Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Colunistas | Wilson Barbosa | Panorama Esportivo – por Wilson Barbosa

Panorama Esportivo – por Wilson Barbosa

Virada

Paulinho comemora gol ao lado dos companheiros da Seleção – Foto: Pedro Martins/MoWA Press

Nem mesmo a segunda melhor seleção das Eliminatórias da Copa do Mundo, que só havia conquistado vitórias em casa, foi capaz de frear o Brasil de Tite. Jogando no histórico Estádio Centenário, na noite desta quinta-feira, a equipe nacional conquistou uma importante virada sobre o Uruguai, por 4 a 1, e chegou ao seu sétimo triunfo consecutivo no torneio. O resultado deixou a vaga no Mundial da Rússia bastante encaminhada – pela projeção de Tite, a classificação já está assegurada, ainda que não matematicamente. A Seleção Brasileira passou a somar 30 pontos ganhos, na liderança disparada das Eliminatórias, contra 23 do segundo colocado Uruguai. Para triunfar novamente, o Brasil precisou provar ter poder de reação em Montevidéu.
Visitante
O time visitante viu Marcelo falhar logo no começo da partida, forçando o pênalti do goleiro Alisson sobre Cavani na sequência do lance. O próprio centroavante converteu a cobrança. Paulinho, contudo, liderou a virada com três gols. Neymar também contribuiu com a goleada com uma bela conclusão por cobertura. O embalado Brasil terá o Paraguai pela frente já na terça-feira, em Itaquera, estádio do Corinthians. No mesmo dia, o Uruguai buscará a sua reabilitação diante do Peru, em Lima. Preocupado em não deixar o Uruguai confortável para atacar já nos primeiros minutos, o Brasil procurou manter a bola nos pés, trocando passes em seu campo defensivo. Neymar foi além. Aos três, o atacante do Barcelona arrancou de antes do meio-campo e acionou Philippe Coutinho, que cruzou da direita. Coates furou, mas Roberto Firmino também.

Oportunismo
Pouco depois, Cavani mostrou o oportunismo que o centroavante brasileiro não teve. Marcelo foi displicente ao fazer um recuo curto, com o peito, para Alisson, e o astro uruguaio correu para ficar com a bola. Só não fez o gol porque foi derrubado pelo goleiro. Pênalti. Ele mesmo cobrou, aos nove minutos, e colocou os donos da casa em vantagem no marcador. O gol já no princípio de partida criou o ambiente que Tite temia. Com a sua torcida inflamada nas arquibancadas do Centenário, o Uruguai ganhou tranquilidade para jogar no contra-ataque, como gosta de fazer. Do outro lado, a Seleção Brasileira viu os espaços para as suas investidas diminuírem sensivelmente. Paulinho, então, resolveu encurtar o caminho para o gol. Aos 18 minutos, o volante do chinês Guangzhou Evergrande recebeu a bola de Neymar, carregou pelo meio e soltou o pé de fora da área, acertando o ângulo, quase sem chances de defesa para o goleiro vascaíno Martín Silva.

Participativo
Com a igualdade, o Brasil voltou a se sentir à vontade para impor o estilo de jogo que havia proposto no princípio da partida, com muita movimentação de Neymar. No ataque, quem destoava era Renato Augusto, pouco participativo. E, na defesa, o Uruguai proporcionou mais um susto antes do intervalo. Aos 36, Vecino cabeceou perigosamente para fora após falta batida por Sánchez. No segundo tempo, com o jogo mais brigado, o Brasil conseguiu se sobressair outra vez. Aos sete minutos, Firmino se redimiu da furada do início do jogo ao girar bem na entrada da área antes de finalizar. Martín Silva deu rebote, e Paulinho foi rápido para aproveitar e anotar o seu segundo gol no Centenário. Atrás no placar, o Uruguai se viu obrigado a se lançar ao ataque, acuando o time de Tite. O técnico Óscar Tabárez tentou colaborar com a pressão dos seus comandados com a troca de Rolán, o jogador que escolheu para substituir o suspenso Luis Suárez, por Stuani.

Diferença
Não adiantou. Aos 29 minutos, Neymar fez a diferença na hora em que a Seleção Brasileira tentava conter o ímpeto do Uruguai. Miranda deu um bico para a frente, e o atacante do Barcelona deixou Coates para trás na velocidade, invadiu a área e concluiu com muita categoria, por cobertura, na saída de Martín Silva. Já calmo à beira do campo, sem a necessidade de berrar tanto, Tite mudou a Seleção Brasileira, que deixou de ser ameaçada. Fernandinho, Willian e Diego Souza ocuparam as vagas de Renato Augusto, Philippe Coutinho e Roberto Firmino no restante do segundo tempo. Àquela altura, o Estádio Monumental estava silenciado. E houve tempo para transformar a vitória sobre o Uruguai em goleada. Outra vez com Paulinho, já aos 47 minutos do segundo tempo, estufando o peito para empurrar a bola para dentro depois de um cruzamento de Daniel Alves.

Goleada
Grande destaque da Seleção Brasileira na contundente goleada por 4 a 1 sobre o Uruguai, nesta quinta-feira, no Centenário, o volante Paulinho não demonstrou euforia na entrevista que concedeu à TV Globo logo após a partida. Foram dele três dos quatro gols brasileiros – o atacante Neymar completou o marcador. “Nunca passou pela minha cabeça fazer esses três gols, mas o importante é que a gente vem trabalhando todos os dias. As vitórias não são por acaso. Agradeço a Deus por esse momento, por termos conseguido mais uma vitória importantíssima”, discursou Paulinho. Além de enaltecer o empenho dos comandados de Tite, o jogador do Guangzhou Evergrande, da China, lembrou que o Brasil precisou superar dificuldades para construir o placar elástico. Vice-líder das Eliminatórias, atrás apenas da Seleção, o Uruguai saiu em vantagem no marcador logo no princípio do jogo, com gol de pênalti do centroavante Edinson Cavani. “Sabíamos das dificuldades. Saímos atrás no placar e tivemos concentração e cabeça tranquila para ir atrás do resultado”, disse Paulinho, já projetando novos feitos para a Seleção Brasileira. “Continuando assim, com grandes atuações, teremos muito a crescer ainda”.

