Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Colunistas | Wilson Barbosa | Panorama Esportivo – por Wilson Barbosa

Panorama Esportivo – por Wilson Barbosa

Classificação

Aposta de Rogério Micale, o meia Matheus Sávio foi um dos destaques na vitória brasileira – Foto: CBF/Divulgação

A Seleção Brasileira sub-20 deu um grande passo na tarde deste domingo rumo à sua classificação para a segunda fase do Campeonato Sul-Americano da categoria, disputado no Equador. Diante do Paraguai, em duelo realizado no Estádio Bellavista, na cidade de Ambato, a equipe nacional abriu 3 a 0, mas relaxou e viu o adversário marcar duas vezes no final da partida. No fim, Matheus Sávio, Richarlison e Felipe VIzeu garantiram o triunfo por 3 a 2, enquanto Jesus Medina diminuiu o prejuízo paraguaio. Com o resultado, a Seleção disparou na liderança do Grupo A, com sete pontos ganhos em três jogos, podendo chegar ao hexagonal final até com derrota na última rodada. Os paraguaios, por sua vez, amargam a lanterna da chave, com apenas um ponto, e precisam vencer seus próximos dois compromissos para ficar com uma das três vagas. No encerramento da rodada pelo Grupo A, Equador e Chile empataram por 1 a 1. Maior ganhador do torneio, com 11 títulos, o Brasil encerra sua participação nesta primeira fase diante da Colômbia, na próxima terça-feira, às 22h15 (de Brasília), na cidade de Riobamba. Já o Paraguai volta a campo para enfrentar o Chile, no mesmo dia e local, mas às 20 horas.
Irregularidade
A suposta irregularidade que envolve a documentação do jogador Brendon, do Paulista, na disputa da Copa São Paulo, já superou a esfera esportiva. Na noite deste domingo, em nota oficial, a Federação Paulista de Futebol (FPF) confirmou as investigações envolvendo o caso. Além disso, colocou que Ministério Público e a Polícia estão trabalhando juntos para resolver a situação. “A Federação Paulista de Futebol informa que recebeu denúncia referente a uma suposta irregularidade no registro do jogador Brendon, do Paulista Futebol Clube LTDA. Todas as informações e notícias relacionadas ao caso já estão sendo apuradas com todo rigor pela corregedoria e ouvidoria da FPF, pelo Ministério Público e pela Polícia. Nesta segunda-feira, a FPF voltará a se manifestar com uma definição”, explicou a nota da entidade. A polêmica começou quando o Batatais entrou com ofício na FPF pedindo apuração de uma possível adulteração de idade de Brendon, do Paulista. Segundo a denúncia, o atleta estaria usando os documentos de outra pessoa e não teria idade para disputar a Copinha. Dentro de campo, no confronto entre os semifinalistas o time de Jundiaí sobrou em campo e marcou 5 a 1 na manhã deste domingo.

Polêmica
Em entrevista ao Mesa Redonda, da TV Gazeta, Alberto Luiz de Souza, empresário de Brendon, explicou que conhece o atleta desde o ano passado. Em conversa após a polêmica, ele falou que o jovem assegura a veracidade de seus documentos. “Temos que aguardar o desenrolar, para ver o que vai acontecer, mas o próprio Paulista entrevistou o garoto, falou sobre esse fato. Eu falei também, hoje mesmo, ele citou que não tem nada a ver e não deve nada. O garoto disse que estava tranquilo. O Batatais está no direito de pedir esclarecimentos, é complicado”, afirmou. Representantes do Paulista estiveram na Arena Barueri para acompanhar a definição da outra semifinal da Copinha em que o Corinthians eliminou o Juventus. O clube de Jundiaí aguarda uma posição sobre o caso. O artigo 25 do regulamento da Copa São Paulo fala sobre o caso de atletas atuarem com idade adulterada. “Caso seja comprovado, tanto durante quanto após a realização da Competição, que algum atleta inscrito tenha participado com documentação adulterada ou informação falsa, o Clube do atleta infrator será eliminado da Competição em curso e poderá ser excluído de suas 05 (cinco) próximas edições”, explica o texto.

Jogadores
Após a disputa da Florida Cup, nos Estados Unidos, o Corinthians chega nesta segunda-feira de manhã ao Brasil com uma missão: fazer uma limpa em seu elenco. O técnico Fabio Carille já disse que pretende contar com 28 jogadores (número limite de inscrição no Paulistão), mas atualmente tem 39. A ideia de Carille é ter 24 jogadores de linha e mais quatro goleiros. O número que ele considera ideal para o grupo é justamente o limite de inscritos no Campeonato Paulista, que começa daqui a duas semanas. De acordo com o treinador, o torneio de pré-temporada nos Estados Unidos serviu para “deixar as coisas mais claras” em relação ao grupo. Nos jogos contra Vasco e São Paulo, Carille utilizou 23 jogadores dos 30 que viajaram – apenas o goleiro Diego, os volantes Jean e Ameixa, o meia Rodrigo Figueiredo e os atacantes Mendoza, Luidy e Bruno Paulo não entraram em campo.

Negociar
O Corinthians busca negociar o volante Cristian, que nem entrou na partida contra o Vasco, mas esbarra no alto salário. O também volante Jean está na mira do Atlético-GO, enquanto o zagueiro Yago deve ser emprestado para a Ponte Preta. O Timão ainda procura algum clube interessado no atacante colombiano Mendoza. Enquanto diretoria e comissão técnica trabalham para definir o elenco, Carille terá mais jogadores à disposição ao voltar ao Brasil. O zagueiro Pablo chega por empréstimo de um ano do Bordeaux (FRA) e deve ser anunciado nos próximos. Além disso, o Corinthians pode subir alguns atletas que se destacaram durante a Copinha e negocia as contratações do meia Jadson e do atacante Didier Drogba. Dos atletas que não foram para os Estados Unidos, mas estão no elenco, o goleiro reserva Matheus Vidotto deve ser o único que já fica à disposição após tirar o passaporte europeu. Walter, outro goleiro, ficou em São Paulo para tratar de um edema ósseo pós-contusional do quarto arco costal e também pode já treinar. O meia Danilo se recupera de lesão sofrida no ano passado, Léo Santos, Guilherme Arana, Maycon e Léo Jabá estão com a Seleção Brasileira Sub-20, enquanto Mantuan e Carlinhos disputam a Copinha. Com um elenco inchado de muitos jogadores que não foram aproveitados nem na Florida Cup, a expectativa é de uma nova “limpa” no Corinthians. A missão de reduzir o plantel se intensificará a partir desta segunda-feira.

Reforço
O torcedor do Santos pode comemorar um novo reforço ao ataque para a temporada 2017. Em entrevista neste domingo ao Mesa Redonda, da TV Gazeta, o presidente Modesto Roma confirmou a contratação de Bruno Henrique junto ao Wolfsburg, da Alemanha. “Bruno Henrique vem para nosso time, fechou. Fechou era umas sete e pouco da noite. O Santos comprou, e ele terá contrato de quatro anos”, disse o dirigente. Desde a semana passada, a contratação de Bruno Henrique era dada quase como certa na Vila Belmiro. O Santos teria, inclusive, guardado a camisa 11 em sua numeração fixa para o jogador. Inicialmente, o Santos negociava a chegada de Bruno Henrique por empréstimo, mas os planos mudaram. As bases da negociação não foram reveladas por Modesto Roma.

