Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Colunistas | Wilson Barbosa | Coluna Panorama Esportivo 18.06.14 – Wilson Barbosa

Coluna Panorama Esportivo 18.06.14 – Wilson Barbosa

Felipão

Felipão segue invicto pelo Brasil em competições da FifaO empate por 0 a 0 contra o México tirou de Luiz Felipe Scolari um retrospecto impecável no comando da Seleção Brasileira em competições organizadas pela Fifa. Desde sua primeira passagem à frente do Brasil, o treinador acumulou uma sequência de 13 vitórias em torneios da entidade máxima do futebol. A primeira competição foi a Copa do Mundo de 2002, quando Felipão se sagrou campeão com a Seleção vencendo os sete compromissos. Depois do pentacampeonato, o treinador deixou o Brasil e só reassumiu a equipe verde e amarela no fim de 2012.

Confederações

Assim, Felipão voltou a disputar um torneio da Fifa na Copa das Confederações do ano passado, triunfando também contra os cinco adversários para conquistar o título. A sequência chegou ao 13º jogo com o resultado positivo obtido na estreia desta Copa do Mundo, contra a Croácia. Apesar de ter perdido os 100% de aproveitamento, Felipão segue invicto pelo Brasil em competições da Fifa. A próxima partida da Seleção nesta Copa do Mundo será na segunda-feira, diante de Camarões, em Brasília.

Volante

O volante Paulinho ainda está longe de ter na Copa do Mundo o desempenho que o consagrou como o terceiro melhor jogador da Copa das Confederações, há um ano. Ainda assim, o jogador do inglês Tottenham garantiu que evoluiu bastante no empate sem gols com o México em relação à vitória por 3 a 1 sobre a Croácia. “Eu me senti até mais leve do que na primeira partida”, avisou Paulinho, tentando não se importar com as críticas. “Vou continuar fazendo o meu papel, assim como agora. Fiz mais um jogo importante diante do México. Eu estava muito mais solto”, repetiu. Paulinho joga no setor mais concorrido da Seleção Brasileiro.

Titular

Parceiro de Luiz Gustavo atualmente, ele tem as sombras de Hernanes, Fernandinho e Ramires, que também foi titular contra o México, no lugar do atacante Hulk. “O Brasil precisa não só de mim, mas de todos os seus jogadores”, amenizou o Paulinho do Tottenham, que quer voltar a jogar como o Paulinho do Corinthians. “Mas, da mesma forma que estudamos os adversários, eles também nos estudam. Foi assim contra o México, que fez um jogo duro, bem disputado”, concluiu.

Critica

Em seu programa na emissora venezuelana Telesur, Diego Maradona criticou a atuação do Brasil no empate por 0 a 0 diante do México, nesta terça-feira, no Estádio do Castelão. Segundo o ex-camisa 10 da Argentina, o time comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari não consegue atacar sem Neymar.  “O Brasil terá que melhorar muito se quiser ser um dos favoritos. Pelo que vi, o México hoje pode jogar de igual para igual com o Brasil, que não sabe atacar sem Neymar”, disse Maradona, que vê a Seleção Brasileira sem “outra opção” no ataque além do camisa 10. Convidado de Maradona no programa, Zico disse que a Seleção Brasileira esteve “mais ou menos” no duelo diante do México. O ex-camisa 10 do Flamengo e do Brasil também criticou a dependência que a equipe tem de Neymar para criar jogadas ofensivas.

Goleiro

Depois de dois Mundiais vendo a sua equipe ser eliminada de forma consecutiva pela Argentina em oitavas de final, o goleiro Guillermo Ochoa finalmente conseguiu a chance de ser titular e ainda ser eleito o melhor jogador no empate por 0 a 0 contra o Brasil, nesta terça-feira, no Castelão. De 1,85 m, Ochoa iniciou a carreira profissional em 2003, pelo América-MEX, clube mais popular do país, e desde 2011 atuava pelo Ajaccio, mas não irá mais seguir no time rebaixado na França na temporada 2014/15. “Grandíssimo Ochoa que teve uma decepção esse ano com a queda para a segunda divisão na França, mas fez excelentes partidas em vários jogos, eu pude ver, hoje (ontem) ele fez um grande jogo”, disse o brasileiro David Luiz, que trocou o Chelsea pelo PSG.