Classificação
Tite acreditava que 28 pontos ganhos nas Eliminatórias seriam suficientes para obter uma classificação para a Copa do Mundo. A sua Seleção Brasileira chegou a 30 ao golear o Uruguai por 4 a 1 nesta quinta-feira, no Centenário, mas o técnico passou a ser cauteloso ao falar da vaga no Mundial da Rússia. “Não faço contas. Eu me atenho ao desempenho. O fator mais marcante é o que a equipe jogou, a partida competitiva e leal que fizemos”, disse Tite, procurado por membros de sua comissão para que se inteirasse sobre os outros resultados da rodada das Eliminatórias Sul-Americanas. “Mas não quero saber disso nem de tabela para ter o álibi ao não responder. Não quero. Quero falar da grandeza desse jogo”, sorriu. De fato, o jogo que a Seleção Brasileira fez em Montevidéu chama a atenção. Diante do vice-líder das Eliminatórias, que só tinha vencido em casa até então, o Brasil mostrou poder de reação ao sofrer um gol de pênalti do centroavante Edinson Cavani e construiu uma goleada de virada, com o volante Paulinho anotando três vezes e o atacante Neymar outra. Contudo, até mesmo quando escutou que se tratava de uma goleada histórica, Tite recuou. “A vitória, sim, é. O placar, não. Vencer no Uruguai é muito difícil. Sei disso porque nasci muito perto daqui, no Rio Grande do Sul, onde temos hábitos bem parecidos”, divagou, como de costume.

Passagens
O próximo compromisso da Seleção Brasileira será especial para Renato Augusto. Assim como outros jogadores com passagens pelo Corinthians e do lateral direito Fagner, ainda no clube do Parque São Jorge, o meia do chinês Beijing Guoan está animado por enfrentar o Paraguai em Itaquera, casa do time pelo qual foi campeão brasileiro em 2015. “É um lugar em que fui muito feliz, uma casa que tenho. Com certeza, será um dia especial”, comentou Renato Augusto, titular da Seleção Brasileira que derrotou o Uruguai por 4 a 1 na quinta-feira, em Montevidéu. Além dele, entre os jogadores queridos pelos corintianos, estarão em ação como titulares o volante Paulinho, autor de três gols sobre os uruguaios, o zagueiro Marquinhos e o lateral direito Fagner, que substituirá o suspenso Daniel Alves. No banco de reservas, ficarão o técnico Tite e o meia Willian. Do outro lado, o atacante Ángel Romero defenderá o Paraguai.

Disparada
“Não vai ser festa”, contrariou o sisudo Paulinho, mais preocupado com a situação da Seleção Brasileira, apesar da liderança disparada das Eliminatórias e de a vaga na Copa do Mundo de 2018 estar praticamente assegurada. “Será mais um grande jogo. Vamos entrar concentrados para buscar a vitória”, pregou. Homem de confiança de Tite desde os tempos de Corinthians, Renato Augusto acredita que os ex-corintianos também já estão entrosados na Seleção Brasileira, um dos motivos para a boa fase da equipe nacional. “Conforme vamos jogando juntos, as coisas ficam mais fáceis. Contra o Uruguai, fomos taticamente perfeitos. Foi a primeira vez em que saímos atrás no placar e tivemos tranquilidade para buscar o resultado”, disse Renato Augusto.

Consagrando
O Corinthians teve tudo em suas mãos para conquistar uma vitória sobre o Red Bull na tarde desta quinta-feira, no estádio de Itaquera, consagrando uma grande atuação dos garotos Maycon, autor de belo gol de falta, e Pedrinho, melhor em campo, mas um vacilo no final pôs tudo a perder. Mesmo com um a menos, o time de Campinas aproveitou falha de Léo Príncipe e viu Guilherme Lazaroni empatar o embate. Com o resultado, o Timão, já classificado e já com o primeiro lugar do Grupo A garantido, vê muito longe a possibilidade de ficar com a melhor campanha na primeira fase da competição, agora quatro pontos atrás do Palmeiras, com apenas dois jogos a serem feitos. O Touro, por sua vez, chegou a 12 pontos no total e ainda tem boas chances de se classificar no Grupo B, apenas dois atrás do Linense, segundo colocado. Na próxima rodada, os comandados de Fábio Carille terão o clássico contra o São Paulo, o último desta primeira fase de Campeonato Paulista. O duelo será disputado às 16h (de Brasília) do domingo, no Morumbi. Enquanto isso, os “toros lokos” recebem o Botafogo-SP, no mesmo horário, mas no Moisés Lucarelli.

Mantiveram
Em partida com dois tempos distintos, o Fluminense venceu por 3 a 2 o Botafogo, nesta quinta-feira, no Nilton Santos. Com o resultado, os tricolores se mantiveram na ponta do grupo C da Taça Rio, com seis pontos. Já os alvinegros permaneceram com apenas quatro no grupo B, em terceiro, e veem em risco a classificação para as semifinais do Campeonato Carioca. O clássico foi movimentado e teve o Botafogo como dominante no primeiro tempo. Tanto que os alvinegros foram para o intervalo com boa vantagem após Roger marcar duas vezes. Só que na etapa final, o Fluminense reagiu e conseguiu grande virada. O destaque foi o atacante Richarlison, autor de dois gols e o passe para Renato Chaves fazer o terceiro gol dos tricolores. Na próxima rodada, o Fluminense terá pela frente o Macaé, no domingo, no Giulitte Coutinho. No mesmo dia, o Botafogo vai até Moça Bonita para enfrentar o Bangu. Nos minutos finais, os botafoguenses pressionaram, mas pouco produziram no ataque. O Fluminense conseguiu impedir as boas jogadas do adversário e ainda desperdiçaram algumas chances de marcar o quarto. Mesmo assim, os tricolores puderam comemora a vitória.

Antecipada
Fechando a décima rodada do Campeonato Paranaense 2017, o Coritiba bateu o PSTC por 2 a 0, no estádio Couto Pereira, e garantiu sua classificação antecipada para a próxima fase. Com o resultado, o Alviverde chegou aos 17 pontos, na quarta colocação, enquanto a equipe de Cornélio Procópio, com cinco pontos, amarga a lanterna, em situação complicada. O Coxa abriu o marcador aos 37 minutos da primeira etapa, com Neto Berola, que dominou com tranquilidade e bateu no cantinho para marcar. Aos 40 minutos, Anderson ganhou na raça, invadiu a área e tocou para a rede. Na próxima rodada, o Coritiba enfrenta o Rio Branco, domingo, novamente no Couto Pereira. Já o PSTC terá pela frente o Foz do Iguaçu, no mesmo dia, no estádio ABC, na fronteira. O Coritiba voltou a ataca apenas aos 21 minutos em lançamento de William Matheus para Iago, que bateu para fora. A reposta veio em cobrança de falta de Marcão, aos 30 minutos, com uma bomba que parou em grande defesa de Wilson. Aos 36 minutos, Anderson partiu para a jogada individual e chutou, mas Fabrício salvou em cima da linha. Walisson Maia, aos 45 minutos, ainda tentou de cabeça, mas ficou por isso mesmo.