Experiente
O primeiro jogo da Chapecoense após o acidente aéreo marcou a estreia de Felipe Melo com a camisa do Palmeiras. Sensibilizado com a tragédia vivida pelo clube catarinense, o experiente volante conta ter chorado durante a partida disputada na Arena Condá durante a tarde de sábado. “Para falar a verdade, nem lembro da minha atuação. Várias vezes me peguei chorando no jogo. Nessa partida, não tinha técnica, não tinha físico, não tinha nada. Realmente, foi o momento de relembrar os guerreiros que se foram”, afirmou o volante em entrevista ao Esporte Interativo. Principal contratação do Palmeiras para a temporada de 2017, o ex-jogador da Inter de Milão foi escalado como titular pelo técnico Eduardo Baptista e participou dos primeiros 45 minutos do amistoso disputado em Chapecó, com renda revertida ao clube local. “Quando cheguei, vi algumas crianças chorando e toda a concentração foi embora. Psicologicamente, estava acabado e acho que os companheiros também. É um recomeço para a Chapecoense. A gente fica feliz, porque o clube está renascendo e tem bons jogadores. Torcemos para que possam fazer um bom campeonato”, disse Felipe Melo.

Artilheiro
O Corinthians voltou a mostrar um ótimo nível de futebol na noite deste domingo, na Arena Barueri, derrotou o Juventus por 3 a 0 e chegou a mais uma final de Copa São Paulo de Futebol Júnior. Superior durante todo o jogo, o time contou com mais um gol de Carlinhos, agora artilheiro do torneio com 10 gols marcados. Marquinhos e Fabrício Oya, na etapa final, selaram a grande noite orquestrada por Pedrinho, destaque mesmo sem balançar a rede. A vaga deu ao Timão sua quarta final de Copinha sob o comando do técnico Osmar Loss. Vitorioso em 2015 e derrotado em 2014 e 2016, o comandante tenta fechar com chave de ouro sua participação na base corintiana, já que integrará a comissão técnica de Fábio Carille após o torneio. Caso conquiste a edição dessa temporada, será o décimo título corintiano: “La Décima”, como tem chamado a torcida nas redes sociais. O moral dos atletas está tão em alta que eles puderam receber uma homenagem da torcida presente ao estádio. “P… que legal, se a base fosse o profissional”, enchendo de aplausos os jovens atletas, com destaque, mais uma vez, para Pedrinho, Mantuan e Carlinhos. Com o triunfo, os alvinegros agora vão encarar a equipe do Paulista de Jundiaí, na quarta-feira, aniversário de São Paulo, no estádio do Pacaembu. O time do interior assegurou sua presença na decisão do torneio após golear a equipe do Batatais por 5 a 1, mais cedo, no Jayme Cintra.

Participação
O técnico Fábio Carille aprovou a participação corintiana Copa Flórida, apesar da derrota nos pênaltis para o São Paulo, no sábado, em Orlando, e deixou os Estados Unidos com a convicção de que o 4-1-4-1, consagrado com Tite, será o esquema utilizado por ele no Corinthians. “Plano A vai ser um 4-1-4-1. Com dois meias, vai ser 4-2-3-1, mas só em ocasiões de jogo. Agora tem duas semanas de treinamento, competição entre os nossos jogadores e o importante é isso, que eles se superem para termos os melhores em campo”, avaliou Carille, que considerou os desafios frente Vasco e São Paulo como essenciais para o início do ano. “Para mim, é muito importante. Deixei muito claro a importância de vir para cá e ter jogos difíceis. 2015 e 2016 nós enfrentamos equipes da Alemanha, muito difícil, e isso ajudou no restante do ano. Não adianta pegar equipes de menor qualidade e golear sem testar. Foi muito importante mesmo encarar esses jogos mais difíceis”, avaliou. Com apenas 10 dias de trabalho ao lado do elenco, sendo dois deles jogos e um a viagem para os Estados Unidos, Carille quer aproveitar as próximas duas semanas para trabalhar bastante a parte tática. No clube há oito anos, ele disse que já espera uma cobrança forte da torcida, mas mostrou confiança na sua capacidade.

Confronto
Os dois jogos que o São Paulo disputou na Copa Flórida serviram para Rogério Ceni tirar quase todas as dúvidas que tinha em relação ao time que estreia no Campeonato Paulista, no dia 5 de fevereiro, contra o Audax. A formação utilizada no primeiro tempo dos duelos contra River Plate e Corinthians é considerada a ideal pelo técnico, que adotou o esquema tático 3-4-3 neste início de 2017. A escalação que começou o confronto com os argentinos teve Denis; Maicon, Breno e Rodrigo Caio; Bruno, Thiago Mendes, Cueva e Buffarini; Wellington Nem, Luiz Araújo e Andres Chavez. A única mudança realizada para o Majestoso do último sábado foi a entrada de Douglas no lugar de Breno. Neste sistema, Rodrigo Caio atua como líbero, à frente dos outros dois zagueiros.

Encaixar
Resta saber como Ceni irá encaixar Cícero na equipe titular, já que os atletas do meio-campo agradaram nos dois jogos. Neilton, que também chegou com status de titular, não foi tão bem quando entrou na segunda etapa de ambos os compromissos e pode levar mais tempo para encontrar espaço no time. “Tenho muitos jogadores já definidos, uma ou duas dúvidas. Fico contente por ter mais jogadores para uma posição. E estamos tentando trazer jovens para o São Paulo, pela realidade financeira. E hoje temos 50% do elenco de garotos. a gente investe 2 milhões por mês na base, se você não trouxer um jogador da base, não faz sentido”, afirmou Ceni, que completa 44 anos neste domingo.

Amistoso
O Santos vai perder os atacantes Vladimir Hernández e Jonathan Copete nas atividades dos próximos dias. Isso porque os dois foram chamados pelo técnico José Pékerman para o amistoso entre Brasil e Colômbia, que não contará com atletas do futebol europeu. O treinador argentino fechou a lista de sua seleção com mais quatro nomes, incluindo os atletas do Peixe. Além deles, o volante Cuellar, do Flamengo, e o atacante Teo Gutiérrez, do Rosario Central, também atuarão na partida, que terá renda revertida à Chapecoense, por conta do acidente aéreo sofrido pela delegação no último mês de novembro. Hernández é contratado do Peixe para 2017, mas ainda não foi apresentado, por não contar com o visto de trabalho. Copete, por sua vez, atua no Peixe desde o ano passado, e teve bom desempenho, marcando 10 gols no Campeonato Brasileiro. Assim, já havia sido chamado para duelos das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2018.