Cobranças

As montagens que circulam nas redes sociais não deixam dúvidas de que Fred é um dos jogadores mais cobrados pelo começo irregular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Ainda sem marcar, o camisa nove teve atuação apagada no empate por 0 a 0 contra o México e vai entrar contra Camarões pressionado em um roteiro que viveu em 2013. Durante a Copa das Confederações Fred também passou dois jogos em branco. Ouviu exatamente as mesmas críticas: joga paradão no ataque, não se livra de impedimentos e só participa quando recebe a bola redonda no pé. Mas na terceira partida, contra a Itália, marcou dois gols e iniciou uma arrancada que culminou com a artilharia do torneio. Agora na Copa do Mundo, contra adversários mais motivados e fortes, o camisa nove espera repetir a história. “Hoje não deu, e na estreia também, mas tenho certeza de que, contra Camarões, vai sair”, afirmou o jogador, que foi substituído por Jô no segundo tempo.

“Erro infantil”

O relógio marcava 23 minutos do segundo tempo. Lee Keun-Ho, com pouco tempo em campo, arriscou da intermediária e viu o goleiro Akinfeev falhar ao tentar segurar a bola. A tentativa de defesa sem rebote rendeu o primeiro gol da Coreia do Sul sobre a Rússia, em partida válida pela rodada inaugural do Grupo H. Para o alívio do goleiro, os soviéticos empataram, com gol de Kerzhakov, mas o erro foi a tônica durante a entrevista coletiva do arqueiro, que não fugiu das perguntas. “Peço desculpas pela falha. Foi um erro infantil e assumo toda e qualquer responsabilidade pelo gol. Após o jogo, os companheiros demonstraram apoio comigo e eu agradeço. É muito importante pra mim. Porém, não ficarei tranquilo. Um goleiro de seleção nacional jamais poderá falhar desta forma”, sintetizou. “Herói” russo, o experiente atacante Kerzhakov saiu em defesa de Akinfeev: “Todos cometem erros, isso é mais do que normal. Somos um time e o grande diferencial do grupo é dividir as falhas com todos”, explicou.

Castelão

O público de Brasil 0 x 0 México (60.342) foi superior ao de Uruguai 1 x 3 Costa Rica (58.679), mas os transtornos na Arena Castelão, em Fortaleza, foram consideravelmente menores nesta terça-feira. Lixeiras na parte externa do estádio davam outro aspecto ao estádio durante a entrada e a saída da torcida nesta tarde, se comparado ao primeiro jogo na cidade nesta Copa do Mundo. Também foi reduzida a dor de cabeça daqueles que enfrentaram filas. Os preços seguiram os mesmos do primeiro duelo, mas os alimentos e as bebidas duraram, pelo menos, até o intervalo nos bares. No segundo tempo, além das bebidas, era possível também encontrar amendoim.

Banheiros

Com relação aos banheiros femininos e masculinos, outro ponto que deixou a desejar em Uruguai x Costa Rica, torneiras funcionavam, ralos não estavam entupidos e funcionários tentavam limpar a sujeira que aparecia com os passar dos minutos. Apenas um ponto ainda apresenta problema para os próximos jogos do Mundial, na Arena Castelão. O GloboEsporte.com tentou utilizar a internet wi-fi do estádio, sem sucesso. No último sábado, quando a Costa Rica venceu o Uruguai, o Governo do Estado garante que 25 mil pessoas acessaram o wi-fi livre de forma simultânea na Arena Castelão por meio do “Cinturão Digital”.