Intervalo
O clima não foi somente de tranquilidade na vitória em que o Fluminense derrotou o Botafogo por 3 a 2, pela Taça Rio. De acordo com informações divulgas pelo “Bom Dia Rio” nesta quinta-feira, um grupo com 31 torcedores da organizada Young Flu foi detido no entorno do Estádio Nilton Santos, no intervalo da partida, quando faziam plano para uma emboscada aos botafoguenses. O major Silvio Luiz, do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), divulgou que os integrantes iriam aguardar o término da partida para atacar torcedores do Botafogo. Segundo a Polícia Militar, os detidos usavam camisetas pretas como tentativa de disfarce para acessar a área destinada aos torcedores alvinegros. Entre os materiais apreendidos estavam soco inglês e protetores bucais. A PM foi alertada sobre a ameaça de violência por agentes da Supervia. Os membros da organizada referente ao Fluminense tinham feito baderna nos trens enquanto iam em direção ao estádio. Nenhum dos torcedores tinha ingresso para acompanhar a partida no Nilton Santos. Os torcedores foram levados para o Juizado do Torcedor e, em seguida, para a Cidade da Polícia.

Elogios
Após fazer seu primeiro jogo como titular e estrear na Arena Corinthians, o meia-atacante Pedrinho já pensa em seu primeiro clássico pelo Timão. Aos 18 anos, o jovem recebeu elogios do técnico Fabio Carille e pode seguir na equipe que enfrenta o São Paulo no domingo, às 16h, no Morumbi, pela 11ª rodada do Paulistão. “Tenho que estar preparado sempre” afirmou o jogador, ao ser questionado se pensava em atuar no clássico. Pedrinho também falou sobre as negociações para a renovação de seu contrato, que termina no fim de 2018. O meia-atacante disse que não participa das tratativas, mas mostrou otimismo em relação a um desfecho positivo. “Estamos conversando, mas coloco nas mãos do meu empresário, que resolve essa parte extracampo. Tenho certeza de que vai dar tudo certo. Eu não participo, meu negócio é nas quatro linhas” disse. O meia-atacante subiu ao elenco profissional após o título da Copa São Paulo de Futebol Júnior em janeiro. Com a lesão de Vilson há duas semanas, Pedrinho foi escolhido pela comissão técnica para ficar com a vaga no Paulistão. Ele estreou ao entrar no segundo tempo da partida contra a Ferroviária e foi titular diante do Red Bull Brasil, no lugar do suspenso Jadson.

Estipulou
Os cofres do São Paulo voltaram a ser irrigados com a venda do zagueiro Lyanco por 6 milhões de euros (quase R$ 20 milhões) ao Torino-ITA, confirmada na última quinta-feira. Com a negociação, o Tricolor bateu antecipadamente a meta orçamentária para 2017, ano em que a diretoria estipulou o alcance de R$ 60 milhões com a transferência de jogadores. A maior parte da quantia é proveniente da venda do atacante David Neres ao Ajax-HOL, negociado mediante ao pagamento de R$ 41 milhões, em janeiro. Somando-se ao valor arrecadado por Lyanco, o clube do Morumbi atingiu a marca dos R$ 61 milhões, ultrapassando em R$ 1 milhão a meta designada pela cúpula tricolor. O montante ainda pode ter o acréscimo de 5 milhões de euros (aproximadamente R$ 17 milhões), condicionados ao desempenho da dupla formada nas categorias de base em Cotia em seus respectivos clubes – o Tricolor pode arrecadar mais 3 milhões de euros, com Neres, e outros 2 milhões, com Lyanco. Com o caixa reforçado, o São Paulo pode ir ao mercado para reforçar a equipe, que vem sofrendo com desfalques e tem importantes compromissos pela frente, num momento em que os torneios vão se afunilando.

Cobertura
Com o golaço por cobertura sobre o Uruguai, na goleada por 4 a 1 nesta quinta-feira, em Montevidéu, Neymar aumentou seu leque de vítimas. Ele nunca havia marcado sobre a Celeste e agora tem apenas duas seleções da América do Sul que ainda não sofreram com ele: Venezuela e Paraguai, adversário da próxima terça-feira, na Arena Corinthians. O gol no Estádio Centenário também deixou o camisa 10 ainda mais próximo de Romário, quarto maior goleador da Seleção Brasileira. Neymar chegou a 51 tentos, cinco a menos que o Baixinho. O artilheiro máximo do Brasil é o Rei Pelé, com 95 bolas na rede, seguido por Ronaldo (67) e Zico (66). Aos 25 anos, Neymar tem grande chance de se aproximar e até ultrapassar este pelotão de frente. Mesmo vivendo grande fase, o atacante do Barcelona não era o artilheiro da Seleção com Tite até a noite desta quinta. Ele estava um gol atrás de Gabriel Jesus, que foi desfalque em Montevidéu por lesão.

Zagueiro
O clássico entre Vasco e Flamengo tem um peso grande. Tanto que o presidente vascaíno, Eurico Miranda, classifica a partida como um ‘campeonato à parte’. Por isso, uma vitória contra o rival pode funcionar como um divisor de águas para o Cruz-Maltino, dando moral para o início de uma nova fase da equipe após o início ruim na temporada. O zagueiro Jomar conta que o espírito da equipe já está melhor desde o jogo contra o Botafogo, no último domingo. O jovem admite que um triunfo contra o rubro-negro vai dar uma motivação a mais para o time ir em busca do tricampeonato carioca.

Motivação
“Com certeza pode ser um divisor de águas. A motivação começou já na partida contra o Botafogo. Eu creio que a gente ganhando vai motivar ainda mais a gente para conseguir reerguer o time para lutar pelo Campeonato Carioca” comento o jovem, destacando a importância da partida e garantindo que o Vasco tem condições de vencer. “É um campeonato à parte, mas se resolve dentro de campo. Será um jogo difícil, dois times grandes. Podemos fazer um grande jogo e sair com o resultado positivo” completou. Para o duelo, o Cruz-Maltino deve apresentar mais do estilo de jogo do técnico Milton Mendes. Com apenas três treinos do treinador, a equipe já mostrou certa evolução contra o Madureira, apesar de ainda contar com antigos problemas. Com mais tempo, a tendência é que o futebol melhore com as ideias do novo comandante.

Inclusão
Durante um ano e meio a CBF discutiu a portas fechadas o texto de seu novo estatuto com a inclusão dos clubes da Série B no colégio eleitoral da entidade. Seria parte de um processo de adaptação da confederação ao que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (LRFE). Nesta quinta (23), finalmente a mudança foi concretizada. Mas quem acredita em Papai Noel e deixa os sapatinhos na janela, pode acordar com a casa toda saqueada. Foi mais ou menos o que aconteceu na CBF. Agora, segundo o estatuto, os 20 clubes da Série B podem se juntar aos 20 da Série A nas eleições da entidade. Só que o poder deles vai ser inferior ao das federações estaduais. Isso porque cada uma das 27 federações passou a ter peso 3 nos pleitos. O voto dos clubes da Série A passa a valer 2, enquanto que os da B representam peso 1.