Embarque
Devido ao mau tempo na hora do embarque rumo ao Brasil, a delegação do Corinthians não pôde deixar a cidade de Orlando, na Flórida, na madrugada desta segunda-feira. Uma forte tempestade e até mesmo um alerta de tornado fizeram com que os alvinegros esperassem cerca de dez horas no Aeroporto Internacional da cidade. A delegação chegou a embarcar, mas não recebeu autorização para poder decolar e a viagem precisou ser adiada. Os corintianos sairiam de Orlando para irem a Atlanta, antes de seguirem rota para o Aeroporto de Cumbica, em São Paulo. A chegada era prevista para as 8h (de Brasília) desta segunda. Depois de passarem mais uma noite nos Estados Unidos, os 63 membros da equipe que viajaram para o torneio deverão voltar na tarde desta segunda, mas o horário ainda não foi anunciado pelo Corinthians. Na Copa Flórida, a equipe de Fábio Carille venceu o Vasco na semifinal por 2 a 1, mas acabou derrotada nas cobranças de pênalti para o rival São Paulo. Sidão defendeu duas cobranças, enquanto Cássio parou apenas um penal do Tricolor.

Seriedade
O Corinthians passou sem sustos pelo Juventus na noite deste domingo, na Arena Barueri, primeiro duelo contra um clube de fora da Série A do Brasileiro no profissional desde a segunda fase da Copa São Paulo. Após derrotar Coritiba, Internacional e Flamengo, os corintianos exaltaram a seriedade apresentada para fazer 3 a 0 sobre o time da Mooca e não dar chance para uma nova aparição do Moleque Travesso. “É um sonho estar nessa final com a camisa do Corinthians, mas podem ter certeza que nós queremos ir além. Vamos buscar este título para dar alegria para a torcida”, afirmou o atacante Marquinhos, bastante feliz após marcar o segundo gol da partida, em contra-ataque puxado por ele mesmo, no início do segundo tempo. Método “fatal” utilizado pelo técnico Osmar Loss para superar o rival.

Transição
“A gente estudou muito o estilo de jogo do Juventus, sabíamos que seria uma equipe para jogar sempre em transição, sempre aproveitando as roubadas de bola. Então eu fiquei com medo exatamente do que aconteceu no primeiro tempo, que a nossa posse de bola fosse algo sem muita produtividade, ficasse rodando a bola de um lado para o outro sem conseguir ser efetivo”, avaliou o treinador. “Conseguimos fazer o gol ainda no primeiro tempo, ainda bem, para que o jogo se transformasse mais em algo controlado do que a ser decidido apenas pelo emocional. Daí logo no começo do segundo tempo nós conseguimos fazer o segundo gol e, a partir dali, se nós tivéssemos sido um pouco mais efetivos na hora de finalizar, poderíamos até ter decidido o jogo antes”, analisou o comandante.

Decepcionou
O Flamengo decepcionou a torcida em seu primeiro amistoso, perdendo para o Vila Nova-GO por 1 a 0, no Serra Dourada, em Goiânia. O técnico Zé Ricardo comentou o desempenho de seus comandados, e garantiu que tirará lições do duelo, mesmo tratando-se de um amistoso. “Podemos tirar lições do jogo. Precisamos fazer ajustes, pois já temos nossa estreia no Carioca semana que vem”, afirmou o treinador, lembrando do duelo contra o Boavista, no próximo domingo, no Maracanã. Zé também comentou atuações individuais, como por exemplo a do lateral esquerdo peruano Miguel Trauco, que fez sua estreia com a camisa do Rubro-Negro. “Participou muito bem durante a preparação que fez conosco nesses primeiros dias. Hoje, atuou bem e mostrou muita personalidade”, elogiou o comandante, que colocou o reforço na segunda etapa, após utilizar Jorge como titular. O peruano, aliás, foi o único dos reforços do Fla a estrear contra o Vila Nova. O meia Darío Conca ainda se recupera de lesão, e o volante Rômulo ainda não foi utilizado pelo técnico no Serra Dourada.

Detalhes
O Fluminense ajusta os últimos detalhes antes do jogo contra o Criciúma, pela Primeira Liga, na estreia oficial da temporada. Neste domingo, após um breve trabalho na academia, o técnico Abel Braga comandou um treino tático que não foi aberto aos jornalistas. Com a convocação de Gustavo Scarpa para o amistoso da Seleção contra a Colômbia, na quarta-feira, Abel Braga foi obrigado a ajustar uma nova formação no meio-campo do Fluminense para o compromisso em Juiz de Fora. Desta forma, a equipe deve estrear com Diego Cavalieri, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Leo; Douglas, Orejuela e Sornoza; Marcos Júnior, Wellington e Henrique Dourado. A pré-temporada do time carioca chegou ao 19º dia. Nesta segunda-feira, véspera da partida, a tendência é que a comissão técnica comande uma atividade mais leve junto ao elenco. Durante a preparação, o Fluminense realizou três testes em seu time, com três vitórias. As vítimas foram rivais menores do Rio de Janeiro: Madureira (2 a 1), Serra Macaense (6 a 1) e Friburguense (3 a 0).

Golearam
O Botafogo se prepara para o início agitado de temporada e, neste domingo, a equipe realizou um amistoso em Cariacica. Os alvinegros mostraram força e golearam o Rio Branco por 4 a 0. O destaque foi o gol marcado por Montillo, ainda no primeiro tempo. Rodrigo Pimpão marcou duas vezes e Sassá completou o placar. Os cariocas passam a mirar a estreia no Campeonato Carioca, nesta quarta-feira, contra o Madureira, em Moça Bonita. No dia 1º de fevereiro, será a vez do Botafogo enfrentar o Colo-Colo-CHI, pela Libertadores, no estádio Nilton Santos. O Botafogo começou o amistoso com a seguinte escalação: Gatito Fernandez, Jonas, Emerson Silva, Renan Fonseca e Victor Luis; Airton, Rodrigo Lindoso, Bruno Silva e Montillo; Rodrigo Pimpão e Roger.

Minutos
Os alvinegros buscaram o gol desde os primeiros minutos e quase abriram o placar aos quatro minutos, em chute de Roger. Aos oito, o Botafogo chegou ao gol em Cariacica. Jonas recebeu lançamento de Montillo e cruzou. O goleiro Jaime saiu mal e a bola sobrou para Airton. O volante tocou para Rodrigo Pimpão colocar para as redes. O gol não diminuiu a intensidade do Botafogo, que chegou ao segundo aos 11 minutos. Em contra-ataque rápido, Roger lançou Rodrigo Pimpão, que acertou chute de primeira, sem chance para Jaime. Depois do segundo gol, os cariocas passaram a administrar o jogo, principalmente por conta do calor no Espírito Santo. Com isso, o Rio Branco conseguiu equilibrar as ações, mas pouco assustou o goleiro Gatito Fernández.

