Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Classificação de risco: HCM fará agendamentos por ordem de prioridade

Classificação de risco: HCM fará agendamentos por ordem de prioridade

A mudança deve garantir mais rapidez e comodidade na marcação de consultas para 11 especialidades - Foto: Neto Figueiredo

A mudança deve garantir mais rapidez e comodidade na marcação de consultas para 11 especialidades – Foto: Neto Figueiredo

O HCM (Hospital Coronel Mota) modificará o fluxo de atendimento com a adoção do Protocolo de Classificação de Risco Ambulatorial a partir da próxima semana. Para isso, nesta quarta-feira, dia 8, realizará um treinamento com os profissionais envolvidos, no auditório do bloco de Medicina da UFRR (Universidade Federal de Roraima).

Depois da capacitação dos profissionais, haverá adequação do encaminhamento de pacientes para a unidade de Saúde, cujas consultas serão agendadas conforme a prioridade de cada caso. A mudança vai possibilitar um acesso mais igualitário aos serviços ambulatoriais especializados.

Será adotada a classificação por cores para as 11 especialidades mais demandadas dentre as 36 disponíveis na unidade. A mudança atinge as consultas para Cardiologia, Cirurgia Vascular, Dermatologia, Gastrenterologia, Neurologia, Endocrinologia, Ortopedia, Oftalmologia, Pneumologia, Urologia e Psiquiatria. O novo sistema permitirá ao médico solicitante, nos postos de saúde ou outras unidades, de sugerir, no momento da solicitação, a priorização adequada.

As solicitações serão avaliadas por uma Central de Regulação instalada no HCM, onde médicos reguladores irão analisar caso a caso e classifica-los de acordo com a necessidade de cada paciente. Para isso, é importante que o encaminhamento contenha todas as informações que possibilitem a classificação do quadro clínico do paciente.

Para o diretor do HCM, Sandro Fernandes, o novo sistema permite uma revolução no acesso ao serviço ambulatorial, pois contribuirá para a celeridade no agendamento destas consultas, além de tornar o processo mais acolhedor, pois irá reduzir com as filas na unidade.

Faltosos

O diretor do HCM, Sandro Fernandes, explicou que a celeridade vai acontecer principalmente pela redução no número de faltosos. Para se ter uma ideia do problema enfrentado atualmente, no mês de fevereiro foram registradas mais de 3.300 faltas às consultas agendadas, o equivalente a quase um terço do total. “Muitas dessas faltas estão relacionadas ao encaminhamento indevido, o que deverá ser minimizado com esse novo sistema, pois um médico regulador irá analisar todas as solicitações e, se necessário, solicitará mais informações da unidade solicitante que justifiquem aquele pedido”, esclareceu.

O novo sistema prevê que o usuário deverá procurar a unidade solicitante sobre uma eventual ausência. Os pacientes faltosos serão agendados para até 60 dias caso não justifiquem o motivo da falta.

Entenda como funciona o novo sistema

Com o novo sistema, os pacientes serão classificados nas seguintes cores:

Vermelho – São situações clínicas graves e/ou que necessitam de um atendimento prioritário, em até 30 dias;

Amarelo – São situações clínicas que necessitam de agendamento prioritário, em até 60 dias;

Verde – São situações que necessitam de atendimento em até 90 dias;

Azul – São situações clínicas que não necessitam de agendamento prioritário, podendo aguardar em fila de espera.

Os casos de urgência ou emergência não devem ser encaminhados ao HCM, mas sim, acionado o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) caso haja necessidade de remoção. As unidades de urgência e emergência já adotam o sistema de acolhimento com classificação de risco, nos quais são priorizados os pacientes em situação mais grave.

Fluxo

No caso do atendimento classificados na cor vermelha, o médico da unidade solicitante faz um relatório explicando os motivos da solicitação, o qual será enviado pela unidade solicitante aos médicos reguladores do HCM.

O médico analisa o relatório e pode deferir, indeferir, encaminhar para agendamento sem prioridade ou solicitar mais informações. Em 24 horas úteis, a unidade solicitante recebe a informação; além disso, a Central de Regulação entra em contato com o paciente informando a data do agendamento. Uma vez concretizado o atendimento, o especialista deve preencher a ficha de contra referência para continuidade do acompanhamento nos postos de Saúde.

No caso das outras cores, o procedimento é similar. A unidade solicitante encaminha o pedido para o HCM, que faz o agendamento de acordo com a existência de vagas no sistema e de acordo com a prioridade definida.

Yana Lima

 

Deixe uma resposta