Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Comitiva de sul-coreanos chega a Roraima com acordos de intenções assinados

Comitiva de sul-coreanos chega a Roraima com acordos de intenções assinados

A comitiva, que chegou na tarde desta quinta-feira, dia 19, fica em Roraima até o dia 9 de dezembro - Fotos: Neto Figueredo

A comitiva, que chegou na tarde desta quinta-feira, dia 19, fica em Roraima até o dia 9 de dezembro – Fotos: Neto Figueredo

O quarto encontro entre Governo de Roraima e investidores sul-coreanos resultou na concretização de acordos em quatro frentes que promoverão o desenvolvimento do estado e independência econômica, com geração de emprego e renda. Os acordos de intenções que formalizam as tratativas foram assinados nos dias 29 de setembro e 30 de outubro, onde são estabelecidos prazos e metas a serem cumpridas. Os diálogos iniciaram em janeiro deste ano.

Dessa vez, a comitiva está representada por nove sul-coreanos, que ficarão em Roraima até o dia 9 de dezembro, iniciando as atividades previstas nos acordos. Na agricultura, por exemplo, a intenção dos investidores é plantar 700 mil hectares de soja, com previsão de 40 mil hectares plantados já em 2016. Nas visitas passadas, os investidores fizeram o reconhecimento de várias áreas disponíveis para plantação em larga escala.

“Para Roraima, isso representa avanço e crescimento do setor produtivo, modificando a matriz econômica do estado, gerando emprego e renda”, disse o assessor especial, da Seapa Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Hipérion Oliveira, ao avaliar o investimento futuro dos sul-coreanos em plantar grãos aqui no estado. “Outros países estão olhando para Roraima, dada a localização privilegiada e vai permitir que sejamos um estado exportador de grãos”, frisou.

Outra frente de investimento está em um parque eólico, com geração de 250 megawatts, capazes de atender a demanda atualmente gerada pelo estado. A primeira etapa do processo, já em 2016, contemplará 115 megawatts e para 2017, mais 115 megawatts, com previsão de se estender até 350 megawatts, garantindo excedente na geração de energia elétrica. Os estudos apontam para implantação desse parque no município de Normandia, dada a frequência contínua de vento na região.

Para a implantação de parque eólico, a Cerr (Companhia Energética de Roraima) fará a abertura de diálogo entre os sul-coreanos e a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para que seja dado o licenciamento e comece a produção de energia. “Há necessidade de escoar essa energia que será gerada para o Brasil, mas é necessária a interligação ao Sistema Interligado Nacional, por meio do linhão de Tucuruí”, acrescentou o presidente da Cerr, Antônio Carramilo.

Em um prazo de oito meses, contando a partir de agora, os sul-coreanos vão instalar uma fábrica de construção de casas populares pré-moldadas. A tecnologia dispensa o uso de cimento e utiliza argila como matéria-prima. O método pode ser aplicado também em construção de edifícios verticais. O prazo médio de edificação de uma residência, com essa tecnologia, é de nove dias e o custo é inferior ao de uma construção tradicional. A previsão é construir 750 casas por mês.

Esse é o quarto encontro entre o Governo de Roraima e empresários sul-coreanos interessados em investir aqui no estado

Esse é o quarto encontro entre o Governo de Roraima e empresários sul-coreanos interessados em investir aqui no estado

A visita prevê também o estudo in loco para a digitalização dos hospitais, começando pelo HC (Hospital das Clínicas) – que está com mais de 90% das obras concluídas – e anexo do HGR (Hospital Geral de Roraima) que está em construção. A ideia é reunir os engenheiros sul-coreanos e os de Roraima para buscar a melhor forma de adequar a estrutura física das unidades para receber os aparelhos e tecnologia de ponta produzidos na Coreia do Sul.

Segundo a secretária adjunta de Assuntos Internacionais, Fátima Araújo, o investimento nas quatro frentes de intenção é de 100% de capital sul-coreano, cabendo ao governo estadual a legalização do processo, com documentação, orientação e esclarecimentos sobre a parte burocrática. “Vamos atuar com as informações pertinentes para a concretização dos projetos. Por respeito e interesse da parte deles, procuraram o governo estadual para que fossem abertas as portas e iniciados os diálogos”, enfatizou.

O terceiro encontro ocorreu na Coreia do Sul, quando uma comitiva composta pelos seguintes representantes do governo: Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima), Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), PGE (Procuradoria Geral do Estado), Assessoria Especial do Governo e Secretaria Extraordinária de Assuntos Internacionais. Lá foram firmados os acordos, que agora passam a ser executados.

O empresário Yong Gul Sul, que está trabalhando na legalização da Cooperativa Brakor [Brasil e Coreia], visualiza o estado de Roraima como a mais nova frente agrícola do mundo. A intenção é produzir grãos tanto para o mercado interno como para atender à demanda da Coreia do Sul. “O estado tem potencial incrível para ser desenvolvido na matéria agricultura. Pelo apoio que sentimos do Governo do Estado, fizemos a proposta de investir e o governo abriu as portas para o investimento”, enfatizou.

Leandro Freitas

 

 

Deixe uma resposta