Defesa
O Botafogo seguia sendo perigoso quando atacava e quase marcou aos 33 minutos, em chute de Rodrigo Pimpão, que parou em grande defesa de Jaime. Aos 41, porém, os alvinegros chegaram ao terceiro gol. Montillo foi lançado e chutou cruzado, sem chance para o goleiro do Rio Branco. No segundo tempo, o técnico Jair Ventura mudou a equipe inteira do Botafogo, que foi a campo com a seguinte formação: Helton Leite; Marcinho, Marcelo, Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, Dudu Cearense, Camilo, Pachu e Leandrinho; Sassá. Os cariocas não demoraram para marcar e, aos cinco minutos, chegaram ao quarto gol. Sassá recebeu passe na área e chutou no canto. Após o bom início, o Botafogo passou a ter dificuldade em criar boas jogadas. Somente aos 23, os alvinegros desperdiçaram a chance de aumentar. Marcinho cruzou pela esquerda e Pachu cabeceou no travessão. Com o passar do tempo, o Rio Branco tentou avançar, mas deixava espaços na defesa. O Botafogo aproveitava para contra-atacar e teve outra boa chance aos 32 minutos, em chute de Sassá. Na parte final do jogo, o técnico Jair Ventura ainda colocou o volante Fernandes e o meia Gustavo, nas vagas de Dudu Cearense e Camilo, respectivamente. O Botafogo optou por administrar o resultado para evitar problemas antes da estreia no Campeonato Carioca.

Repercutir
Após vencer o River Plate, da Argentina, por 1 a 0 e ficar com o terceiro lugar da Copa Flórida, o Vasco foi às redes sociais repercutir o triunfo. O que não se esperava, mas que ainda acontece, são os insultos racistas. Um perfil, aparentemente argentino, respondeu o Gigante da Colina no Twitter com extrema infelicidade: teve racismo e citação, com muito mau gosto, à Chapecoense. A resposta do Cruzmaltino foi rápida. O perfil oficial da equipe do Rio de Janeiro fez questão de lembrar que o clube foi o primeiro a abrir as portas aos negros, além de dar apoio aos operários à época. Em pouco tempo, a publicação ganhou força com a solidariedade de clubes do Brasil e até mesmo de Portugal. Muitos deixaram a rivalidade de lado e procuraram reiterar que não existe espaço para atitudes do gênero – existindo, todos entrarão juntos na causa. Corinthians, Palmeiras e Atlético-MG estão entre os que fizeram questão de dar apoio. O apoio veio também do futebol europeu. O Belenenses, de Portugal, foi outro clube a se manifestar contra o ato.

Libertadores
A Copa Libertadores da América começa a ser disputada nesta segunda-feira em uma nova etapa de sua história. Em 2017, a competição ganhou mais clubes – 42 no total -, duração até o fim do ano e outras mudanças importantes. Por enquanto, os brasileiros classificados (Palmeiras, Santos, Flamengo, Atlético-MG, Grêmio, Atlético-PR, Botafogo e Chapecoense) apenas vão observar o confronto entre seis times que disputam a etapa inicial do torneio. Para o Deportivo Municipal, do Peru, a Libertadores representa um momento muito especial. A equipe somava 35 anos ausente do torneio e agora iniciará em casa o confronto contra o Independiente del Valle, do Equador, atual vice-campeão continental. “Não tenho dúvida que eles são os favoritos. Vamos com humildade buscar um bom resultado”, ponderou o técnico do time peruano. Ao público brasileiro, haverá uma presença conhecida no confronto entre Deportivo Capiatá, do Paraguai, e Deportivo Táchira, da Venezuela. Diego Gavillán – ex-Internacional, Grêmio, Flamengo e Portuguesa – estará no comando da equipe paraguaia. “Estamos ansiosos para jogar a Libertadores”, avisou. O Deportivo Táchira, em sua 19ª participação, carrega o desafio de buscar seu melhor desempenho na história. Em 1989, 1991 e 2016, o clube venezuelano – considerado o mais tradicional de seu país na Libertadores – conseguiu ficar entre os 16 melhores da América do Sul.

Homenagem
A terceira edição da Taça Ariano Suassuna foi disputada na tarde deste domingo. Na Arena Pernambuco, após empate por 1 a 1 no tempo normal diante do boliviano The Strongest, o Sport levou a melhor na decisão por pênaltis ao fazer 4 a 2. Criada em homenagem ao escritor paraibano Ariano Suassuna, torcedor fanático do Sport falecido em 2014, a disputa foi realizada pela terceira vez. Nas duas primeiras edições, o time rubro-negro ganhou do Nacional-URU e do Argentinos Juniors. O Sport inaugurou o marcador na Arena Pernambuco logo aos 10 minutos do primeiro tempo. Everton Felipe recebeu de Ronaldo Alves pela direita e cruzou na primeira trave. Inteligentemente, Rithely esticou a perna direita e tocou de bico para o fundo do gol boliviano. O time pernambucano passou a jogar em inferioridade numérica a partir dos 26 minutos, quando Ronaldo Alves cometeu falta em cima de Pablo Escobar e recebeu o cartão vermelho. O zagueiro era o último homem e evitou que o adversário ficasse na cara do goleiro Magrão.

Temporada
A expulsão de Ronaldo Alves comprometeu a estreia de Leandro Pereira, campeão brasileiro pelo Palmeiras na temporada de 2016. Com um homem a menos em campo, o técnico Daniel Paulista resolveu colocar Matheus Ferraz no lugar do centroavante para recompor a defesa. O Strongest conseguiu chegar ao empate na Arena Pernambuco um minuto antes do final do primeiro tempo. Em cobrança de escanteio pelo lado esquerdo, após desvio na primeira trave, a bola sobrou limpa perto da marca penal para arremate certeiro de Marvin Bejarano. Sem limite de alterações no amistoso, o técnico Daniel Paulista trocou o time inteiro no intervalo, promovendo as estreias de Marquinhos e Raul Prata. Paulo Henrique, mais um reforço, entrou durante a etapa complementar, mas o placar permaneceu inalterado e a decisão foi para os pênaltis. Nas cobranças, Matheus Ferraz, Lenis, Paulo Henrique e Marquinhos converteram para o Sport. Henriquez perdeu. Pelo Strongest, anotaram Martelli e Checa. Valverde e Chumacero desperdiçaram. Assim, a equipe rubro-negra ganhou a disputa por 4 a 2.

Celeste
Depois de vencer o Águia por 7 a 0 em jogo-treino durante a semana, o Cruzeiro realizou mais um teste neste domingo. O Celeste venceu o Araxá, time de Módulo 2 do Campeonato Mineiro, por 3 a 0 em jogo-treino na Toca da Raposa II. A partida teve três tempos de 30 minutos. No geral, o jogo foi marcado por um ritmo muito intenso e até algumas entradas fortes. Os comandados de Mano Menezes atacaram mais e criaram mais chances de gols, entretanto o Araxá conseguiu fazer alguns bons ataques. A grande ausência foi do recém-contratado Thiago Neves. O Cruzeiro começou a partida com Rafael no gol; Ezequiel, Léo, Manoel e Diogo na zaga; Henrique, Cabral, Robinho, Arrascaeta e Rafinha no meio de campo; e Rafael Sóbis no ataque. A Raposa começou jogando melhor e utilizando muito Ezequiel e Robinho pelo lado direito do campo. No primeiro tempo, o Celeste ficou mais no ataque e o gol saiu aos 29 minutos após jogada de Ezequiel na direita e finalização de Sóbis. Um dos lances que chamou a atenção foi um choque entre Rafael e o atacante Itamar.