Convocou
Traduzindo. A soma total dos votos possíveis numa eleição para presidente da CBF ficou assim: 81 para as federações e 60 para os clubes. No final de 2015, atendendo à LRFE, a CBF convocou os 40 clubes das Séries A e B para a eleição do vice-presidente, coronel Antônio Nunes. Se mantivesse o modelo, as 27 federações poderiam ser superadas pelos clubes na próxima eleição da CBF, prevista para 2018. Outra medida tomada pela CBF, após quase 20 meses de discussão, foi a de manter a cláusula de barreira para a inscrição de chapa na entidade. Quem quiser se aventurar ao cargo máximo do futebol brasileiro, tem de conseguir o apoio de no mínimo oito federações e cinco clubes. Cabe lembrar que cada federação recebe um ‘mensalinho’ da CBF em torno de R$ 50 mil, além de uma contribuição extra de R$ 15 mil para os seus respectivos presidentes.

Suspeitos
A Polícia do Rio prendeu cinco suspeitos pela morte do torcedor alvinegro Diego Silva dos Santos, de 28 anos, na manhã dessa quinta-feira (23). Uma megaoperação foi realizada pela Polícia Civil do Rio para cumprir 20 mandados de prisão de integrantes da Torcida Jovem do Flamengo. Desses, oito teriam participado diretamente da morte do torcedor do Botafogo no dia 12 do mês passado no entorno do Engenhão, na Zona Norte da cidade e foram indiciados por homicídio e organização criminosa. Três suspeitos do crime estão foragidos. Ao ser interrogado pelos policiais, um dos presos na operação disse que ‘a filosofia da Torcida Jovem é para atacar e ir para brigar’.

Vangloriam
“Ele deixou claro que a ideologia que prevalece na torcida não é ir para torcer, é ir para brigar”, explicou o delegado Fábio Cardoso, ressaltando que os suspeitos ainda se vangloriam dos crimes que cometem. Em uma das imagens obtidas pela polícia, o presidente da Torcida Jovem do Flamengo aparece com a camisa de Diego amarrada no tornozelo, como uma espécie de troféu. “Isso aí a gente conseguiu apurar que é como se fosse um gesto de uma demonstração da vitória, que venceu o opositor. É como se fosse um troféu. Então, ele agride, faz a pessoa desmaiar ou mata a pessoa como foi o caso do Diego, arranca a camisa dele e depois amarra na perna, como um gesto, um significado, como se fosse um troféu pela vitória, naquela guerra, que nesse caso foi matar um botafoguense”.

Condenados
Um dos corintianos condenados pela morte do torcedor palmeirense Gilberto Torres Pereira, em 19 de agosto de 2014, durante uma briga em uma estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) desmaiou ao ouvir a sentença de condenação proferida na manhã desta quinta-feira (23). Leonardo Gomes dos Santos foi condenado a 16 anos e caiu no chão ao ouvir sua sentença. Também foram condenados Raimundo César Faustino, conhecido como Capá, a 21 anos de prisão, e Gentil Chaves Siani, a 18 anos. Os três foram condenados por homicídio qualificado, motivo fútil e pelo estatuto do torcedor. Os advogados dos réus entraram com recursos alegando que consideraram as penas muito altas e que não haveria provas suficientes para a condenação.

Vereador
Capá era vereador pelo PT na época e integrante da Gaviões da Fiel. Ele foi preso e levado para o Presídio de Franco da Rocha. Em 2013, o acusado foi flagrado em uma briga na partida entre Corinthians e Vasco, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF). A sentença foi lida na manhã desta quinta, pelo Juiz Rafael Carvalho de Sá Roriz no Fórum de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. O julgamento começou por volta das 10h30 desta quarta-feira (21) e se estendeu pela madrugada. O júri foi composto por sete pessoas e ouviu 13 testemunhas da acusação e da defesa, além dos réus, que estavam presos desde 2014.

Conhecido
Quase três semanas depois de demitir Felipe Moreira e também de quase contratar Adilson Batista, a Ponte Preta tem, enfim, um treinador. A novela acabou nesta quinta-feira, de forma bem humorada, com a volta de um velho conhecido. Gilson Kleina, apelidado de Fred Flintstone no tempo em que passou pelo Moisés Lucarelli, aceitou a proposta da Macaca e assinou contrato – a duração ainda não foi divulgada. Ele assume o time para a reta final do Paulistão e com a meta de planejar a Sul-Americana e o Brasileirão. O anúncio aconteceu nesta manhã, pelas redes sociais da Ponte. Assim como fez com o volante Fernando Bob, o clube confirmou a contratação com uma brincadeira. Para dar as boas-vindas ao treinador, usou uma imagem do personagem principal do desenho Os Flintstones, que parece com Kleina, além da frase “Tô voltando, galã”, que era como o treinador chamava funcionários e profissionais da imprensa no tempo de Macaca.

Reapresentação
A apresentação estava marcada para o período da tarde desta quarta, quando ele também já irá participar da reapresentação do elenco. O acordo estava alinhado desde terça, quando Kleina deixou o Goiás, mas questões burocráticas, como tempo de contrato e formação da comissão técnica, atrasaram a oficialização. “Gilson Kleina marcou época na Ponte por seu excelente trabalho, nos levou de volta à série A e é um ótimo profissional, além de ser uma pessoa que todos gostam no Majestoso. Era e é nossa primeira opção e ficamos muito felizes em trazê-lo de volta” afirmou o presidente Vanderlei Pereira, ao site da Macaca.

Projeção
Aos 48 anos, ele volta para o clube que lhe deu projeção em cenário nacional. Kleina assumiu a Ponte em dezembro de 2010, recolocou o clube na primeira divisão do Campeonato Brasileiro logo na primeira temporada completa e também classificou duas vezes para o mata-mata do Paulistão (quartas de final em 2011 e semifinal em 2012). Saiu para assumir o Palmeiras, em setembro de 2012. A boa impressão deixada pelo técnico, apesar da conturbada saída, sempre o deixou como um dos candidatos a assumir a Ponte em cada troca de comando. Desta vez, Kleina era um dos cotados, ao lado de Doriva, Jorginho, Ney Franco, Oswaldo Alvarez e Vanderlei Luxemburgo, outros nomes citados nos bastidores. Pesou a seu favor a turbulência vivida no Goiás e a identificação com a Macaca, ao contrário de alguns dos concorrentes.