Acréscimos

Aos 46 minutos do segundo tempo, a Seleção Brasileira quase foi derrotada logo no segundo jogo na Copa do Mundo em que é anfitriã em chute cruzado de Jiménez. Júlio César, contudo, se esticou para espalmar a finalização do mexicano e, assim, se sentir importante para garantir o empate sem gols nesta terça-feira, em Fortaleza. “No primeiro tempo, fiz uma boa defesa e tivemos a sorte de darem tiro de meta. No final, tive um papel fundamental com uma defesa para garantir o empate”, definiu o goleiro, que realmente teve poucas defesas difíceis porque a maioria das finalizações adversárias não chegou ao seu gol. O veterano camisa 12, porém, precisou trabalhar para que seus colegas de defesa respirassem. “A equipe mexicana estava crescendo muito no jogo, impondo o forte ritmo deles. Vi os jogadores um pouco ofegantes porque, a todo o momento, eles estavam chegando com perigo. Eu queria segurar para eles respirarem um pouco. Foi uma equipe que merece nosso respeito”, definiu.

Substituído

Escolhido para entrar no lugar de Hulk, que sentiu incômodo muscular, Ramires pareceu ter dificuldades para entender se atuaria como volante ou meia, pouco apareceu no empate sem gols diante do México e ainda recebeu cartão amarelo no fim do primeiro tempo. Por medo de vê-lo expulso, Luiz Felipe Scolari preferiu tirá-lo no intervalo para colocar Bernard, mas o jogador do Chelsea garante que foi obediente. “Fiz o que o professor me pediu, tentando ajudar o meio-campo, na transição e na defesa. Só executei o que ele me pediu. Quem deve avaliar é o professor”, comentou Ramires, preferindo não se analisar publicamente. O meio-campista, no entanto, volta a ter desempenho apático como no amistoso diante do Panamá, quando substituiu Paulino e também foi sacado no intervalo, em Goiânia. Um dos destaques do Chelsea na última temporada europeia, Ramires foi utilizado nesta terça-feira para Scolari saber se ele pode ser uma alternativa tática na Copa do Mundo. O volante formou um trio de marcadores no meio-campo com Luiz Gustavo e Paulinho e o técnico acabou confirmando que Ramires é um dos maiores riscos de cartão em campo.

Antidoping

Sorteado para o exame antidoping, o atacante Neymar não falou com jornalistas na Arena Castelão para dar declarações sobre o empate sem gols entre Brasil e México. Durante o exame, ele foi tietado por Marco Fabián, atacante mexicano. “Um grande jogador e um grande ser humano”, escreveu Fabián, em seu Instagram. No empate por 0 a 0 entre México e Brasil, nesta terça-feira, Neymar teve algumas das melhores chances de gol do jogo. Ainda no primeiro tempo, o atacante acertou ótima cabeçada no canto esquerdo do gol mexicano, e o goleiro Guillermo Ochoa salvou em cima da linha com uma fantástica defesa. No segundo, tempo Neymar ainda acertou forte chute também defendido pelo goleiro mexicano, o grande destaque da partida. Com o resultado, Brasil e México empataram na liderança do Grupo A da Copa do Mundo, com quatro pontas cada. Porém, a Seleção Brasileira leva vantagem no saldo de gols. O próximo jogo do Brasil acontecerá na próxima segunda-feira, contra Camarões, às 17h (horário de Brasília). No mesmo dia e horário, o México encara a Croácia, pela última rodada da fase de grupos.

Espanha

Em 10 confrontos oficiais disputados na história, a Espanha nunca perdeu do Chile. E os atuais campeões mundiais precisarão manter o tabu nesta quarta-feira, às 16h, no Maracanã, para seguir com chances palpáveis de avançar às oitavas de final do Mundo de 2014, depois da estreia catastrófica com derrota por 5 a 1 diante da Holanda em Salvador. A missão, como bem sabem os comandados de Vicente del Bosque, não deve ser nada fácil. Espanhóis e chilenos se acostumaram a jogar um contra o outro nos últimos três anos, período em que a base de ambas as seleções se manteve em grande parte inalterada. Em amistoso de 2011, os europeus venceram por 3 a 2 com um gol no último minuto, depois de saírem perdendo por 2 a 0; já no ano passado, também em amistoso, empate por 2 a 2, novamente com a Espanha só conseguindo um gol nos acréscimos do segundo tempo.