Escalou
O goleiro sofreu um corte na cabeça e quebrou um dente e, como consequência, foi substituído para a entrada de Lucas França. Para a segunda etapa, Mano Menezes escalou o time com Lucas França no gol, Mayke, Caicedo, Murilo e Fabrício na defesa; Romero, Hudson, Élber, Marcos Vinicius e Alisson no meio; e Ábila no ataque. O segundo gol da partida foi marcado por Ábila, que recebeu passe de Élber e mandou uma bomba. No segundo tempo, Raniel entrou no lugar de Marcos Vinícius, que chegou a receber atendimento médico. Após o jogo foi informado que o meio-campista sofreu uma torção leve no tornozelo direito e não preocupa Para o último tempo, Mano colocou Bryan no lugar de Fabrício. O terceiro gol da Raposa veio aos 17 minutos do terceiro tempo com um chute de fora da área de Alex, que havia substituído Élber.

Confiança
O Internacional ficou longe de empolgar no empate deste sábado no jogo-treino contra o Inter de Lajes, situação que preocupa a sua torcida. Mas o técnico Antônio Carlos Zago assegura confiança total no elenco e avisa que já tem uma base para iniciar a temporada 2017. “Pretendemos darmos uma cara nova à equipe. Já tenho uma equipe que penso em iniciar o Gauchão, tenho uma base, o que é o mais importante”, avaliou o comandante. No primeiro tempo da atividade deste sábado, o Inter atuou com: Danilo; Ceará, Neris, Ernando e Uendel; Dourado, Eduardo Henrique, Andrigo, Gustavo Ferrareis e Aylon (Brenner); Nico López. Para a etapa complementar, o time jogou com Marcelo Lomba; Charles, Eduardo, Léo Ortiz e Artur; Anselmo (Junio), Fernando Bob, Diego, D’Alessandro e Seijas; Roberson. A estreia oficial do Colorado em 2017 será contra o Veranópolis, fora de casa, pelo Gaúcho, no domingo que vem. Antes, porém, haverá mais um jogo-treino, desta vez contra o Tubarão, de Santa Catarina.

Volante
O Atlético-MG tem a contratação de um volante como uma das prioridades para 2017, e pode estar perto de acertar com o volante Elias, ex-Corinthians e Flamengo, atualmente no Sporting, de Portugal. De acordo com informações do jornal A Bola, o Galo está próximo de finalizar a negociação com os portugueses. A publicação afirma que os mineiros pagarão entre três e quatro milhões de euros (entre R$10 milhões e R$13,5 milhões) para ter o volante, de 31 anos. Em seu atual clube, Elias não é titular absoluto, tendo participado de oito dos 18 jogos no Campeonato Português. No empate contra o Marítimo, no último sábado, o ex-corintiano não foi nem relacionado para o duelo. A busca do Atlético-MG por um volante é intensa, já que o elenco perdeu duas opções que atuavam com frequência em 2016. Leandro Donizete foi para o Santos, enquanto Júnior Urso voltou para o futebol chinês. Além de Elias, especula-se também que o Galo também tem interesse em Claudio Baeza, do Colo-Colo, do Chile. O atleta tem contrato com seu clube até o meio do ano e a renovação ainda não aconteceu. Sendo assim, o atleta já pode assinar um pré-contrato com outra agremiação, e os mineiros podem ser essa equipe.

Goleiro
Já se passaram 54 dias do acidente que vitimou 71 pessoas na Colômbia. E, entre os sobreviventes, apenas Follmann ainda está internado, em Chapecó. Em entrevista ao “Fantástico”, o goleiro falou pela primeira vez sobre a tragédia. O jogador da Chapecoense teve a perna direita amputada, perdeu um osso do tornozelo esquerdo e foi submetido a uma delicada cirurgia cervical. “Eu lembro quando o avião se desligou, as luzes se apagaram. Vi que alguma coisa estava errada. O avião não chegou a cair. Depois que desligou ele começou a flutuar devagar. No momento do choque eu não lembro, eu apaguei. Foi muito rápido. Lembro de ter acordado (antes do resgate), sim. Abri os olhos, estava muito escuro, estava muito frio. Eu tremia de frio. Eu gritava “socorro, eu não quero morrer”. Alguns dos amigos, que ainda estavam vivos, também gritavam. Eu ouvi o resgate chegando gritando polícia nacional. Follmann acordou quatro dias depois, já com a família no quarto do hospital em Medellín. “Minha mãe entrou e falou comigo. Foi difícil (chora na entrevista). Foi ali que eu acordei. Eu chorava muito, foi quando eu abri os olhos”. O sobrevivente deve receber alta na terça-feira. O planejamento é ir no dia 30 para São Paulo, onde colocará uma prótese na perna direita. O objetivo agora, além da recuperação, é o casamento. “A gente vai casar, sim. Quando voltar para a minha vida normal, pode ter certeza que a gente vai casar”.

Reformular
Foram 30 dias de muito trabalho. Na última sexta-feira, Pedro Abad completou um mês como presidente do Fluminense. Período suficiente para ele perceber que a situação financeira do Tricolor é pior do que ele imaginava. A primeira medida foi reformular a estrutura do futebol. A economia até agora, com a saída de 30 jogadores (a grande maioria por empréstimo), representa R$ 1,2 milhões por mês – 15% da folha salarial – ou aproximadamente R$ 15 milhões ao ano. Mas não adianta a torcida se empolgar com os números: não há dinheiro sobrando nas Laranjeiras para investimentos neste momento. “A situação financeira não é confortável. Na verdade, nunca foi e continua não sendo. O trabalho de reestruturação será muito forte no futebol, no sentido de parar de gerar uma ciranda financeira problemática. Espero que daqui a dois ou três anos a gente esteja livre desse tipo de pressão financeira de não poder contratar reforços. O equacionamento da dívida existe, mas ele ainda não resolveu” disse Abad em entrevista exclusiva ao GloboEsporte.com.

Novidades
Com uma legião de tricolores impaciente por novidades, o presidente tem passado de 10 a 12 horas por dia nas Laranjeiras. E ainda concilia as atividades no Flu com seu trabalho como auditor da Receita Federal. Quando a nova diretoria assumiu, eram 64 jogadores entre aqueles que já estavam no elenco, os que voltavam de empréstimo e os juniores que estouraram a idade. Atualmente, 34 atletas treinam diariamente no CT Pedro Antônio. Novos reforços, segundo Abad, só devem chegar para a disputa do Campeonato Brasileiro. “Toda essa economia que estamos fazendo é necessária para o funcionamento do clube. Não significa que ela será investida em novos jogadores. Neste momento, a ideia é reduzir ao máximo e depois buscar reforços” frisou. Nos últimos 30 dias, Abad pouco falou com a imprensa. Em sua primeira entrevista exclusiva, o foco foi a situação financeira do clube. O presidente falou sobre a dificuldade na busca por reforços, afirmou que não tinha noção real dos problemas quando era presidente do Conselho Fiscal, mostrou ressalvas à forma como o futebol era conduzido na gestão Peter Siemsen, por mais que tenha evitado críticas pesadas, e garantiu que a necessidade de arrecadar dinheiro não vai pressionar a busca por fornecedor e patrocinador.

