uma boa arma para o Tricolor e, aos 25 minutos, Renatinho cobrou com perfeição para outra defesa de Marcelo Rangel. O time da casa administrava bem e deixava o tempo passara. Aos 38 minutos, Levantamento para Patrick, que desviou de cabeça à direita de Léo. Mas, aos 44 minutos, Felipe Alves fez jogada e lançou Renatinho que, de primeira, tocou para o gol e fechou o placar.

Estranheza
Mano Menezes já é um velho conhecido da torcida cruzeirense. O treinador gaúcho já comandou o clube mineiro em 72 partidas, em duas passagens pela Toca da Raposa II. Por isso, talvez possa causar estranheza o dado a seguir. Mesmo já tendo dirigido a Raposa no Brasileirão de 2015 e 2016, apenas este ano, Mano começou a principal competição do futebol nacional à frente do Cruzeiro. Nos dois anos anteriores, Mano Menezes chegou para apagar incêndios, e cumpriu o objetivo. Tanto em 2015, quanto em 2016, conseguiu livrar o Cruzeiro do rebaixamento. Após dois começos muito ruins, o gaúcho conseguiu dar padrão de jogo ao time, que terminou o Campeonato Brasileiro em posições confortáveis, ainda que totalmente diferentes às que o clube é acostumado. Mais do que isso. O aproveitamento do Cruzeiro, nos dois anos com Mano, seria suficiente para levar o time à Taça Libertadores. Em 2015, Mano Menezes assumiu o comando do Cruzeiro na 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, substituindo Vanderlei Luxemburdo, demitido após a derrota para o Santos, no Mineirão, na 21ª rodada. O time foi comandado por Deivid, na partida contra a Ponte, entre a saída de Luxa e a chegada de Mano. Com o gaúcho, em 16 jogos, o Cruzeiro conseguiu oito vitórias, seis empates e apenas duas derrotas, o que significa um aproveitamento de 62,5% dos pontos.

Cabisbaixos
Com uma amarga virada por 2 a 1, o Flamengo deu adeus à Libertadores na noite desta quarta-feira. Após deixarem o hotel cabisbaixos, jogadores ainda foram alvos de cobranças de um grupo de torcedores na chegada ao aeroporto de Buenos Aires. Foram cobrados pela eliminação, principalmente o goleiro Muralha. “Tem que treinar sair do gol…não sai do gol pra nada…Começa a aprender a sair do gol também, Muralha” disse um dos torcedores. Outro completa. “Com todo o respeito. Você com braço esticado dentro da pequena área é maior que qualquer atacante do mundo. Vamos aprender a sair do gol”! Nas imagens obtidas pelo GloboEsporte.com, só aparecem Juan e Trauco. Entre membros da comissão e torcedores, seguranças do Flamengo observam a cena. A abordagem foi pacífica. Logo no início da filmagem outro torcedor lamenta: “Tenho 35 anos! Será que eu vou morrer sem ver o Flamengo ser campeão da Libertadores?! A gente tá p…” Eliminado, o Flamengo desembarca no Rio de Janeiro ainda na manhã desta quinta-feira.

Patrocinador
O acerto do São Paulo com o grupo que comanda a MRV Engenharia e o Banco Intermedium deixou o Corinthians como único clube grande paulista sem um patrocinador master em sua camisa. Desde o fim do contrato com a Caixa, em abril, o Timão busca alternativas para rechear seus cofres e cumprir metas estabelecidas pelo marketing. Em março, o diretor do departamento, Fernando Salles, afirmou que o clube poderia chegar a R$ 100 milhões em patrocínios na temporada, contando a Nike, fornecedora de material esportivo. Sem a propriedade principal, porém, o objetivo fica praticamente inviável. Hoje, o Corinthians conta com três patrocínios em sua camisa: Alcatel (costas), Foxlux (barra inferior) e Minds (mangas). Costas e mangas, juntas, devem render cerca de R$ 4,5 milhões ao clube até o fim do ano – a Foxlux não divulgou os valores de seu acordo. O patrocínio do São Paulo vai render R$ 42 milhões até junho de 2020. O Palmeiras, com a Crefisa, vai faturar R$ 72 milhões em 2017 por todas as propriedades de sua camisa. O Santos, com a Caixa, vai receber R$ 16 milhões até o fim do ano, com a marca no espaço principal e no calção. O clube fechou, ainda, negociação com a Universidade Brasil, do grupo Uniesp, para a omoplata – a marca esteve no espaço principal do uniforme nas duas finais do Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, há poucas semanas. Diante da Chapecoense, sábado passado, pelo Campeonato Brasileiro, a mesma marca já aparecia em seu novo lugar.

