Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Interior | Combate à seca: Prefeitura abastece moradores da zona rural com água potável

Combate à seca: Prefeitura abastece moradores da zona rural com água potável

combateaestiagem1Uma frente de trabalho que reúne o serviço de três secretarias municipais, Gestão Ambiental e Assuntos Indígenas, Obras e Urbanismo e Segurança Urbana e Trânsito, busca amenizar os problemas causados pela estiagem. As equipes atuam tanto nos projetos de assentamento como nas comunidades indígenas da área rural de Boa Vista.

Desde o dia 18 do mês passado, equipes da Defesa Civil Municipal abastecem diariamente os moradores do Projeto de Assentamento Nova Amazônia, Região do Truaru. Dois caminhões pipas são utilizados para levar água potável até o local.

O diretor do órgão, Ricardo Cativo, tem acompanhado de perto a situação dos moradores. “Percorremos as vicinais diariamente. Esse trabalho é essencial para garantir que os danos causados pela estiagem sejam minimizados.” A Escola Municipal Aureliano Soares da Silva é uma das abastecidas pelos caminhões. Essa ação impede que o ano letivo seja interrompido.

A moradora Paula de Oliveira, que vive na região há 9 anos, disse que os moradores estão sofrendo com a falta da chuva e que graças à ajuda da Prefeitura de Boa Vista encontraram condições de permanecerem no local. “Esse apoio que a prefeitura está dando é muito importante, pois nosso poço já secou e a situação está bem difícil. É graças a essa água que chega até nós que conseguimos beber, cozinhar e tomar banho”.

Cacimbas

Desde fevereiro, a prefeitura de Boa Vista também faz o trabalho de abertura de cacimbas. As retroescavadeiras perfuraram o solo formando poços para os animais também terem acesso à água. A medida evita a morte de gado e de outros animais. Toda a ação é acompanhada “in loco” pelos secretários das pastas que atuam em parceria. Depois da comunidade indígena Truaru da Cabeceira, as máquinas seguem para a comunidade Serra da Moça, Vista alegre, Campo alegre, Três Irmãos e Darora.

O secretário municipal de Gestão Ambiental, Daniel Peixoto, explicou que as ações foram embasadas por uma apuração anterior. A Superintendência de Assuntos Indígenas elaborou um levantamento que definiu as estratégias adotadas para amenizar os problemas nas comunidades.

“Diante disso, a prefeita Teresa Surita, preocupada com a situação dos moradores, nos pediu todo empenho para que essas comunidades não sofram ainda mais com a estiagem. Essa é uma medida emergencial que vamos adotar até que a situação se normalize”, disse.

Shirléia Rios

Deixe uma resposta