Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Laper ganha sede própria após 35 anos

Laper ganha sede própria após 35 anos

Este era um anseio antigo dos profissionais que até então vinham exercendo as atividades em locais improvisados – Fotos: Secom-RR

Desde que foi inaugurado, em 1982, o trabalho dos servidores do Laper (Laboratório de Anatomocitopatologia de Roraima) eram feitos “onde sobrava espaço”, conforme relatou a governadora Suely Campos, ao anunciar que após 35 anos, a unidade que tem um papel fundamental na prevenção de doenças como o câncer, funciona agora em sede própria.

“Esta obra é fruto de um convênio que estava parado desde 2012 por falta de gestão. Quando assumimos o governo, o processo estava parado e nós envidamos todos os esforços para inaugurar esta que é mais uma conquista em benefício do povo roraimense. De 2015 para cá os profissionais da saúde já podem perceber que os avanços foram muitos, a exemplo de tantas outras obras que já fizemos e que ainda vamos fazer nesta gestão”, disse a governadora Suely Campos, durante solenidade na tarde desta segunda-feira, 20.

O valor total da obra, localizada na Rua Amsterdã, S/N, bairro Aeroporto, é de aproximadamente R$ 750 mil provenientes de recursos federais, por meio da Caixa Econômica Federal, com contrapartida do Estado que também angariou recursos de R$ 270 mil para compra de equipamentos.

O secretário estadual de Saúde, César Penna, lembrou que a gestão vem trabalhando para deixar um legado para as próximas décadas no que diz respeito à Saúde. “O Laper tem um papel fundamental no tratamento de várias doenças, como o câncer, pois a base do tratamento é o diagnóstico. Essa obra demonstra o quanto o governo tem tratado a Saúde como prioridade, coisa que não vi em governos anteriores. Até o final do ano teremos várias obras sendo entregues em benefício da população”, disse.

Quando foi criado, o Laper funcionava no antigo Hospital Coronel Mota. Depois, na Maternidade e no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Roraima), até ser transferido para a antiga sede da Escola Técnica do SUS (Sistema Único de Saúde), no Bairro dos Estados.

A nova sede vai tornar o processo de análises muito mais moderno, além de proporcionar melhores condições de trabalho aos funcionários. O laboratório dispõe de dois setores principais: o de Citopatologia, que analisa os exames de paponicolau (que detecta a presença de câncer de colo do útero); e o setor de Histopatologia, onde são realizados, por exemplo, exames histopatológicos.

Somente em 2016 foram realizados mais de 15,3 mil exames. Com a nova sede, e novos equipamentos, a unidade terá procedimentos feitos como muito mais tecnologia. Ainda no ano passado foram confirmados 390 casos de câncer no Estado por meio dos diagnósticos do Laper. Vale lembrar que o laboratório se tornou autosuficiente há cinco anos, quando passou a realizar todos os exames solicitados, não tendo que enviar para outro Estado.

Processo parado

A atual gestão encontrou o processo de construção da sede do Laper parado, e nos seis primeiros meses de gestão da governadora Suely Campos, a Sesau acompanhou de forma intensiva o processo para iniciar a construção da unidade. A obra começou em 2015 e foi concluída no final de 2016.

Unidade recebe o nome do médico Romualdo de Freitas Ruiz

O Laper foi batizado com o nome do médico oftalmologista Romualdo de Freitas Ruiz, falecido em janeiro de 2016. “Ele tinha como grande satisfação, as viagens para o Baixo Rio Branco. Sua marca registrada era o atendimento com excelência a todos os seus pacientes, independentemente de sua posição social, cultural ou financeira”, disse a viúva Márcia Brito.

Nascido em 1943, em Manaus (AM), Romualdo formou-se médico pela Faculdade Nacional de Medicina do Rio de Janeiro (RJ). Filho de Adriano Ruiz Hernandez e de Iracema de Freitas Hernandez, teve cinco filhos no Rio de Janeiro, onde morou durante muitos anos antes da vinda à Roraima.

Chegou a Roraima em 1998, para trabalhar como médico oftalmologista na Unidade Móvel. Aqui casou-se com Márcia Brito, com quem teve um filho, batizado com o mesmo nome e que escolheu a Medicina como profissão.

Homenagem

Durante a cerimônia de inauguração também foi homenageada a médica patologista Victoria Maria de Leão de Aquino Botelho, que trabalhou na fundação da unidade. Ela acompanhou desde o começo as várias mudanças do Laper para lugares improvisados e diante da inauguração da nova sede, relata que as ações na saúde ganham um valioso avanço. “Com novas tecnologias, o trabalho irá refletir em uma melhor prestação de serviço de saúde para as pessoas que são carentes e estão fragilizadas pela doença”, disse.

 

Deixe uma resposta