Estiramento
O Real Madrid divulgou na manhã desta segunda-feira o diagnóstico das lesões de Marcelo e Modric, que foram substituídos na vitória da equipe sobre o Málaga por 2 a 1 no último sábado. O lateral brasileiro é quem teve a pior notícia: com um estiramento de grau dois no bíceps femoral esquerdo confirmado, ele deve desfalcar o time de Zinédine Zidane por até um mês, perdendo jogos importantes como o confronto com o Napoli, pela Liga dos Campeões, a partida de volta da Copa do Rei contra o Celta de Vigo, além de outros cinco encontros pelo Campeonato Espanhol. O meia Modric, por outro lado, deve retornar rapidamente aos gramados. Isso porque o exame do croata apontou apenas uma sobrecarga no músculo adutor da perna direita, sendo recomendado apenas repouso para recuperação. É esperado que ele volte a atuar em 10 dias e esteja apto para enfrentar o Napoli, no confronto de ida pela Liga dos Campeões. Na partida do último sábado, Marcelo foi substituído por Isco. Porém, Zidane deve optar pela entrada de Danilo na lateral direita e passar Nacho Fernández para o lado esquerdo, sua posição original, sem precisar de improvisações no setor. Kovacic deve ganhar a vaga de Modric no meio-campo da equipe para os próximos jogos.

Potencial
O sonho da maioria dos que gostam de esporte é tornar-se um jogador profissional. As famosas “peneiras” são caminho obrigatório para que isso possa se tornar realidade. Muito comuns no futebol, foi no futsal que um desses testes atraiu uma verdadeira multidão para avaliar o potencial de um possível futuro parceiro do craque Falcão, no Sorocaba Futsal. Através de uma rede social, o clube convocou os interessados para comparecerem na Arena Sorocaba, no interior paulista, no último fim de semana para algumas avaliações. Para a surpresa da direção do time, mais de mil garotos entre 16 e 20 anos apareceram para os testes. Por conta do grande número de participantes, a peneira se estendeu por mais de 12 horas. Para o ex-fixo Ricardinho, que aposentou no fim da temporada e agora é auxiliar técnico de Fernando Ferretti no time profissional, o longo período de avaliações foi aproveitado da melhor maneira possível na busca por novos talentos. “Foi um sucesso. Vieram garotos de todo o país. Demos tempo a todos para mostrarem seu potencial e selecionamos nomes para a fase final. Vários ficaram pelo caminho, mas tenho certeza que teremos vários jogadores para o futuro do nosso futsal” disse o agora auxiliar técnico Ricardinho.

Divulgação
Desde a divulgação do interesse do Flamengo em Romulo pelo GloboEsporte.com em 6 de dezembro ao anúncio oficial (13 de janeiro), foram 38 dias de espera. A novela angustiou rubro-negros nas redes sociais até que apareceu o mensageiro da “nação”. Daniel Brito, “irmão de coração” do volante, passou a responder mensagens privadas no Instagram para diversos torcedores e os encheu de esperança. Afirmava a muitos que o acerto era questão de tempo. Daniel, cuja amizade com Romulo tem origem nos fortes laços entre os pais da dupla (Getúlio e José Williami respectivamente), acabou acolhido pela torcida diante de toda a predisposição em acalmá-los durante a negociação. Com a aceitação, reativou o Twitter, ferramenta que não utilizava desde 2013. Lá, seguidores descobriram seu time de infância: o arquirrival Vasco. E mais: um post comprometedor, no qual torcia pelo rebaixamento do Flamengo em 2010. Nem assim perdeu o apoio da “FlaTwitter”, a quem fez referência no Instagram após seu “irmão” ser anunciado pelo clube. A lábia de advogado o ajudou a minimizar o “contratempo”. “Virei uma espécie de mensageiro. No Twitter, eu praticamente não tinha seguidores. Tinha usado em 2010, 2011, mas tinha largado. Vi que agora, duas semanas depois, estou com quase três mil seguidores. A torcida é realmente muito grande e meio que me abraçou. No Instagram, ganhei acho que uns 500 seguidores (risos)”.

Passagens
Jogadores de futebol costumam guardar camisas, chuteiras, faixas, fotos e outros materiais, que servem para contar suas histórias no futebol. Sicupira, maior artilheiro da história do Atlético-PR e com passagens por Botafogo e Corinthians, é a exceção que foge à regra. Não guarda muitos objetos de sua carreira. Tem em casa, em um bairro próximo ao centro de Curitiba, apenas uma camisa (presente dado pelo Furacão em 2011), dois quadros, dois álbuns de fotos e mais alguns poucos materiais. Barcímio Sicupira Júnior, hoje com 72 anos, talvez prefira ele mesmo contar suas histórias, sem depender de mais nada além da memória. “O pessoal vinha aqui, pedia camisa para alguma gincana e acabava não devolvendo” explicou, aos risos, antes de conceder a entrevista ao GloboEsporte.com. A falta de objetos antigos não apaga o passado do ex-meia. Ele começou a carreira no Ferroviário (uma dos clubes que formou o Paraná Clube posteriormente) no início dos anos 60. Depois, passou por Botafogo, Botafogo-SP, Atlético-PR e Corinthians. Voltou para o Rubro-Negro paranaense e, em 1975, pendurou as chuteiras com apenas 31 anos de idade. Mais de quatro décadas depois, Sicupira guarda muitas lembranças, muitas histórias e muitos causos de sua carreira. Conta, por exemplo, o dia em que ficou com apenas metade do bigode. Ou quando participou de uma excursão que terminou com o time – formado por ex-atletas – festejando uma vitória em uma casa de entretenimento adulto.

Ambiente
Última rodada do primeiro turno do Brasileirão, em agosto do ano passado. Com o Palmeiras vivendo seu momento de maior instabilidade no torneio, Cuca buscou mudar o ambiente do Verdão e decidiu dar ao atacante Dudu a simbólica faixa de capitão. A atitude deu tão certo que o jogador foi o responsável por levantar a taça de campeão meses depois. Agora em 2017, com Eduardo Baptista no comando, ele foi mantido com a braçadeira mesmo após o retorno do experiente goleiro Fernando Prass, de 38 anos. “Muito feliz por isso, por todo o trabalho do ano passado. Acho que fui muito bem de capitão. Agradeço a confiança do treinador, do Alexandre (Mattos) e do presidente. Começar o ano como capitão foi muito importante para mim. Espero que este ano possa ser bom como foi o ano passado” disse o atacante. Além de Dudu, o Palmeiras conta hoje com um elenco experiente e que exercem liderança no alviverde. Zé Roberto, capitão do título da Copa do Brasil de 2015, Fernando Prass, Alecsandro e Felipe Melo são alguns desses jogadores.