Mensagem
A caminho do Atlético-MG, em troca envolvendo a ida de Clayton para o Corinthians, o meia-atacante Marlone enviou uma mensagem em tom de despedida nesta quinta-feira. O jogador pediu respeito e citou “uma covardia muito grande” em relação a alguns profissionais do clube. “Estou muito chateado com o que algumas pessoas do Corinthians estão passando para a imprensa a meu respeito. É uma covardia muito grande. Quem me conhece sabe como sou extremamente profissional e comprometido. Basta vocês perguntarem a todos os profissionais com os quais trabalhei até hoje, sejam atletas, treinadores e todos os companheiros de clube, duvido que alguém tenha alguma coisa negativa para falar sobre a minha conduta. Eu tenho um carinho muito grande pelo Corinthians, representei o clube com todas as minhas forças, com todo comprometimento, dedicação e profissionalismo, e não admito que digam mentiras a meu respeito.

Anunciada
A troca envolvendo Marlone e Clayton entre Corinthians e Atlético-MG pode ser anunciada ainda nesta quinta. Os jogadores serão cedidos por empréstimo até o fim desta temporada. Marlone tem contrato com o Timão até o fim de 2019. Contratado no fim de 2015, após se destacar pelo Sport, Marlone defendeu o Corinthians em 50 partidas e fez nove gols, mas não conseguiu se firmar como titular. Neste ano, com a contratação de Jadson, ele ficou ainda mais sem espaço no clube. O Atlético-MG tentou a contratação dele em janeiro, por cerca de R$ 10 milhões, mas a diretoria corintiana vetou. Clayton também é um sonho antigo do Timão. No início de 2016 o clube tentou contratá-lo do Figueirense, mas perdeu a concorrência para o Galo. Ele se encaixa no perfil de atacante que o Corinthians vinha buscando: veloz e que atua pelos lados do campo.
“Aproveito a oportunidade para demonstrar o meu eterno reconhecimento a Fiel, aos meus companheiros de time e todos os profissionais do Corinthians com os quais tive a honra de trabalhar neste período” afirmou Marlone, por meio de sua assessoria de imprensa.

Credibilidade
Quanto tempo é necessário para colocar em xeque toda a credibilidade da arbitragem da Paraíba? Dez anos? Cinco anos? Uma temporada inteira? Que nada! Um áudio de apenas 1min29s, gravado aparentemente via WhatsApp e sem paternidade assumida, está provando que tudo pode ruir bem mais rápido do que se parece a princípio. E é exatamente isto o que está acontecendo ao longo desta semana, num momento em que a primeira fase do Campeonato Paraibano de 2017 se encaminha para a sua reta final. O caso é aparentemente simples. Mas ao mesmo tempo devastador. Um áudio atribuído ao zagueiro Walter (atualmente no Rio Claro, mas que jogou no Botafogo-PB em 2015) detalha o que parece ser um esquema de compra de árbitros que seria orquestrado por dirigentes do Belo. O arquivo de áudio se tornou público na segunda-feira e rapidamente se espalhou. Chegou à torcida, à imprensa e aos dirigentes. Que começaram a se mobilizar, seja para se defender (no caso do Botafogo), seja para atacar o rival (no caso do Auto Esporte, citado no áudio como um dos clubes prejudicados). E neste turbilhão em que se transformaram os bastidores do futebol paraibano, o caso chegou à polícia. À Federação Paraibana de Futebol. À Comissão de Arbitragem da Paraíba.

Pagamento
Modesto Roma explicou o atraso no pagamento de direitos de imagem do elenco e também a premiação pela conquista da vaga na Libertadores, ainda no ano passado. O presidente disse que o caixa do Santos sempre é apertado. Com o patrocínio master da Caixa acertado, o Peixe promete quitar a dívida nos próximos dias. Há um acordo feito com o elenco para o pagamento do prêmio. “É lógico que o caixa é sempre apertado. Nós pegamos o clube há algum tempo com bastante dificuldade. Estamos arrumando a casa. Temos que respeitar essas dificuldades, mas está tudo equacionado. A gente entende bem essas coisas como são” disse o presidente em entrevista à Rádio Globo. Modesto ainda falou sobre as dificuldades para mandar jogos do Alvinegro no Pacaembu. Se avançar no Campeonato Paulista, o clube cogita transferir o mata-mata das quartas de final para a capital paulista. “É difícil (conseguir datas). A Polícia Militar só quer um jogo por dia na capital. É difícil jogar no Pacaembu. Na quarta-feira que vem teremos reunião dos presidentes de clubes e da Federação com a polícia para analisar essas questões de torcida em São Paulo. Nós queremos fazer mais jogos em São Paulo” completou o mandatário.

Contratação
A Copa São Paulo de Juniores deste ano pode render mais do que “apenas” o décimo título da competição ao Corinthians. O Timão acertou a contratação de sete atletas que chamaram a atenção dos olheiros do clube. Dos reforços, o que teve maior destaque foi o atacante Natan, de 20 anos, que chegou do rival Santos. Também chegaram o lateral-direito Igor e o lateral-esquerdo Hugo (ambos do Auto Esporte-PB), o zagueiro Luiz Carlos e o volante Klyverson (Juventus), o volante Lucas Alisson (7 de Setembro-AL) e o meia Andrews (Cruzeiro-RS). Segundo Fausto Bittar, que deixou a diretoria da base do Timão na última quarta-feira, as contratações só foram possíveis graças à presença de observadores em todas as 29 sedes da Copinha. Bittar também destacou que as contratações tiveram baixo custo: “O Corinthians não gastou um centavo com intermediação de empresário ou luvas. Estes jogadores vieram só com os salários. Destes atletas, dois têm 100% dos direitos econômicos ligados ao clube, outros dois, 60%, e os demais, 70%” contou, ao LANCE!.

Categorias
O espaço às categorias de base deixou de ser promessa e se tornou realidade no Corinthians. Até há pouco tempo, o “terrão” era lembrado até em campanhas publicitárias do clube, que chegou a lançar um uniforme laranja em homenagem a seus antigos campos de várzea, mas não nos treinamentos ou jogos. Em 2017, porém, a realidade é diferente. Dos 39 jogadores que treinam sob o comando do técnico Fabio Carille, 16 são formados em casa. Alguns já se tornaram titulares absolutos, como Guilherme Arana e Maycon. Há também os pratas da casa “velhinhos”, casos de Fagner e Jô, que foram revelados no Timão, saíram e retornaram ao clube mais experientes. Os motivos para a maior utilização dos garotos são diversos. A explicação passa pela dificuldade financeira do clube, mas também pelo maior apresso aos jovens por parte de Carille, a integração do auxiliar Osmar Loss, ex-técnico da equipe sub-20, e até uma maior paciência da Fiel torcida. Na última segunda-feira, quatro deles renovaram contrato, reforçando a maior valorização dos garotos nesta temporada.