Carreira
Todo time tem seu Severino. Aquele jogador que faz de tudo um pouco, como o antigo personagem de Paulo Silvino no programa “Zorra Total”. Na Ponte Preta, o apelido já se encaixaria perfeitamente em Nino Paraíba. Só que, neste caso, nem precisa de apelido. Severino já é o nome do lateral-direito. Após bombar no Cartola na primeira rodada do Brasileiro, virou “Mito Paraíba”. Aos 31 anos, ele curte os dias de fama por conta da grande fase na carreira. Contra o Sport, na estreia do Brasileirão, ele foi o legítimo “faz tudo”: incansável, deu conta de defender e apoiar com a mesma eficiência, tanto que fez um gol – o seu primeiro em 65 jogos pela Macaca – e ainda contribuiu com uma assistência. Um dos principais destaques na vitória por 4 a 0, foi o melhor da rodada no fantasy game, com 22,80 pontos. “É isso aí. Sou o Severino, fazendo um pouco de cada. Eu marque, ataque, fiz gol e ainda dei uma assistência. Quando eu comecei a jogar, brincavam que eu era igual o Severino, para quebrar o galho dos parceiros quando eles erravam. Eu estava lá para ajudar. Por isso ficavam zoando, mas eu sempre levei na boa, dou risada, fico tranquilo” disse, entrando na brincadeira.

Honrado
Mas o nome já tinha dado lugar ao apelido muito antes virar jogador. E mesmo que fique honrado em ser chamado de “Mito Paraíba”, prefere continuar com o Nino. Foi assim que chegou até aqui. É com ele que quer manter o bom momento. “Sou chamado de Nino desde a infância. Lá na Paraíba, Severino vira Nino. E eu prefiro Nino mesmo. Jogador como Severino não dá, né. Estão brincando com Mito Paraíba, mas Nino fica melhor. É menos responsabilidade, né” disse, sem segurar a risada. Em alta, Nino chegou a despertar o interesse do Botafogo, mas sem nenhuma proposta oficial. Com contrato até dezembro com a Ponte, Nino tem uma multa rescisória de R$ 5 milhões para o mercado interno e de 3 milhões de euro para o exterior. Alheio às especulações, ele garante foco total em fazer um grande Brasileirão pela Macaca. “Para mim não chegou nada. Tenho contrato até o fim do ano, e meu pensamento está 100% na Ponte. Temos um grupo forte. Falei que chegaríamos longe no Paulistão e fomos até a final. Agora falo que também vamos surpreender neste Brasileiro” completou o Severino da Macaca. Ou Nino. Ou Mito Paraíba.

Suspensão
Felipe Melo terá de cumprir seis jogos de suspensão por ter se envolvido na confusão que terminou em briga logo após a vitória palmeirense em cima do Peñarol, no Uruguai, pela quinta rodada da Copa Libertadores da América. Nessa quarta-feira, após o duelo com o Internacional pela Copa do Brasil, em São Paulo, o volante ironizou a decisão da Conmebol. “Complicado falar nesse momento. De repente, na próxima, eu vou ser massacrado, linchado lá”, disse. “Apenas me defendi. Tentei de todas as maneiras possíveis não brigar, mas, no final, eu tenho que me defender. Vejo isso com muita tristeza, pois somos vítimas nessa situação”, completou o jogador, que pode cumprir ‘apenas’ três jogos, caso a diretoria do Verdão tenha sucesso em seu recurso à decisão já apresentado.