Respaldados
O Grêmio tem sido protagonista às avessas nesta janela de transferências. Sem dinheiro para investir, busca nomes que causam controvérsia na torcida, apesar de respaldados internamente, caso por exemplo de Jael. Mas é justamente este respaldo do técnico Renato Portaluppi que pode dar esperanças para a torcida em melhora do elenco mesmo sem os chamados grandes nomes indicados pelo próprio treinador, conforme ele admitiu em entrevista coletiva. Muito acima de questões táticas, é a maneira na qual ele gere o elenco. Na mesma entrevista, Renato foi perguntado sobre qual seria o seu segredo na hora de lidar com os jogadores para tirar o melhor deles. Já foi assim em outras passagens no Grêmio e até no ano passado. Ramiro e Marcelo Oliveira, por exemplo, melhoraram seu rendimento sob o comando do ídolo gremista. No caso de reforços, rotina semelhante ocorreu em 2010. Nomes como Diego Clementino e Paulão foram indicados por Renato e contratados pelo clube. E tiveram sucesso imediato. Esta é a aposta para Jael, centroavante que fez 12 gols em 24 jogos com o técnico no Bahia, e Cortez, lateral-esquerdo que negocia para ser contratado.

Preparação
O Vasco retorna ao Brasil nesta segunda-feira depois de vitórias sobre o Barcelona-EQU, River Plate e uma derrota para o Corinthians, pelo Torneio da Flórida. Na bagagem há ainda a avaliação de que o período nos Estados Unidos foi importante para a preparação do time, que enfrentou clubes de tradição e mostrou competitividade. Para o goleiro Martín Silva, o Vasco está no caminho certo. O uruguaio lembrou que o regime de concentração também foi importante para os jogadores se ambientarem com a forma de trabalho do técnico Cristóvão Borges. O arqueiro espera que até a estreia no Carioca, domingo, contra o Fluminense, no Engenhão. “O torneio foi muito bom para conhecermos o trabalho do Cristóvão. Isso era o mais importante. É bom começar a competir logo contra grandes times para vermos como está nosso trabalho. Podemos corrigir erros antes de começarmos o Carioca. Foi também uma experiência muito boa para os garotos, que jogaram partidas internacionais. Estamos no caminho certo” afirmou o uruguaio. Durante o Torneio da Flórida, Cristóvão fez algumas observações no setor defensivo, mas manteve a base do setor com Martín, Luan e Rodrigo, além dos volantes Evander e Julio dos Santos. Para o goleiro, o grande entrosamento é mais um motivo para acreditar em bons resultados. “É sempre bom começar já com um time entrosado. Nos conhecemos bem na defesa, e isso é muito importante, um passo à frente” finalizou. A equipe terminou em terceiro o Torneio da Flórida, que teve o São Paulo como campeão. Nesta terça-feira o elenco retoma o trabalho em São Januário.

Companheiros
O Inter está há poucos dias de seu retorno das atividades. Em Viamão, no resort que abriga o clube para a realização da pré-temporada, um capítulo deste 2017 atípico ficou claro, em jogo-treino empatado com o Inter de Lages. D’Alessandro voltou e, mesmo após um ano longe, já recuperou a ascendência entre os companheiros. A maior parte das orientações, as cobranças à arbitragem – sim, em jogo-treino – e os incentivos sempre saem com um sotaque castelhano. A faixa de capitão está de volta ao seu braço, embora não a tenha usado na atividade do último sábado. O argentino agora divide o posto com Rodrigo Dourado, o vice-capitão, jovem e formado nas categorias de base do clube. Sua presença no campo do CT do hotel mudou o ambiente. No primeiro tempo do jogo-treino, poucos gritos, justamente de Dourado. Foi só o camisa 10 entrar para todo o time, completamente modificado, passasse a ser mais comunicativo em campo. “É um jogador que queríamos neste ano. Não sei o que aconteceu ano passado, mas importante é que temos o D’Ale este ano. É um jogador diferente. Está entre os três maiores jogadores de todos os tempos do Inter. Se prepara muito bem, chama atenção, é um líder e lógico que quando tem jogadores diferenciados, tudo acontece de uma forma mais natural” comentou Antônio Carlos Zago.

Atacante
Recuperado de caxumba, Ricardo Oliveira deve se reapresentar ao Santos nesta quarta-feira. Por conta da doença, o atacante ainda não treinou com os companheiros neste ano e perdeu duas semanas de atividades na pré-temporada. O camisa 9 está em boas condições. Ele fez um exame na última quinta-feira e aguardava liberação para retornar aos trabalhos.
Para recuperar o tempo perdido, Ricardo Oliveira passará por cuidado especial no departamento médico do Peixe. O clube espera que ele retorne bem. Isso porque, mesmo nas férias, o atleta de 36 anos treinou forte para manter a forma. Ainda assim, o centroavante será desfalque no jogo-treino contra o Nacional-SP, nesta terça-feira, no CT Rei Pelé, e no amistoso contra o Kenitra, do Marrocos, neste sábado, às 18h30 (de Brasília), no Pacaembu. Apesar das dificuldades, a ideia do Santos é ter Ricardo Oliveira à disposição para a estreia no Campeonato Paulista, dia 3, às 21h (de Brasília), contra o Linense, na Vila Belmiro.

Comunicado
O Hull City emitiu um comunicado na noite deste domingo para esclarecer o estado de saúde de Ryan Mason, jogador que foi levado a um hospital de Londres após sofrer um choque de cabeça com Cahill, do Chelsea, durante partida realizada mais cedo e vencida pelos Blues. Ao contrário de notícias especuladas por tabloides ingleses de que Mason estaria entre a vida e a morte, o comunicado diz que o jogador está estável e que foi submetido a uma cirurgia no crânio por conta de uma fratura no local. O procedimento foi realizado no Hospital St Mary, um dos mais renomados de Londres. O Hull City acrescentou que Mason deve permanecer no hospital nos próximos dias e agradeceu o apoio. “Todos no clube gostaríamos de agradecer os excelentes cuidados prestados ao Ryan”, diz um trecho do comunicado. Por fim, o Hull City garantiu ainda que fará uma atualização sobre o estado de saúde do meia de 25 anos nesta segunda-feira.

Vaiado
O Fortaleza saiu vaiado pela torcida na última rodada. Desta vez, cresceu contra o principal rival e com um golaço de Gabriel Pereira, no segundo tempo, venceu o primeiro Clássico-Rei de 2017. Neste domingo (22), o Leão do Pici venceu o Vovô por 1 a 0 e retomou a liderança do Campeonato Cearense. No fim, diferente dos últimos jogos, fez a alegria do torcedor na Arena Castelão. A decisão do primeiro Clássico-Rei de 2017 ficou nos pés de um jovem atacante de apenas 19 anos. No segundo tempo, Gabriel Pereira avistou Éverson adiantado e não pensou duas vezes. Dominou a bola e encobriu o goleiro do Ceará. Baita visão de jogo. Que golaço na Arena Castelão! Não perca as contas. No primeiro tempo, foram seis cartões amarelos, três para cada lado. No fim, ainda deu tempo de um jogador de cada time ser expulso. No total, Cinco cartões amarelos e um vermelho para o Leão e quatro amarelos e um vermelho para o Vovô. Para o segundo tempo, não houve alterações em nenhum dos times. Mas quem entrou em campo, veio com vontade de atacar. O gol adversário, diga-se. Em dez minutos, muitas chances para os dois lados.

