Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Laboratório Central recebe certificação de excelência

Laboratório Central recebe certificação de excelência

Desde 2011 que o Lacen conquista certificação de excelência - Fotos: Secom-RR

Desde 2011 que o Lacen conquista certificação de excelência – Fotos: Secom-RR

O PNCQ (Programa Nacional de Controle de Qualidade), vinculado à SBAC (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas), certificou o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Roraima) pelo quinto ano seguido com a classificação de excelência. O resultado da avaliação, referente a 2015, atingiu 96,10% de acertos e a unidade aguarda agora a chegada da placa em platina, que será afixada na parede da recepção, onde estão os outros quatro certificados conquistados nos anos anteriores.

A avaliação ocorre todos os meses, desde 2011, e mensura a qualidade dos serviços prestados pelo Laboratório Central
Desde 2011, o Lacen passa por esse controle de qualidade, que acontece mensalmente, com amostras cegas (aquelas que não se sabe o resultado), o que mensura o serviço prestado pela unidade. São avaliadas amostras de 4.753 laboratórios do Brasil, além de outras unidades espalhadas pela América do Sul e Europa.

Segundo a diretora Técnica do Lacen, Cátia Meneses, por mês são encaminhadas uma média de 24 amostras cegas para avaliação pelo PNCQ. “A sorologia é feita aqui e encaminhada via on-line e encaminha o resultado da avaliação de volta para o Lacen”, esclareceu.

De 2011 até hoje, o Lacen só recebeu certificação de excelência. Para esse patamar ser atingido, o laboratório tem que alcançar média superior a 80% de acertos. No caso do Lacen, os cinco anos foram classificados como excelência, atingindo média acima de 90%. No ano passado, por exemplo, a pontuação foi 93%. “Isso demonstra a confiabilidade dos resultados liberados pelo Lacen. É o reflexo do trabalho de todos os setores”, disse Cátia.

Por ano, o Lacen passa por no mínimo duas avaliações, inclusive pelo MS (Ministério da Saúde). “Temos uma gerência para tratar justamente sobre a gestão da qualidade”, disse Cátia, ao adiantar que em dezembro será promovida uma reciclagem para todos os servidores.

O Laboratório

Marconi Aragão Gomes

Marconi Aragão Gomes

Criado na década de 80, o Lacen está dividido em duas áreas de atuação: biologia médica (exames laboratoriais em saúde pública) e química e produtos (análise de água, medicamentos e alimentos). Hoje, a unidade tem corpo técnico com cerca de 100 profissionais (biomédico, farmacêutico bioquímico, técnico de análises clínicas, técnico de enfermagem, químico, biólogo, veterinário), todos do quadro efetivo.

Só este ano, até novembro, o Lacen realizou 20 mil exames laboratoriais de interesse em saúde pública, e de produtos e química, seis mil testes. A unidade realiza somente procedimentos de média e alta complexidades.

Segundo o diretor-geral do Lacen, Marconi Aragão Gomes, os resultados positivos conquistados pela unidade se estendem por toda a equipe, da limpeza ao corpo técnico. “Todo o processo interfere no resultado final. Se o ambiente não estiver devidamente limpo, o resultado será alterado”, destacou.

Hoje, a unidade estuda o processo de ampliação e adaptação da estrutura física, com vistas à criação de um laboratório molecular.

Leandro Freitas

 

 

Deixe uma resposta