Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Interior | Governo negocia e indígenas liberam ponte em Alto Alegre

Governo negocia e indígenas liberam ponte em Alto Alegre

Os indígenas bloquearam a passagem na ponte - Foto: Edinaldo MoraisDe forma pacífica, uma comissão enviada pelo Governo do Estado à região de Sumaúma, zona rural de Alto Alegre, conseguiu negociar nesta quinta-feira, 10, com índios da etnia Xiriana e produtores rurais que há quatro dias estavam impedindo o acesso à ponte sobre o rio Mucajaí, na rodovia RR-205. Eles reivindicavam melhorias na vicinal 01 do Tronco Sumaúma, que dá acesso às suas terras, além de energia elétrica e construção de novas pontes.  

A comissão era liderada pelo tenente-coronel PM Eronildo Almeida e composta pelo major PM Miguel Arcanjo, o engenheiro da Secretaria de Infraestrutura (Seinf) Edilson Damião e dois engenheiros da construtora responsável por obras naquela região. A Fundação Nacional do Índio em Roraima (Funai-RR) e a Associação Yanomami Hutukara também enviaram representantes.

Os indígenas receberam a comitiva de forma ordeira, que chegou ao local por volta das 14h. De lá seguiram até a vicinal 01, onde a equipe verificou as condições da estrada. Os manifestantes exigem reparos na pista e nas pontes de madeira, pois a atual situação impede o escoamento da produção agrícola, além do trânsito dos moradores.

“Nós só pedimos mais a atenção do Governo. Nós somos prejudicados com a situação da estrada. Não passa nenhum caminhão e nem os ônibus para levar as crianças à escola”, afirmou o líder Gérson Xiriana.

O produtor rural Genilson Oliveira, morador da região de Sumaúma há mais de 20 anos, afirmou que teve vários prejuízos decorrentes da situação da estrada, quando os compradores de suas frutas e verduras não tinham condições de ir até sua propriedade para buscar os produtos.

“Tivemos muitos problemas quanto a isso. Antes era difícil os caminhões dos compradores irem até lá buscar a produção que eu vendia. Agora com as chuvas é que a situação se complica”.

De acordo com o diretor do Departamento de Infraestrutura do Transporte (Deit) Edilson Damião, o Governo vai executar ações paliativas, num período de aproximadamente 15 dias. As três pontes da vicinal terão a estrutura reforçada, para aumentar a segurança de trafegabilidade na estrada.

“Nós nos deslocamos até aqui e já trouxemos uma parte da empresa que está fazendo um serviço numa vicinal próxima para fazer um trabalho emergencial nestas pontes destas localidades. As empresas, num prazo de quinze dias vão estar aqui trabalhando, fazendo a manutenção das pontes para dar trafegabilidade”.

Quanto à pavimentação na estrada, Edilson explicar que terá que ser aberto um processo para iniciar as obras e que só poderão ser executadas em conformidade com o clima. “Infelizmente, por questão do inverno, não teremos como agir de forma imediata na recuperação da estrada. Nós estamos com equipamentos na vicinal 21. E assim que conseguirmos concluir os serviços naquela localidade, vamos deslocar as equipes até a vicinal Tronco Sumaúma para assim iniciarmos os trabalhos por aqui”.

Diante do que foi exposto pela comitiva do Governo do Estado, os indígenas decidiram desobstruir a ponte, o que ocorreu por volta das 17h. Gérson Xiriana, afirmou que as negociações por meios pacíficos foram a melhor forma de se chegar a um consenso. “Nós ouvimos os policiais e os engenheiros e entendemos o que poderá ser feito. Vamos aguardar agora o cumprimento das obras”. 

 

 

 

Deixe uma resposta