Antecipada
O técnico Zé Ricardo não escondeu a satisfação com a classificação antecipada e pela vantagem alcançada para as semifinais do Campeonato Carioca na noite desta quarta-feira. Em entrevista coletiva, o treinador rubro-negro elogiou o empenho da equipe do Flamengo contra o forte esquema defensivo montado pelo Bangu e disse que foi muito importante ter concretizado todos os planos estabelecidos antes da partida. “A vitória foi muito importante para a gente. Traçamos um objetivo e obtivemos sucesso”, avaliou. O técnico do Flamengo disse também que o Bangu deu muito trabalho ao Fla porque jogou armado com uma sólida retranca que funcionou bem, principalmente no primeiro tempo. Ele se mostrou feliz pela atitude dos jogadores em campo para superar as dificuldades. E concluiu que agora precisa se concentrar na preparação do jogo deste domingo, diante do Vasco. “Agora vamos descansar para preparar para o clássico”. Quem também não escondia a felicidade no vestiário era o lateral-esquerdo Renê, que marcou seu primeiro gol com a camisa do Rubro-Negro carioca. Renê disse que sempre gostou muito de chutar de fora da área e que vem treinando desde que chegou ao Flamengo. “Dediquei o gol para minha mulher e minha filha. Prometi a elas e estava devendo há muito tempo”, revelou o atleta.

Preocupante
Os desfalques ligaram o sinal de alerta no São Paulo. Após o empate por 1 a 1 com o Botafogo nesta quarta-feira, pelo Campeonato Paulista, o técnico Rogério Ceni deu um diagnóstico preocupante sobre a situação do time, que sofre com baixas no momento em que as competições estão afunilando. O treinador citou a maratona de jogos decisivos que o time terá pela frente nos próximos dias e espera encontrar soluções antes, a começar pelo clássico contra o Corinthians, no próximo domingo, no Morumbi. “A partir de abril, depois de rodar os jogadores, teremos só jogos decisivos. Com Sul-Americana, Copa do Brasil e Deus queira que as finais do Paulista. Aí vamos definir um time base e fazer as substituições de acordo com o que a gente tem, com o cansaço. Iniciamos uma temporada com time enxuto, mas não estávamos perdendo jogadores. Quando perdemos três para seleção, perdemos mais. Vamos assim, com esse grupo reduzido, para buscar a classificação e analisar melhor o que fazer na próxima fase, inscrevendo ou trazendo outro jogador” afirmou o treinador., citando os duelos contra Defensa Y Justicia (ARG), pela Sul-Americana, e Cruzeiro, pela Copa do Brasil.

Pensamento
Assim que terminou a partida contra o Madureira, na última quarta-feira, os torcedores vascaínos presentes em São Januário já começaram a cantar ‘Ô, Urubu! Pode esperar, a sua hora vai chegar’. E não é só o pensamento deles que já está no rival Flamengo, o técnico Milton Neves já começou a trabalhar para montar as estratégias do Vasco para a partida contra o rubro-negro, neste domingo, no Mané Garrincha, em Brasília. No entanto, o treinador preferiu minimizar o peso da partida contra o Fla. Segundo ele, ela vai valer os mesmos três pontos das outras e que o importante é os jogadores entenderem que estão prontos para qualquer jogo. “Jogos contra equipes grandes valem três pontos como valem os outros. A importância do jogo é grande porque queremos ganhar. É importante os jogadores entenderem que, mais que o jogo, é preciso que eles estejam fortes e seguros com eles mesmos para poderem desenvolver um bom trabalho. Seja contra o Flamengo, contra o Fluminense ou qualquer outra equipe” comentou o técnico. Milton espera que as duas equipes protagonizem um grande clássico, apesar dos desfalques. Ele diz que está confiante no Cruz-Maltino após o que viu nesses primeiros dias de trabalho.

Tranquilo
“Eu acho que vai ser um jogo bom. Não posso falar mais sobre isso, porque temos alguns desfalques, que o Flamengo também tem. Mas para mim o mais importante são os jogadores que podemos contar. Eu tenho confiança, cada vez mais sinto que meus jogadores estão seguros. Vi um estado de espírito mais tranquilo após o jogo contra o Madureira. Isso é a importância de a gente ter trabalhado. Tenho a expectativa boa para esse clássico” disse o treinador, lamentando que a partida não seja no Rio de Janeiro. “Pena que não vai ser no Rio de Janeiro. Mas em Brasília também será bom. Já teve bons clássicos lá. Para mim, é maravilhoso poder estar em um grande clube em um clássico como esse. Agradeço a Deus por me colocar num momento desse, num lugar como esse” completou.

Fulminante
O Náutico fez primeiro tempo fulminante nesta quarta-feira, goleou o Uniclinic-CE, fora de casa, por 9 a 0, mas acabou eliminado na primeira fase da Copa do Nordeste. A equipe precisava de um tropeço do rival Santa Cruz, o que não aconteceu. Assim, o time do Arruda, juntamente com o Campinense, avançaram no grupo A. Na primeira etapa, o Timbu já abriu 6 a 0. Erick e Giva fizeram dois gols cada, com Anselmo e Wesclei, contra, definindo o placar dos primeiros 45 minutos. No segundo tempo, com o triunfo garantido e dependendo apenas do outro jogo da chave, a equipe de Milton Cruz diminuiu o ritmo. Ainda assim, Giva e Erick fizeram seus terceiros gols, e Anselmo também marcou mais um, definindo o placar final: 8 a 0. A goleada não foi suficiente, porém, porque o Santa Cruz, jogando em casa, venceu o Campinense por 1 a 0. O tento foi marcado pelo zagueiro Anderson Salles, cobrando pênalti. O time de Vinícius Eutrópio, que só precisava de um empate para garantir a vaga, ainda conseguiu a liderança do grupo, com 13 pontos, ultrapassando os próprios paraibanos, que passaram em segundo, com 11. O Náutico ficou com 10.

Tradição
Outras equipes de tradição também entraram em campo pela Copa do Nordeste. Já classificados, os rivais Bahia e Vitória venceram seus compromissos. O Tricolor fez 2 a 0 no Fortaleza, enquanto os rubro-negros marcaram 2 a 1 no Sergipe. Com a vitória, conquistada com gols de Juninho e Edigar Junio, os comandados de Guto Ferreira foram a 14 pontos na chave D, conseguindo a melhor campanha da primeira fase da competição. Os cearenses, com o revés, acabaram eliminados. O time de Argel Fucks, por sua vez, contou com tentos de Kieza e David para vencer fora de casa e garantir a liderança do grupo E. Hiago descontou para os mandantes. O Leão entrou em campo com a mesma pontuação, 10, do Sergipe. Assim, a partida valeu como confronto direto pelo primeiro lugar. Mesmo com a derrota, o Sergipe passou às quartas. O Sport acabou derrotado pelo Sampaio Corrêa, por 2 a 1. Ainda assim, como a equipe somou 13 pontos nas primeiras cinco rodadas do grupo C, a derrota não prejudicou o time, que manteve a liderança e segue para as quartas de final da Copa do Nordeste.