Velocidade

O futebol de alta velocidade e muita energia na marcação dos chilenos costuma complicar o estilo de toque de bola paciente da Espanha. Esse é mais um fator que motiva Del Bosque a fazer mexidas no time, que se mostrou apático sem a bola na goleada sofrida para a Holanda e vulnerável a contra-ataques. O treinador – que nunca perdeu duas seguidas com a seleção, outro tabu importante – não deu indicações claras de alterações durante a semana, mas isso não impediu as especulações. Já do lado chileno, o clima é de confiança após a excelente estreia diante da Austrália, com vitória por 3 a 1. O time sul-americano dominou o jogo, atacou sem parar e poderia ter feito mais gols, mas também teve um período em que sofreu pressão – especialmente nos cruzamentos pelo alto, já que a defesa tem estatura extremamente baixa.

Implantar

A Fifa vai intermediar as negociações para que as transmissões áudiodescritivas possam seguir fazendo parte do dia a dia dos estádios brasileiros após a Copa do Mundo. “Muita gente passou a pensar em vir aos estádios depois que soube do projeto”, afirmou Anderson Dias, presidente da Urece, uma ONG voltada para projetos especiais para cegos e pessoas com baixa visão. Para começar, os equipamentos que está sendo usados nas transmissões no Rio, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília vão ficar no país. “Se for para ficar trancado em uma sala, vamos doá-los às ONGs”, disse Federico Addiechi, responsável da Fifa pelo projeto. Federico contou o quanto foi difícil fazer o projeto andar. “Conseguir uma frequência de rádio para as transmissões foi quase impossível”, lembrou, dizendo que as licenças saíram quase na última hora. “E só saíram porque era para a Copa do Mundo”, lembrou. Anderson Dias já foi atleta do futebol paraolímpico brasileiro e lembra que nunca houve vontade no país para que um projeto desse tipo fosse adiante. “Queria que o governo se interesse a levar o projeto adiante”, afirmou.

Desfalques

Duas lesões, quatro gols sofridos e um resultado desastroso para Portugal. Após a goleada sofrida para a Alemanha na estreia da Copa do Mundo, o técnico Paulo Bento ainda tenta juntar os cacos para seguir em frente. De cara, o treinador terá que buscar soluções para a partida do próximo domingo contra os Estados Unidos. Pelo menos quatro desfalques estão confirmados. O goleiro Rui Patrício e o atacante Hugo Almeida – ambos com estiramento na coxa esquerda – estão entregues ao departamento médico. O lateral-esquerdo Fábio Coentrão foi cortado após sofrer lesão grave na coxa direita. Já o zagueiro Pepe vai cumprir suspensão automática depois de ser expulso em Salvador. A tendência é que o goleiro Eduardo, o lateral André Almeida, o zagueiro Neto e o atacante Éder herdem as vagas dos desfalques. Diante de tantos problemas, a ordem é levantar a cabeça. É o que pregou o também zagueiro Bruno Alves. Com pelo menos mais dois jogos pela frente, o camisa 2 pediu motivação aos companheiros.

Reclama

O lateral esquerdo Marcelo deixou o jogo contra o México com uma reclamação contra a arbitragem. Ao término do placar por 0 a 0, nesta terça-feira, na Arena Castelão, o jogador alegou ter sofrido um pênalti em disputa no fim do jogo. “Eu tinha a posse de bola, e ele me puxou. Se não tivesse puxado, eu não falaria que foi pênalti. Estava com a bola na área e, se ele não me puxa, conseguiria seguir e cruzar”, afirmou o lateral, à TV Globo. No momento da jogada, Marcelo reclamou bastante com o turco Cuneyt Cakir, que considerou tudo normal. Apesar de irritado com a jogada, o lateral esquerdo não acha que o árbitro tenha se sentido pressionado por conta da polêmica que gerou o pênalti sofrido por Fred na estreia. “Acho que não. Os árbitros são competentes e não ficam pensando se um jogo teve lance estranho. Não tem nada a ver uma coisa com outra”, declarou.