Revoltaram
Além de perder Felipe Melo, o Palmeiras também terá de pagar multa à entidade que comanda o futebol Sul-Americano e não poderá ter torcedores no estádio em seus próximos três compromissos fora de casa pela Libertadores. Todas essas decisões revoltaram o goleiro Fernando Prass, outro a tocar no assunto depois da vitória sobre o Colorado. “É um absurdo que começa com a punição do Felipe Melo. Ele toma mais jogos que os jogadores do Peñarol. O jogador do Peñarol agrediu o Willian. Eu fui agredido por três antes de o Felipe Melo se proteger. A confusão foi iniciada por eles e tomam uma punição menor. Não consigo entender o critério. Sobre a nossa punição também. Tomamos três jogos sem torcida fora de casa. Tem de recorrer porque na minha visão é totalmente descabido levando em consideração as punições do Peñarol”, esbravejou o capitão palmeirense.

Transferência
Uma das novelas que prometem agitar o mercado de verão do futebol europeu é a possível transferência do volante Paulinho, do Guangzhou Evergrande, da China, para o Bayern de Munique. No início do mês, a rádio “RMC Sports” informou que o técnico dos bávaros, Carlo Ancelotti, pediu a contratação do brasileiro. O GloboEsporte.com apurou que recentemente houve de fato uma sondagem do clube alemão, buscando maiores informações sobre o jogador. E o negócio pode avançar nos próximos dias, uma vez que o empresário de Paulinho, Giuliano Bertolucci, está na China. O estafe do atleta ficou animado com o interesse do Bayern. Na China, Bertolucci também está se encontrando com outros jogadores que representa, casos por exemplo do meia Oscar e do atacante Diego Tardelli. Por enquanto, a negociação de Paulinho é tratada com sigilo, e o jogador segue com suas atividades normais no Guangzhou Evergrande. O interesse por parte de Carlo Ancelotti aconteceu depois da chegada de Tite à seleção brasileira, pois Paulinho se tornou um dos pilares do time que superou a crise e garantiu de forma antecipada a classificação para a Copa do Mundo de 2018. O camisa 8 seria contratado como substituto de Xabi Alonso, que está se aposentando ao fim desta temporada.

Experiência
Caso acerte com o Bayern de Munique, Paulinho, de 28 anos, terá sua segunda experiência em uma grande liga no futebol europeu. Em 2013 ele trocou o Corinthians pelo Tottenham, que desembolsou € 18 milhões. Depois de duas temporadas sem muito brilho na Terra da Rainha, acertou sua transferência para o futebol chinês. O Guangzhou pagou aos Spurs € 14 milhões. No futebol chinês, Paulinho reencontrou o bom futebol dos tempos de Corinthians e conquistou títulos importantes como o bicampeonato nacional, e a Liga dos Campeões da Ásia em 2015. Recentemente, ele renovou contrato com o clube até 31 de dezembro de 2020. Na época, o brasileiro comemorou a renovação e a sequência no futebol chinês. “Muito realizado pela confiança que o Guangzhou depositou em meu trabalho, durante mais esse período. Sou muito feliz em defender esse clube e espero continuar contribuindo para o crescimento do clube, buscando os títulos e objetivos traçados” afirmou.

