Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Polícia | Instituto de identificação de Roraima é referência para outros Estados

Instituto de identificação de Roraima é referência para outros Estados

Amadeu Triani, diretor do Instituto de Identificação de Roraima – Foto: Neto Figueiredo

A atuação dos órgãos de perícia oficial criminal de Roraima foi destacada pela Fenappi (Federação Nacional dos Peritos em Papiloscopia a Identificação). Num ofício enviado ao Governo do Amazonas, a entidade citou o banco de dados digitalizados do Instituto de Identificação de Roraima como referência para outros Estados.

O relatório da Fenappi foi emitido com base na nota enviada à imprensa na tarde de sábado (7). Em dois dias, foi concluído o trabalho de identificação dos 33 presos que morreram na Pamc (Penitenciária Agrícola de Monte Cristo), na sexta-feira, dia 06. Foi um trabalho exaustivo, minucioso e sistemático, realizado pelos órgãos de perícia oficial criminal, do Instituto de Medicina e Odontologia Legal, Instituto de Identificação e Instituto de Criminalística.

“Devido à situação em que se encontrava a maioria dos corpos, foi necessário um trabalho minucioso de perícia necropapiloscópica, que também contou com pesquisa e confronto de planilhas dactiloscópicas, um dos métodos mais seguros para identificação”, ressaltou Amadeu Triani, diretor do Instituto de Identificação de Roraima.

Parcerias

O diretor em exercício do Instituto Médico Legal de Roraima, Rodrigo Matoso, comentou que a parceria dos demais órgãos públicos estaduais, como a Sejuc (Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania) e dos Institutos de Identificação dos Estados do Amazonas e Rondônia, foram fundamentais para agilizar os trabalhos de identificação e liberação dos corpos.

“Temos que agradecer também o compromisso e sensibilidade dos profissionais médicos-legistas, odonto-legistas, peritos papiloscopistas e cirurgiões-dentistas dos institutos, além das equipes de limpeza, recepção, digitação de laudos, motoristas e auxiliares de necropsia, que se voluntariaram e disponibilizaram seu tempo para minimizar a dor da perda dos familiares, concluindo os trabalhos em tempo considerado como ótimo, bem como, o fundamental apoio logístico da Polícia Militar e do Grupo de Resposta Tática da Polícia Civil”, enfatizou Matoso.

Funeral

Além dos trabalhos de identificação, o Governo disponibilizou apoio funerário e psicossocial aos familiares, por meio da Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social), da Sejuc e do IML (Instituto de Medicina e Odontologia Legal).

Neuzelir Moreira

 

Deixe uma resposta