Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Novembro Roxo: Maternidade realiza atividade voltada às mães de prematuros

Novembro Roxo: Maternidade realiza atividade voltada às mães de prematuros

Por mês, a Maternidade registra o nascimento de aproximadamente 30 bebês prematuros - Foto: Fernando Oliveira

Por mês, a Maternidade registra o nascimento de aproximadamente 30 bebês prematuros – Foto: Fernando Oliveira

Para comemorar o Dia Mundial da Prematuridade, celebrado em 17 de novembro, o HMI (Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth) vai realizar o 1º Encontro Novembro Roxo, nesta quarta-feira, 18, às 9h no auditório Irmã Lenantonia Girelli, que fica na unidade hospitalar. A ação é voltada às mulheres que estão com os filhos na UTI Neonatal (Unidade de Tratamento Intensivo), aguardando o ganho de peso e maturação das funções do corpo da criança.

O evento é parte integrante do projeto “Meu bebê, minha vida”, que realiza ações diárias com oficinas de corte de cabelo, manicure, pedicure, sobrancelhas, artesanato, educação em saúde, autoestima e leitura.

Esse projeto tem a colaboração direta de instituições do Sistema S, empresas privadas e apoio do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), por meio do programa “Arca das Letras”, que disponibiliza uma biblioteca reduzida para incentivar a prática da leitura das mães que estão internadas na unidade hospitalar.

Segundo a coordenadora do projeto, Adália Siqueira, as mães que vão participar do 1º Encontro Novembro Roxo terão a oportunidade de assistir a palestra “Reflexão sobre prematuridade”, que vai tirar dúvidas e orientar as mães de bebês prematuros, além de oficinas e momentos de confraternização. “Tudo isso ajuda a autoestima da mãe que teve o bebê prematuro e está na Maternidade aguardando alta”, disse.

A UTI Neonatal da Maternidade tem capacidade hoje para receber 40 bebês prematuros. A cada mês é registrado o nascimento de aproximadamente 30 crianças prematuras. Segundo a apoiadora do projeto e coordenadora do BLH (Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque), Silvia Furlin, esse número pode estar associado a ausência contínua de pré-natal. “Uma das causas é a continuidade do pré-natal. Muitas das mães realizam apenas duas ou três consultas, o que pode comprometer na hora do parto”, enfatizou.

O evento é voltado para mães como Joana Aguiar de Jesus, de 38 anos, moradora do bairro Silvio Leite. Ela deu luz aos trigêmeos Marcos, João e Davi, que nasceram com 34 semanas de gestação (8 meses), com pesos de 1,8kg, 1,7kg e 1,6kg. “Eu soube da gravidez de trigêmeos aos três meses de gestação. Fiz todo o pré-natal e agora sou mãe de oito filhos”, enfatizou.

Há aproximadamente uma década a Maternidade registrou o nascimento de trigêmeos univitelinos (gerados em uma única placenta). Hoje, Marcos, João e Davi já deixaram a UTI Neonatal e estão em outra etapa do processo, que é o projeto “Mãe Canguru”, que aproxima o contato da mãe e filho, com as perspectivas de contribuir para aquisição de peso e fortalecimento dos sinais vitais do recém-nascido.

Banco de Leite

Parte principal no processo de recuperação do prematuro, o Banco de Leite fornece alimento saudável a essas crianças, oriundo de doação de mães que tem excedente na produção de leite humano. Atualmente, a unidade conta com 151 mães doadoras e o leite é destinado aos bebês internados na Maternidade, cuja mãe tem limitação na produção desse alimento.

Novembro Roxo

Criado em 2009, o Dia Mundial da Prematuridade é celebrado hoje em 50 países, com intuito de pensar estratégias para diminuição da taxa de prematuridade no mundo, que hoje soma nascimento de cerca de 15 milhões de bebês prematuros ao ano no planeta.

Leandro Freitas

 

Deixe uma resposta