Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Hanseníase: seis pacientes passam por cirurgias no HGR e mutirão será mensal

Hanseníase: seis pacientes passam por cirurgias no HGR e mutirão será mensal

Esse foi o primeiro mutirão realizado em Boa Vista, com previsão de se tornar rotina mensal - Foto: Secom-RR

Esse foi o primeiro mutirão realizado em Boa Vista, com previsão de se tornar rotina mensal – Foto: Secom-RR

Para garantir melhor qualidade de vida aos pacientes com hanseníase, a Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) realizou na manhã deste domingo, 19, seis procedimentos cirúrgicos no HGR (Hospital Geral de Roraima). A meta é fazer a cada mês um mutirão e eliminar o tempo de espera dessas pessoas por uma cirurgia.

Dois médicos ortopedistas conduziram os procedimentos que iniciaram às 7h e terminaram às 11 horas, com média individual de intervenção de 30 a 45 minutos por paciente. “Esse procedimento permite a eliminação total ou parcial da dor do paciente com hanseníase, que tem que tomar muito corticóide para aliviar a dor no dia a dia”, ressaltou o médico Dalson Feitosa, ao complementar que os procedimentos ocorreram dentro da normalidade.

Esse tipo de procedimento já é realizado no Hospital Regional Sul Ottomar de Souza Pinto, em Rorainópolis e atende a população dos municípios do Sul do estado. Em Boa Vista, essa foi a primeira vez que a Sesau fez a cirurgia.

Dados do Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação) mostram que o número da doença registrado em Roraima vem diminuindo nos últimos anos. Em 2013, foram confirmados 133 casos de hanseníase. No ano passado, caiu para 80. Até os primeiros meses deste ano, 16 novos casos da doença foram confirmados no estado. Atualmente, 20 pessoas com hanseníase aguardam pelo procedimento cirúrgico.

Após a cirurgia o paciente passa a ter o retorno total ou parcial da funcionalidade dos membros inferiores ou superiores. De acordo com Feitosa, a recuperação em relação à cirurgia é de em torno uma semana, porém a reabilitação varia de acordo com o quadro de cada um.

A doença

É uma doença crônica, infecto-contagiosa, causada por uma bactéria denominada Mycobacterium leprae e afeta a pele e os nervos. Quase todo o corpo pode ser acometido, mas as regiões mais afetadas são os braços, mãos, coxas, pernas, pés e o rosto. Quando não tratada, a doença pode causar deformidades que incapacitam o indivíduo para o trabalho e o convívio social.

O tratamento é seguro e apresenta resultados satisfatórios. Quando descoberta no início, a hanseníase tem cura, principalmente quando é realizado um tratamento adequado sob supervisão médica regularmente.

Manifesta-se por meio de manchas na pele de cor parda, esbranquiçadas ou eritematosas, às vezes pouco visíveis e com limites imprecisos. Causa alteração da temperatura no local afetado pelas manchas e compromete os nevos periféricos do corpo humano. Geralmente apresenta dormência e a perda da sensibilidade local pode levar a feridas e perda de dedos ou outras partes do organismo.

Ao identificar os sintomas, a pessoa deve procurar uma UBS (Unidade Básica de Saúde), popularmente conhecida como posto de saúde, para diagnóstico e início do tratamento, que é gratuito, oferecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde). O Hospital Coronel Mota, do governo estadual, tem um centro de referência e triagem da doença.

Leandro Freitas

 

Deixe uma resposta