Expulso
Mas a melhor foi com Douglas Baggio, que perdeu uma chance claríssima após bom passe de Magno Alves. Até que Lelê simulou uma falta dentro da área e levou o segundo amarelo, sendo expulso e deixando o Vovô com um a menos. Foi aí que a estrela do jovem atacante brilhou. Após lançar a bola na área do Vovô, Éverson espalmou e a bola sobrou para Gabriel Pereira, que dominou e encobriu o goleiro do Vovô. Golaço na Arena Castelão. O Fortaleza ainda teve Gastón expulso nos minutos finais, mas nada que mudasse o rumo da partida. Faltou futebol e sobrou cartão. Foram seis amarelos, três para cada lado, somente nos primeiros 45 minutos. O primeiro Clássico-Rei do ano foi bastante pegado. Muitas faltas e raras chances de gol. Em um jogo com muitas faltas, Felipe Menezes, pelo lado alvinegro, e Rodrigo Andrade, pelo tricolor, eram os que mais pensavam com a bola nos pés. Foram com eles que os times esboçaram os lances de maior perigo. Mas ficou tudo no rascunho. Com o resultado, o Fortaleza é líder com sete pontos. Já o Ceará é oitavo, com apenas três. Na próxima rodada do estadual, o Fortaleza encara o Horizonte, no Domingão, no domingo (29), às 16 horas. No mesmo dia, o Ceará recebe o Guarany de Sobral, no Castelão, um pouco mais tarde, às 18h30.

Dopados
A medalha de prata nos Jogos de Londres, em 2012, pode se transformar em um ouro para a seleção brasileira. Neste domingo, durante o Esporte Espetacular, o repórter Marcos Uchôa revelou que sete jogadores russos que atuaram na final estavam dopados. A informação partiu de Giba, capitão da seleção naquela Olimpíada e presidente da comissão de atletas da Federação Internacional de Vôlei. De acordo com Giba, após a comprovação do doping dos russos, que não tiveram seus nomes revelados, o Brasil pode tentar herdar a medalha de ouro. O GloboEsporte.com entrou em contato com a assessoria da Federação Internacional de Vôlei, que afirmou não ter conhecimento ainda do caso. “Essa segunda medalha de prata, de Londres, pode virar uma de ouro. Porque sete jogadores russos foram pegos no antidoping, está provado agora que eles jogaram dopados a final. E o Giba vai ter um papel importante agora nesse processo” disse Uchôa. A hipótese de que jogadores russos tenham jogado a final em Londres dopados foi levantada em meio ao escândalo de doping do país. À época, em comunicado oficial, o presidente da FIVB, Ary Graça, afirmou que a entidade não iria tolerar qualquer irregularidade comprovada. Giba afirmou que vai viajar para a sede da FIVB, em Lausanne, na Suíça, para entrar com o processo para solicitar o ouro.

Mudança
A convocação do meia Diego Souza para o amistoso da seleção brasileira contra a Colômbia, na próxima quarta-feira, vai tirar o camisa 87 do Sport da estreia do clube na Copa do Nordeste, no mesmo dia, contra o Sampaio Corrêa. Como é peça fundamental no time do técnico Daniel Paulista, existe a chance de uma mudança de esquema para o duelo contra os maranhenses. “Temos a situação de trocar jogadores e temos também uma possibilidade de alguma mudança de esquema. Vamos aguardar todos os jogadores que estão em condições de jogar. A decisão de Daniel Paulista será baseada em dois fatores. O primeiro é o desempenho dos jogadores nos treinamentos dos dias que antecedem a partida, além da análise que vai fazer do Sampaio Corrêa. “Tem treino na segunda e terça e vou analisar o Sampaio. Temos alguns dados para observar e vamos ver como a equipe deles joga. Com isso, a ideia é fazer uma boa partida na quarta-feira e começar o ano vencendo”. Em condições normais e pelo que vem fazendo nos treinamentos, Diego Souza seria substituído por Fábio, mas existe também a chance de Marquinhos ser utilizado ou até o volante Neto Moura, fazendo com que o esquema se modifique em relação ao que vem sendo utilizado.

Nordeste
O torcedor do Santa Cruz pode se acostumar com o novo time titular para a temporada 2017. Quem esteve no Arruda no último sábado, para o amistoso contra o Paysandu, viu o que o técnico Vinícius Eutrópio considera como a equipe base e que deve começar jogando no primeiro jogo oficial do Tricolor no ano. Na quarta-feira, o Tricolor vai até Campina Grande, onde enfrenta o Campinense, pela primeira rodada da Copa do Nordeste. Se nada de excepcional acontecer nos dois dias de treinamentos que Eutrópio comandar até o jogo, a tendência é que o Santa Cruz entre em campo com Julio Cesar; Vítor, Jaime, Bruno Silva e Eduardo Brito; Elicarlos, David e Leo Costa; Everton Santos, Thiago Primão e André Luís. “Esse provavelmente será o time base para o jogo contra o Campinense” deixou claro Eutrópio. Na pré-temporada, ele mostrou dúvidas em duas posições. Nas pontas do ataque. Pelo lado esquerdo Everton Santos e Thomás brigaram por uma vaga e o primeiro ganhou a disputa. Assim como Thiago Primão ganhou a briga com Wiliam Barbio do lado direito. “Everton teve um poder de entendimento pelo que a gente estava treinando com as jogadas de linha de fundo. Ele estava bem na profundidade. Primão vinha bem por dentro. Eu quis mesclar isso. Ganhar posse com Primão e profundidade com Everton. Acho que é a dupla que casa melhor”.

Condição
Joazi tem só 20 anos, mas disse que se vê mais maduro no Náutico. Também, pudera. No ano passado, ele ganhou experiência ao participar de 36 dos 38 jogos do time durante a Série B. Agarrou a camisa 2 e não soltou mais. Nesta temporada, começa na mesma condição e se vê pronto até para passar conselhos, como acontece com o lateral-esquerdo Manoel, que pode estrear como profissional. “A gente mora no mesmo alojamento e conversamos bastante sobre isso, sobre os jogos, sobre marcação. Eu sempre dou dicas a ele e a gente vai se ajudando”. Manoel também tem 20 anos. Mas ainda não teve experiência de estrear como profissional. O técnico Dado Cavalcanti, inclusive, revelou esse cuidado em aconselhar os seus três laterais-esquerdos (além de Manoel, tem João Paulo e Igor Neves) que também nunca entraram em campo profissionalmente. “O ano de 2016 foi importante para mim. Eu joguei vários jogos, tive sequência e amadureci como atleta. Creio que agora vai ser bem melhor”. Joazi, que jogou no ano passado com Gilmar Dal Pozzo, Gallo e Givanildo Oliveira, disse que vem procurando se adaptar ao modelo de Dado Cavalcanti. “A gente está fazendo sempre o que Dado pede. São formas de jogos diferentes, táticas diferentes e a gente vai se adaptando a isso. Estamos querendo que tudo funcione no jogo e acho que vai dar certo”.

(*) Wilson Barbosa é jornalista e cronista esportivo. Email: www.wilsonbarbosatreze@gmail.com

Deixe uma resposta