Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | HGR ganha espaço próprio para coleta de baciloscopia

HGR ganha espaço próprio para coleta de baciloscopia

O paciente disponibilizará de um espaço aberto e privativo para a realização da coleta no HGR - Foto: Ascom/SesauPara normatizar parte da rotina do atendimento de pacientes com suspeita de tuberculose, o Hospital Geral de Roraima (HGR) preparou um espaço específico – ao ar livre – para realizar a coleta de baciloscopia de escarro. O local foi entregue oficialmente na última sexta-feira, 1°, pela manhã, com os primeiros atendimentos espontâneos.

Técnicos da Coordenação de Vigilância em Saúde e profissionais de saúde também participarão do momento. O espaço vai funcionar 24 horas e o profissional estará o atenderá e encaminhará ao espaço específico para coleta.

De acordo com a gerente interina do Núcleo de Controle da Tuberculose, Angela Maria Felix, o ideal é que a coleta seja feita em locais abertos, em contato com a luz solar, onde o paciente disponha de privacidade. “A coleta sendo feita em área externa , o bacilo morre, o que é positivo, pois não vai ficar livre para contaminação de outras pessoas”, comentou.

Ainda conforme a gerente, o espaço vai promover biossegurança no ambiente hospitalar, além da privacidade do paciente dentro do hospital e, sobretudo, maior comodidade.

Para os atendimentos serem feitos corretamente, Angela informou que a equipe de profissionais, entre eles, enfermeiros, técnicos de enfermagem, e outros, passam por qualificação quanto aos procedimentos.

O coordenador clínico do HGR, Roberto Carbonell, mencionou que o resultado é dado no mesmo,conforme chega as amostras no laboratório do hospital. “No setor, mais de 800 leituras são feitas de análises de diversos tipos de exames”, comentou.

Procedimento

A coleta de 5 a 10 ml de escarro, é recomendado o uso de pote descartável de plástico transparente com capacidade de 35 a 50 ml, altura mínima de 40 mm, de boca larga e com tampa rosqueável de 50mm de diâmetro. O paciente deve lavar as mãos e higienizar a cavidade oral com água.  Inspirar profundamente, reter o ar por alguns segundos e expirar. Após repetir esses procedimental por três vezes, tossir.

Imediatamente após o ato da tosse produtiva, o paciente deverá abrir o pote e expectorar a secreção dentro dele sem encostar os lábios no pote  e nem tocar a parte interna com os dedos, pois há o risco de contaminação da amosta. Feito isso, fechar novamente o frasco firmemente.

O escarro deve ser feito em jejum, para evitar resíduos alimentares, como também de medicamentos  e substâncias químicas, pois eles prejudicam a qualidade da amostra.

 

 

 

 

Deixe uma resposta