Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Política | Joaquim Ruiz diz que concorrência no Enem é desleal com estudantes de escolas públicas

Joaquim Ruiz diz que concorrência no Enem é desleal com estudantes de escolas públicas

Deputado estadual Joaquim Ruiz – Foto: Alfredo Maia

A partir desta terça-feira, 24, estudantes de todo o País poderão se inscrever no Sisu (Sistema de Seleção Unificada), para concorrerem a uma vaga em uma das 131 instituições de ensino superior. Para participar dessa seleção, deve utilizar a nota do último Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), desde que não tenham zerado a redação. O prazo termina na próxima sexta-feira, 27.

Mesmo com mais de 238 mil vagas em aberto, sendo 741 para a Universidade Federal de Roraima (UFRR), o deputado estadual Joaquim Ruiz (PTN) alega que há uma concorrência desleal quando se põe a nota do Enem como critério da seleção, pois, segundo ele, os mais beneficiados são alunos de escolas particulares, principalmente das regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Publicado em outubro do ano passado, o Inep (Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) apresentou uma lista com o ranking das escolas de acordo com a média obtida no Enem 2015. As primeiras colocadas eram escolas da rede privada de ensino de São Paulo. Roraima apareceu na 1.149ª posição com uma escola particular, a primeira estadual ocupou o 10.582º lugar na lista geral.

“Ou seja, o filho do rico que estuda na melhor escola particular do Brasil vai para uma universidade federal. O filho do pobre, que estuda numa escola pública, vai para uma faculdade particular e quando sai de lá, já sai devendo porque ele fez o Fies [Programa de Financiamento Estudantil do Governo Federal]”, explicou o parlamentar que vê uma saída na regionalização do Exame como garantia do ingresso de mais estudantes da rede pública no ensino superior.

Como exemplo da situação, Ruiz lembrou que a Universidade Federal do Amazonas deixou de fazer o vestibular para usar a nota do Enem. “Resultado: no curso de Medicina ninguém de Manaus passou, os aprovados foram alunos do Sul e do Sudeste”, lamentou o parlamentar, o que para ele fere a Constituição Federal quando se trata de igualdade a todos os cidadãos. “Enem foi criado justamente para resolver o problema da elite brasileira, daqueles que mais tem dinheiro”.

O deputado falou que tem procurado um diálogo com outros parlamentares, principalmente no âmbito federal, como medida de apoio para regionalização do Enem, mas tem encontrado dificuldades. “Mas o deputado que está vestindo isso aqui é o deputado André Amaral (PMDB/PB), que já morou em Roraima e é deputado Federal pela Paraíba e que pediu esses dados e está aí. Começou com um processo e vai entrar com um projeto para regionalização do Enem”, destacou Ruiz.

Para mostrar a importância dessa mudança, Joaquim Ruiz pretende discutir o tema na próxima Conferência da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) que acontecerá neste ano. “Farei uma apresentação com todos os dados que eu tiver para que a gente faça uma movimentação a nível nacional, com todas as assembleias e o Congresso Nacional”, ressaltou.

Yasmin Guedes

 

Deixe uma resposta