Inusitado

Nesta segunda-feira um fato inusitado aconteceu na Arena da Baixada. Não foi nem o fraco jogo entre Nigéria e Irã, o primeiro 0 a 0 da Copa do Mundo, e muito menos a festa dos torcedores, que contagiou a todos na capital paranaense. Mas sim a história de um senhor de 88 anos, que assistiu pela segunda vez a uma partida de um Mundial em Curitiba. Trata-se de Ângelo Carrano, que em 1950 acompanhou o jogo entre Suécia e Paraguai no Durival Brito e Silva. Depois de 64 anos, ele voltou a assistir in loco um duelo de um Mundial. “Foi uma emoção incrível, algo inenarrável”, declarou. “Lá atrás foi na Vila Capanema, que era campo do Ferroviário, que passou por diversos ajustes para receber a Copa do Mundo. Eu assisti em um desses lugares ajustados. A Suécia abriu 2 a 0, mas permitiu o empate no segundo tempo”, recordou.

Alternativa

Tradicional reduto boêmio e um dos principais palcos do Carnaval de rua paulistano, a Vila Madalena, zona oeste da capital paulista, se consolidou como uma espécie de Fan Fest alternativa em dias de jogos da Copa do Mundo. Organizada pela Fifa, a Fan Fest acontece em lugares geralmente turísticos das 12 cidades que abrigam o Mundial. Em São Paulo, o evento é realizado no Vale do Anhangabaú, no centro da cidade, com torcidas de diferentes seleções – muitos, turistas. Na Vila Madalena, durante a partida entre Brasil e México, uma multidão voltou a tomar conta das ruas do bairro depois da abertura contra a Croácia, quinta passada, em São Paulo. Formado quase que majoritariamente por brasileiros, o público se reuniu para celebrar uma eventual vitória, mas acabou frustrado com o empate por 0 a 0 diante dos mexicanos. “Não tenho mais o que comemorar”, reclamou o consultor Jefferson Santana, 32 anos, morador da Vila Madalena. “Um time que quer ser campeão não pode empatar por 0 a 0”, afirmou.

Estrangeiros

“Tres cervezas son diez reales” (ou três cervejas por dez reais, em português), gritava um argentino na tarde desta terça-feira em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. Não são só os brasileiros que aproveitam o movimento de pessoas na praia de Copacabana, onde está montada a arena Fifa Fan Fest do Rio, para faturar uma grana. Os estrangeiros também estão fazendo de tudo um pouco para ganhar um trocado no meio da multidão. Com uma tímida caixa térmica, o argentino Gonzalo Mujica, de 29 anos, vendia cerveja antes da partida entre Brasil e México. Disse que o objetivo era ajudar a custear a viagem dele e da namorada pela América Latina, que já dura sete meses e está tendo uma parada de duas semanas no Brasil. Ele, que está dormindo num trailler com a namorada, contou que não está tendo problemas para vender bebidas. “Tenho que ter cuidado com a fiscalização. Mas os fiscais não apreenderam nada, no máximo dizem para eu mudar de lugar”, disse Mujica.

Comitiva

Uma comitiva russa que está organizando a Copa do Mundo de 2018 visitou em Cuiabá as instalações usadas durante o Mundial e também analisou a mobilidade urbana na cidade. O grupo fez passagens rápidas à Arena Pantanal, Fifa Fan Fest e Arena Cultural, além de se reunir com comerciantes e o Governo do Estado. Na Rússia as cidades-sedes da próxima Copa já foram escolhidas e os preparativos já começaram. Os erros identificados no Brasil podem servir de exemplo para que não se repitam no país do leste europeu. Em reunião na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), o engenheiro responsável pela Arena Pantanal, João Paulo Borges Curvo, ressaltou o quanto foi difícil construir um estádio padrão Fifa e que tem como destaque a sustentabilidade. A Arena possui dispositivos para promover redução do consumo energético, reciclagem e reuso das águas da chuva. O engenheiro também lembrou que o governo do Estado envolveu presidiários nas obras da cidade, o que seria uma preocupação social durante os preparativos.