Paulistão
A ira de Rogério Ceni no intervalo da derrota de 2 a 0 para o Corinthians, no Morumbi, pela semifinal do Paulistão, ainda repercute nos bastidores do São Paulo. Além da bronca em Rodrigo Caio pelo gesto de fair play, o acesso de raiva do treinador fez com que Cícero fosse atingido por uma prancheta arremessada ao chão pelo técnico. Muito irritado com a atuação da equipe, o técnico chutou o objeto, que acertou o meio-campista. Imediatamente, Ceni pediu desculpas, mas criou-se um clima ruim no vestiário. A notícia foi divulgada pela ESPN e confirmada pelo GloboEsporte.com. A revolta do treinador era com o segundo gol do adversário, marcado por Rodriguinho, aos 46 minutos do primeiro tempo. Ceni fez um gesto de irritação no banco de reservas e olhou para trás. No vestiário, ele cobrou mais atitude de seus jogadores, que relataram a pessoas próximas ter sido o momento de maior ira do técnico desde que assumiu o comando do time, em janeiro, com direito a chutes em alguns objetos.

Confirmou
Questionado sobre o assunto na coletiva desta terça-feira, no CT da Barra Funda, o volante Jucilei confirmou o atrito entre Ceni e Cícero. “Vejo que o desentendimento querendo acertar vai haver sempre no vestiário. Ainda mais com resultados negativos. O desentendimento que houve vai ficar no vestiário” afirmou o meio-campista. “O Cícero e o Rogério são amigos. Foram campeões juntos. Eles conversaram, se entenderam e o grupo está focado. Todos estão em um só pensamento de fazer o time voltar a fazer gol” acrescentou Jucilei. Na mesma entrevista, Jucilei também tentou negar o atrito: “Joga uma prancheta no chão e veja se vai quicar? Não é bola de tênis”. Cícero foi um dos reforços pedidos pelo técnico Rogério Ceni no início do ano. Ele deixou o Fluminense e acertou um vínculo de dois anos. Logo que chegou, se tornou titular inquestionável no meio-campo. Após a confusão no vestiário, ele ainda foi titular contra Cruzeiro e Corinthians. Diante do Defensa y Justicia, na última quinta-feira, o jogador atuaria normalmente, mas acabou vetado por estar com febre. No último domingo, contra a Raposa, o meio-campista ficou como opção no banco de reservas. Até agora, disputou 22 das 27 partidas da equipe na temporada.

Conquista
Adaptado ao Coritiba, com direito a destaque na conquista do título paranaense, sobre o maior rival, Atlético-PR, Anderson pode selar seu destino longe do clube. Emprestado pelo Inter até o fim da temporada, o meia recebeu uma sondagem de uma equipe do exterior, mantida em sigilo. Até o momento, o contato ainda é encarado como “bem superficial”. Não há qualquer proposta ou situação negocial em andamento, mas o quadro já leva o jogador a cogitar a transferência. O meia, porém, está feliz na capital paranaense, e a boa fase no Coritiba surge como empecilho para uma eventual saída. Caso a oferta seja concretizada, uma cláusula no contrato entre Inter e Coritiba prevê a liberação do atleta, com um percentual destinado aos cofres do Coxa. Uma eventual venda de Anderson, aliás, é vista com bons olhos do lado colorado, que se livraria de pagar cerca de R$ 15 milhões dos vencimentos previstos até o fim do contrato, até 2019. Atualmente, o clube gaúcho arca com 50% do salário do meia. Titular do técnico Pachequinho, Anderson atuou em 12 partidas pelo Coritiba, com três gols marcados. Na última quarta-feira, esteve em campo por apenas 17 minutos, na estreia do Coxa no Brasileirão, com vitória por 4 a 1 sobre o Atlético-GO. O meia sentiu um desconforto muscular e acabou substituído. Será reavaliado nesta quarta-feira.