Confirmaram
O River-PI venceu os baianos do Juazeirense, fora de casa, por 1 a 0, e também confirmaram a vaga nas quartas de final. A partida chegou a ser paralisada por falta de energia no estádio Adauto Moraes. Com a bola rolando, Tety fez o tento da vitória, que fez os piauenses terminarem com a mesma pontuação do Sport, perdendo no saldo. Os duelos de quartas de final serão decididos por sorteio. Serão dois potes com quatro clubes em cada. O pior entre os cinco líderes de chave se juntará aos três melhores segundos em um dos lados. Os quatro melhores primeiros ficam do outro. As oito equipes classificadas são: Santa Cruz, Campinense, Bahia, Sport, River-PI, Itabaiana, Vitória e Sergipe.

Decepcionante
O time do Grêmio mais uma vez mostrou um futebol decepcionante. Mas, nesta quarta, ao menos a equipe de Renato Portaluppi apresentou a velha garra que caracteriza o Imortal. Aos 45 minutos do segundo tempo, Léo Moura decretou o empate por 1 a 1 com o Novo Hamburgo no estádio do Vale. Agora, o Tricolor já soma quatro jogos sem vencer no Estadual. Depois de nove rodadas, a equipe ocupa a terceira colocação com 14 pontos e tudo leva a crer que, apesar da fase não tão boa, o time consiga a classificação. Já o Novo Hamburgo é líder com 19 pontos, tem vaga garantida de forma antecipada, o que não impede que o sinal de alerta fique aceso, pois foram duas derrotas e um empate nos últimos três compromissos. Na 10ª rodada, o Grêmio encara o Juventude em sua Arena, sábado, às 19 horas. O Novo Hamburgo vai a campo no dia seguinte, às 19h30, no estádio Bento de Freitas, para pegar o Brasil de Pelotas.

Complica
O Internacional não conseguiu passar de um empate com o Ypiranga nesta quarta-feira, no estádio Colosso da Lagoa, em Erechim, e segue com a vida complica no Campeonato Gaúcho. Depois de sair atrás após Danielo Fernandes e Léo Ortiz baterem cabeça, o time colorado reagiu com Brenner, já aos 40 minutos do segundo tempo, graças a uma cobrança de pênalti. O resultado, no entanto, não foi bom para nenhuma das equipes. O Inter chega a 11 pontos restando apenas duas rodadas para o fim da primeira fase. O time de Antônio Carlos Zago é o sétimo colocado provisoriamente, mas pode ser ultrapassado por São José, Brasil de Pelotas e São Paulo, que ainda não entraram em campo nesta 10ª rodada. Se duas dessas três equipes vencerem seus jogos, o time colorado deixará a zona de classificação e ficará a apenas três pontos da zona de rebaixamento no Estadual.

Terrível
Para o Yíranga o resultado foi terrível. Com oito pontos, a equipe é a penúltima colocada, à frente apenas de Passo Fundo. A vitória que parecia perto deixaria o time do interior justamente na posição ocupada pelo Inter nesse momento. Domingo, às 16h, Inter e Ypiranga jogam fora de casa. Os comandados de Zago visitam o São José no Estádio do Vale enquanto o Ypiranga encara o Cruzeiro-RS no Antônio Vieira Ramos. Além do duelo pela 10ª rodada do Campeonato Gaúcho, Ypiranga e Inter também disputaram o título da Recopa Gaúcha nesta quarta-feira. Como conquistou tanto o Estadual como a Super Copa Gaúcha em 2016, o regulamento colocou o Ypiranga, vice-campeão da Super Copa na ocasião, para disputar a taça com os Colorados nesse ano. Mas foi o Inter que fez a festa. D’Alessandro, William, Valdívia, Léo Ortiz converteram suas cobranças e viram Danilo Fernandes defender os chutes de Éder e Márcio Lima, confirmando a vitória por 4 a 3.

Superior
O Santos sempre foi conhecido pela força que tem dentro da Vila Belmiro. Porém, o estádio centenário não vem ajudando o Peixe nesta temporada. Afinal, foram três derrotas em cinco jogos, número superior a temporada inteira de 2016, quando o alvinegro perdeu apenas duas vezes durante todo o ano. Em contrapartida, a equipe comandada por Dorival Júnior foi buscar bons resultados fora de casa, como o triunfo sobre o São Bento, nesta quarta-feira, em Sorocaba, e alcançou a liderança do grupo D do Campeonato Paulista. Ao todo, os santistas conquistaram três vitórias longe de seus domínios, contra Red Bull Brasil, São Bernardo e São Bento, respectivamente. Além disso, o clube ainda arrancou um empate diante do Ituano. A única derrota fora da Vila foi para o rival Corinthians, em Itaquera, no último dia 4 de março.

Compromisso
E para seguir no topo do grupo D e alcançar a vagal nas quartas de final do Paulista, o Santos terá mais um compromisso longe da Baixada. No próximo sábado, o Peixe visita o Santo André, às 15h (de Brasília), no estádio Bruno José Daniel, no ABC. Já na última rodada da primeira fase, os comandados de Dorival Júnior recebem o Novorizontino, na quarta-feira, às 21h45. Teoricamente, o alvinegro conta com a força da Vila Belmiro para concretizar a classificação. Porém, o retrospecto recente pode deixar o torcedor santista apreensivo.

Seleções
O currículo de Carlos Alberto Parreira destaca o título obtido pelo Brasil na Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, visitas a mais de 130 países como profissional do futebol, várias passagens por outras seleções, um Brasileiro pelo Fluminense e uma temporada brilhante pelo Corinthians. Foi há 15 anos, quando levou o clube paulista a dois títulos importantes conquistados na mesma semana – o Rio-São Paulo e a Copa do Brasil. Nesta entrevista exclusiva ao Terra , o técnico recorda-se daquela temporada, na qual o Timão também chegou à final do Brasileiro, mas não superou o Santos de Diego e Robinho. Parreira conta como armou aquele time, equilibrado e ofensivo, com Gil e Deivid se destacando no ataque, Ricardinho ditando o ritmo no meio e Dida garantindo vitórias e empates com a ponta dos dedos.