Tiroteio

O chefe de segurança da seleção de Honduras, Saúl Bueso, confirmou nesta terça-feira o incidente da madrugada de segunda-feira nas imediações do hotel de Porto Feliz, em São Paulo, onde Honduras está concentrada para a Copa do Mundo, quando foram ouvidos “pelo menos seis disparos”. Segundo informou à Agência Efe, a cidade de 50 mil habitantes amanheceu um tanto vazia pelo rumor de um suposto tiroteio contra as patrulhas policiais que vigiam o centro de treinamento e o hotel hondurenho, um incidente que a Polícia Militar de São Paulo negou à Efe por meio de comunicado. Segundo Bueso, o tiroteio envolveu quatro criminosos comuns na vizinha cidade de Sorocaba, onde tentaram roubar dinheiro de um caixa automático.

Ministro

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, confirmou ao Terra que o governo federal assumiu parte da segurança interna e nos arredores da Arena Castelão, em Fortaleza, onde o Brasil jogou contra o México nesta terça-feira. Segundo Cardozo, a empresa de segurança privada contratada pela Fifa não cumpriu com suas obrigações e diversos vigias não foram ao estádio. Cardozo não afirmou o contingente que foi deslocado, mas disse que homens da Força Nacional de Segurança, da Polícia Federal e da Polícia Federal Rodoviária, além de policiais militares e civis, já se dirigiram ao estádio para reforçar o policiamento na área. “Estamos enviando homens para reforçar o esquema de segurança que ficou deficitário após o não cumprimento do acordo da Fifa com a empresa de segurança privada que eles contrataram”, disse o ministro. Os agentes das forças estadual e federal farão não apenas o policiamento interno do estádio como também nos arredores do Castelão. Segundo Cardozo, não haverá prejuízo no esquema de segurança.

Comemorar

Um torcedor morreu nesta quarta-feira em Bruxelas por causa dos ferimentos provocados após cair de uma estátua, quando comemorava o triunfo da seleção da Bélgica diante da Argélia, por 2 a 1, no estreia das duas equipes na Copa do Mundo. O homem sofreu uma forte queda quando celebrava a vitória, ao escalavar uma das estátuas do edifício da bolsa de valores, no centro de Bruxelas, que serve tradicionalmente como ponto de encontro para as comemorações na capital, informou o jornal Le Soir. Após a queda, o homem foi levado para um hospital, onde morreu por causa dos “graves ferimentos” que sofreu, confirmou o La Dernière Heure. Já na cidade de Stabroek, ao norte de Antuérpia, outros dois torcedores tiveram que ser resgatados pelos bombeiros depois que subiram em um andaime em volta das torres da igreja local e não conseguiram descer.

Recuperação

O treinador de Camarões Volker Fincke não acredita na recuperação de Eto’o até a hora do jogo desta quarta-feira contra a Croácia. Mas faz questão de tê-lo ao seu lado pela importância do astro para o time. “Não é segredo a lesão do Eto’o no joelho. Sua chance de estar em campo é muito pequena. Em assuntos deste tipo não podemos fazer milagre. Só esperar a recuperação. Mas ele quer ajudar e é importante que esteja conosco, pelo menos no banco de reserva”, disse. Sobre a partida de vida ou morte em Manaus, além de insinuar que promoverá o retorno de Matip ao time titular, Fincke fez questão de frisar que acredita na recuperação de Camarões nesta Copa, pois o país ainda não está morto na competição. “Minha equipe já teve uma melhora em relação ao jogo contra o México. Seguimos com a motivação em alta e confio nos meus jogadores”.