Contratação
Rafinha pode estar com os dias contados no Barcelona. Pelo menos é o que garante o diário italiano “Corriere dello Sport”, que aponta o interesse da Juventus na contratação do meia brasileiro. De acordo com a publicação, o clube italiano estaria disposto a pagar € 25 milhões (R$ 85 milhões) pela contratação. A publicação italiana aponta que Giuseppe Marotta, presidente da Juventus, é o mais entusiasmado na contratação de Rafinha. O dirigente considera que o meia brasileiro tem uma grande qualidade individual e ótima personalidade. Por sua vez, Rafinha quer mais oportunidades em campo para ter chances de jogar a Copa do Mundo de 2018. Com uma lesão no menisco, Rafinha voltará a jogar somente na próxima temporada. Ao todo, na atual temporada o meia brasileiro disputou 28 jogos e marcou sete gols com a camisa do Barcelona. Teve 1570 minutos em campo em jogos do Campeonato Espanhol, da Copa do Rei e da Liga dos Campeões.

Temporada
Contratado ainda nos primeiros dias do ano como segundo reforço do Inter para a temporada, o zagueiro Neris pediu para ser liberado do clube após atuar em apenas duas partidas em 2017. Sem chances com Antônio Carlos Zago, o defensor irá rescindir seu contrato com o Colorado para acertar sua transferência ao Sport. De acordo com o vice-presidente de futebol do Sport, Gusvato Dubeux, a contratação de Neris faz parte dos planos do clube, desde que ele consiga vir sem custos para o Leão. “Neris é um atleta que interessa. Desde o ano passado, quando ele fez boa temporada pelo Santa Cruz. Vamos esperar a confirmação da saída dele do Internacional. Se isso acontecer, certamente ele entrará na nossa pauta”. A saída do atleta não terá custos aos cofres colorados. Liberado, Neris já foi ausência do treino desta terça-feira pela manhã, no CT do Parque Gigante. O defensor procurou a diretoria colorada para selar uma saída amigável justamente por ter sido pouco aproveitado no clube. O zagueiro é o terceiro atleta da posição a deixar o Inter desde o término do Campeonato Gaúcho. Antes dele, o garoto Eduardo e Paulão foram liberados por empréstimo a Atlético-GO e Vasco, respectivamente.

Descontentamento
A nadadora Joanna Maranhão nunca guardou para si o seu descontentamento com a gestão da natação do Brasil pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos. Finalista olímpica com apenas 17 anos, nos Jogos de 2004, em Atenas (Grécia), a pernambucana sempre atacou os problemas da entidade e a forma desigual com que considerava que os atletas eram tratados. Com a prisão preventiva do presidente Coaracy Nunes e mais três dirigentes acusados de envolvimento em um esquema de corrupção na CBDA, em abril, Joanna disse sentir um alívio e aponta a chance de que mudanças podem estar por vir no esporte. “Nós não fomos respeitados nos últimos 30 anos e agora estamos vendo o tamanho do buraco. Se não agirmos como um time, ver que tem que acabar essa coisa de uns receberem 20 mil e outros dois meses de 2 mil, de um que vai de executiva e outro de econômica, e técnico-chefe que é técnico de clube. Precisamos mudar tudo isso. Hoje em dia eu me sinto muito aliviada, é um alívio muito grande esses caras estarem presos. Essa é minha luta, minha bandeira. Espero que daqui a quatro anos, nós, atletas federados, tenhamos direito de voto. Tem muita coisa para mudar” disse, no “Bem, Amigos!”.

Volante
A atual temporada do futebol europeu está em sua reta final e o mercado de transferências já começa a ficar movimentado. Um grande alvo dos gigantes europeus deve ser o volante Thiago Maia, do Santos. Segundo o periódico The Sun, Paris Saint-Germain, Manchester United e Chelsea irão brigar pelo brasileiro. Thiago Maia vem chamando a atenção de clubes europeus desde o início do ano, quando o PSG chegou a sondar o atleta. O volante conquistou, com a camisa da Seleção Brasileira, a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, e foi peça importante do time de Neymar e companhia. No último mês, o presidente do Santos, Modesto Roma Junior, admitiu que teria que vender alguns jogadores em julho para terminar o balanço do clube no azul. Além de Maia, o lateral Zeca, que também conquistou o ouro olímpico, foi sondado por clubes europeus. De acordo com as informações da imprensa inglesa, a multa do jovem de 20 anos é de cerca de R$ 68 milhões.