Transferidos
Ricardinho e Dida saíram depois dos títulos, transferidos para o São Paulo e Milan respectivamente, e não disputaram o Brasileiro. E o Corinthians não conseguiu substitutos à altura dos dois, sofrendo com os desfalques. Mas os percalços em 2002 foram superados por momentos de alegria que se repetiram várias vezes e deixaram a torcida em estado de euforia. Foi assim, por exemplo, nos jogos decisivos contra o São Paulo, na final da Copa do Brasil contra o Brasiliense, na goleada incontestável (6 a 2) sobre o Atlético-MG pelo Brasileiro. Esses exemplos são citados na entrevista. Mas há outros que celebram toda aquela jornada. “O Corinthians é um clube com uma demanda igual a da Seleção Brasileira. A pressão é muito grande, com cobrança da torcida, da imprensa. De um modo geral, há a exigência permanente por resultados. O ano de 2002 foi marcante e maravilhoso. E tudo aquilo teve sua razão de ser. A começar pelo trabalho na pré-temporada, que foi fundamental para conhecer os jogadores, estabelecer as prioridades”.

Empate
Dedé voltou aos gramados no empate do Cruzeiro com o Joinville, por 0 a 0, na noite desta terça-feira, em Santa Catarina. Foram 387 dias longe dos gramados. A última partida do zagueiro havia sido no dia 28 de fevereiro de 2016, pelo Campeonato Mineiro, contra o América-MG. Ano passado foram apenas seis jogos, e em 2015, o Mito não atuou, já que se recuperava da primeira das três cirurgias que fez no joelho direito. Ou seja, a partida com o Joinville foi apenas a sétima desde a semifinal da Copa do Brasil de 2014, contra o Santos, na Vila Belmiro, quando Dedé se contundiu. A temporada inteira de 2015 fora dos gramados já havia sido muito desgastante para o zagueiro do Cruzeiro. Com a nova contusão, em fevereiro de 2016, alguns torcedores chegaram a pensar que Dedé não jogaria mais em alto nível. Realmente não foi fácil para o jogador. Ele, além de tratar o lado físico, teve que cuidar também da questão psicológica e ter força mental para suportar um novo ano longe dos campos.

Provável
A notícia do provável retorno de Everton Ribeiro ao futebol brasileiro tem agitado o noticiário nos últimos dias. Após o meia-atacante manifestar o desejo de deixar o Al Ahli, dos Emirados Árabes, o destino do atleta passou a ser tema de discussão. Dono de um dos elencos mais reforçados do país para esta temporada, o Palmeiras não demonstra interesse na contratação. Questionado sobre o atleta em entrevista coletiva nesta quarta, após a vitória por 2 a 0 sobre o Mirassol na arena, o técnico Eduardo Baptista elogiou Everton, mas disse que pensa somente no grupo que tem em mãos.

Qualificado
“O Éverton cabe em qualquer elenco do futebol brasileiro, mas prefiro focar o elenco que tenho. Temos um grupo qualificado e focamos nisso só – resumiu o treinador palmeirense”. Pessoas ligadas ao Verdão ouvidas pela reportagem descartaram qualquer interesse na contratação de Everton Ribeiro. A diretoria do clube entende que o elenco já está suficientemente forte, em especial no meio-campo e no ataque, para a sequência da temporada. Everton está com 27 anos foi eleito o melhor jogador do Campeonato Brasileiro por duas vezes seguidas, em 2013 e 2014, e precisaria acertar com um clube até 4 de abril, quando fecha a janela de registros para transferências internacionais. Pelo Al Ahli, conquistou um campeonato nacional (temporada 2015/2016) e duas Supercopas dos Emirados Árabes (2014 e 2016).

Assistentes
A Conmebol planeja ter assistentes de vídeo a partir da fase de quartas de final da Copa Libertadores da América 2017. Presidente da entidade, Alejandro Domínguez revelou o plano nesta quarta-feira, durante um evento realizado em Portugal que discute justamente a utilização da tecnologia no esporte. “Estamos tendo um investimento muito grande, estamos fazendo um centro de tecnologia para os árbitros. Vamos propor que, desde as quartas de final da Libertadores, tenhamos assistentes de vídeo para o árbitro” anunciou ele. Estavam presentes nesse mesmo evento, por exemplo, Gianni Infantino, presidente da Fifa; Aleksander Ceferin, presidente da Uefa; e Pierluigi Collina, presidente do Comitê de Árbitros da Fifa. Domínguez explicou, ainda, que a medida tem como objetivo dar mais credibilidade à decisão dos árbitros durante as partidas da competição. “Acreditamos que isso vai dar uma assistência, vamos ter inovação, ter credibilidade, e acredito que isso faz bem ao jogo” concluiu ele. A Fifa já havia anunciado que pretende implantar a medida na Copa das Confederações do ano que vem e na Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Pioneira na questão, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) prevê o início dos assistentes de vídeo em competições no país a partir de agosto deste ano.

Pressionado
O Almirante Barroso entrou em campo pressionado por estar na zona de rebaixamento do Campeonato Catarinense. O time do Vale recebeu a Chapecoense nesta quarta-feira, pela terceira rodada do returno e foi para cima dos visitantes. Aos oito minutos, a equipe da casa abriu o marcador com Rosinei e ampliou o placar no primeiro minuto do segundo tempo, com Jefferson Paulista. Com intenção de conquistar a taça do returno e uma vaga na final do estadual a Chape correu atrás do placar e chegou à virada com gols de Nathan, Túlio de Melo e Wellington Paulista. Resultado final: 3 a 2 para o time do Oeste. Lutando contra o rebaixamento, o Almirante Barroso entrou em campo disposto a fazer valer o mando de campo. Aos oito minutos, o time da casa abriu o placar com um belo chute de fora da área de Rosinei, sem chances para Artur Moraes. Com o resultado favorável, a equipe do Vale foi para cima e levou perigo à Chapecoense com bons chutes de fora da área. O Verdão do Oeste esteve longe de ser o time que goleou o Tubarão e criou pouco no primeiro tempo, que terminou 1 a 0.

Implacável
O time da casa começou implacável na segunda etapa e em menos de um minuto ampliou o placar em uma bobeira da zaga da Chapecoense. Rosinei deu um toquinho para Jefferson Paulista que chutou rasteiro para anotar 2 a 0. Vagner Mancini sentiu o mal momento e modificou a equipe. Deu certo. Aos 33 minutos Nathan cabeceou fraco e contou com a ajuda do goleiro Rodolfo para descontar. Um minuto depois, Túlio de Melo aproveitou cruzamento da esquerda e deu toquinho para empatar. O Verdão seguiu pressionando e foi agraciado com a virada no apagar das luzes. Aos 47 minutos, Apodi fez jogada pela direita e encontrou Wellington Paulista sozinho no segundo pau para finalizar de cabeça e virar o placar. Fim de jogo 3 a 2 para a Chapecoense. Com a vitória a Chapecoense chega a sete pontos e dorme na liderança do returno, pois Joinville e Criciúma se enfrentam nesta quinta-feira. O Almirante Barroso segue na zona de rebaixamento do Campeonato Catarinense, com nove pontos.

(*) Wilson Barbosa é jornalista e cronista esportivo. Email: www.wilsonbarbosatreze@gmail.com

Deixe uma resposta