Confiança

Lee Keun-Ho contou com enorme colaboração do goleiro Akinfeev para marcar o primeiro gol da Coreia do Sul na Copa do Mundo. Terminado o empate por 1 a 1 com a Rússia, o atacante viu relação entre a falha do arqueiro e a sua certeza de que tinha condição de balançar a rede.  “Eu estava com uma boa sensação nos chutes do aquecimento. Então, entrei confiante. Talvez minha sorte tenha a ver com essa confiança”, sorriu o atacante de 29 anos, que não disputou o Mundial da África do Sul. “Eu sempre sonhei e esperei por este momento, desde que fui deixado de fora em 2010”. Já o técnico Hong Myung-Bo disse ter colocado o veloz jogador do Sangju Sangmu FC também com a confiança de que ele poderia ter sucesso. O otimismo foi confirmado quando o camisa 11 partiu pela intermediária, arriscou de fora da área e viu a bola passar entre os dedos de Akinfeev.

Presidente

O presidente russo Vladimir Putin assistirá, em 13 de julho, no Rio de Janeiro, a final da Copa do Mundo, informa o jornal Izvestia. Putin acompanhará a cerimônia de encerramento no estádio do Maracanã, onde a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, transmitirá simbolicamente a responsabilidade de organizar a próxima Copa, que será disputada na Rússia em 2018. As autoridades russas pretendem investir quase US$ 20 bilhões (R$ 45 bilhões) para construir estádios e infraestruturas em todo o país.

Manifestação

Ao menos quatro pessoas, segundo a Polícia Militar, foram detidas e levadas para a 22ª DP, durante uma manifestação realizada no centro do Rio de Janeiro, nesta terça-feira. O protesto, organizado via redes sociais, reuniu apenas 50 pessoas que caminharam da Candelária até a Rua Uruguaiana acompanhadas de perto pela polícia. Durante o trajeto, a PM revistou alguns manifestantes que estavam de mochila, sempre sendo vaiada. No domingo um grupo de manifestantes tentou se aproximar do Estádio Maracanã, onde Argentina e Bósnia jogavam, mas foi dispersado pela polícia.

Resumo

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará divulgou nesta terça-feira um resumo das ocorrências policiais ocorridas na cidade de Fortaleza em decorrência do jogo entre Brasil e México, no Estádio do Castelão, pela segunda rodada do Grupo A da Copa do Mundo. No total, 43 boletins de ocorrência foram registrados por extravio e furto de objetos pessoais – foram 25 no Estádio do Castelão, e 18 na Fifa Fan Fest realizada na Praia de Iracema. A delegacia móvel da Fan Fest ainda registrou um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) por uso de maconha. O caso mais grave, no entanto, foi o de um menino de 7 anos baleado na Praia de Iracema. Em decorrência de uma suposta tentativa de assalto, o garoto foi atingido de raspão na clavícula por um disparo e socorrido por uma ambulância.

Colombianos

Dez colombianos foram presos no Brasil por roubo, porte de arma branca e brigas desde o início da Copa do Mundo, informou nesta terça-feira à imprensa a ministra das Relações Exteriores da Colômbia, María Ángela Holguín. Temos “dez casos de pessoas detidas, por um caso de roubo, um de porte de armas e por brigas”, relatou a chanceler sobre a situação de seus compatriotas que vieram ao Brasil acompanhar o Mundial. “Esperamos que isto não cresça, mas para a quantidade de colombianos que há neste momento no Brasil, estamos vendo que é algo muito menor”, disse Holguín. De acordo com ela, outros oito colombianos ficaram feridos em acidentes de carro, mas foram atendidos e estão fora de perigo. O ministério estima em cerca de 60.000 o número de colombianos de passagem pelo Brasil para acompanhar a Copa. Para atender a seus cidadãos, a Colômbia espalhou consulados móveis pelas cidades mais visitadas. A seleção colombiana, que está no Grupo C do Mundial junto com Grécia, Costa do Marfim e Japão, estreou no sábado passado, 14 de junho, com uma vitória de 3 a 0 sobre a equipe grega.

(*) Wilson Barbosa é jornalista e cronista esportivo. Email: www.wilsonbarbosatreze@gmail.com

 

Deixe uma resposta