Concorridos
As três equipes que entram na briga pelo jogador devem contratar volantes na próxima janela de transferências do futebol europeu. O PSG deve perder o volante italiano Verrati, que é um dos nomes mais concorridos do futebol europeu nos últimos anos. Barcelona, Real Madrid e Bayern de Munique já manifestaram interesse no futebol do “baixinho”. Já o Chelsea se reforçou com o francês Kantê na última temporada e Maia seria uma opção para o clube que irá disputar a Liga dos Campeões novamente na próxima temporada. Enquanto isso, o Manchester United, do técnico José Mourinho, tenta encaixar o time após uma baixa temporada dos Red Devils.

Defensor
O zagueiro Pablo deu um susto na torcida corintiana neste sábado, diante da Chapecoense. Logo na primeira etapa da partida, o defensor tropeçou sozinho e deixou o campo reclamando de fortes dores na coxa. Após o empate válido pelo primeiro confronto do Campeonato Brasileiro, Pablo passou por exames que descartaram estiramento ou presença de qualquer lesão grave. O jogador deve voltar a campo contra o Atlético-GO, na terceira rodada do Brasileirão. O médico responsável pelos cuidados do atleta, Julio Stancati, ficou aliviado com o resultado dos exames e afirmou que a queda foi por conta de uma lesão passada. “Felizmente é uma notícia boa, foi só a fibrose antiga que estourou. Talvez nesse jogo esteja comprometido, mas para semana que vem deve estar bem”, destacou. A fibrose, problema que atormentou nomes como o meia Valdivia, ex-Palmeiras, é uma espécie de cicatriz no músculo do atleta. Com o esforço feito para tentar cortar a bola diante da Chape, o defensor acabou abrindo de novo a cicatriz, que precisa de alguns dias para voltar a se fechar. Pablo passará a semana tratando da fibrose, com chances mínimas de enfrentar o Vitória, no domingo, às 16h (de Brasília), pela segunda rodada do Brasileiro na Fonte Nova. A expectativa é de que o jogador volte a atuar apenas contra o Atlético-GO, no confronto seguinte, em casa. Com o empate em casa por 1 a 1, o Corinthians tem apenas um ponto somado na competição nacional, na oitava colocação.

Retorno
Mesmo com a moral de quem é o atual campeão brasileiro e teve o seu retorno bastante comemorado pela torcida do Palmeiras, Cuca não se sente preparado para comandar uma seleção. O técnico acredita que precisará seguir o exemplo de Tite, que se dedicou aos estudos entre a segunda e a terceira passagens pelo rival Corinthians, se quiser estar à frente de um time nacional. “Pensar nisso, sim, mas eu teria que me preparar melhor. A preparação para treinar um clube é diferente da preparação para treinar uma seleção. Hoje, não estou preparado, em todos os sentidos”, disse Cuca, em entrevista ao SporTV. Quando abordou o assunto, o treinador palmeirense não falou especificamente sobre uma chance quando houver a sucessão de Tite. “Não tenho conhecimento nenhum de outras seleções. É lógico que é muito bom poder escolher os melhores jogadores, mas isso passa por um preparo. Eu não me preparei para isso”, insistiu. Cuca ainda enalteceu o trabalho de Tite, com 100% de aproveitamento na Seleção Brasileira, já classificada para a Copa do Mundo de 2018. “O Tite, sim, teve uma preparação. A gente está muito bem servido de técnico por uma década”, enalteceu. O foco atual de Cuca está exclusivamente no Palmeiras. E a cobrança já é grande. Sucessor do demitido Eduardo Baptista, ele tem consciência de que os altos investimentos feitos no elenco geraram muita expectativa entre os torcedores.

(*) Wilson Barbosa é jornalista e cronista esportivo. Email: www.wilsonbarbosatreze@gmail.com

Deixe uma resposta