Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Interior | Baixo Rio Branco: Caravana do povo realiza mais de 3 mil atendimentos

Baixo Rio Branco: Caravana do povo realiza mais de 3 mil atendimentos

Foram visitadas 15 comunidades nos municípios e Caracaraí e Rorainópolis – Fotos: Johann Barbosa

A pequena embarcação desce o rio Jauaperi vinda da comunidade de Xixuaú. A balsa que leva os atendimentos da Caravana do Povo no Baixo Rio Branco não consegue chegar até lá por conta do nível baixo do rio. Mas isso não significa que os ribeirinhos daquela localidade deixariam de ser atendidos.

A balsa ficou ancorada às margens do Jauaperi, na comunidade de Samaúma, onde menos de dez famílias vivem e tiram o sustento, seja da pesca ou da agricultura. Em quase duas semanas de trabalho foram realizados exatos 3.170 atendimentos. Somente na área de saúde, cinco especialistas nas áreas de oftalmologia, ginecologia, pediatria, cardiologia e clínica geral atenderam os moradores.

“São pessoas bastante necessitadas dessas ações e eu fico feliz em poder atendê-las. Espero estra presente em outras caravanas como essa”, relatou Gecel Ferreira, ginecologista.

Após o atendimento médico, quem necessitava de remédios era encaminhado para a farmácia, que funcionava no próprio barco. Na área de oftalmologia, aqueles que eram diagnosticados com a necessidade do uso de óculos já podiam escolher a armação, que em breve serão entregues para as 204 pessoas que se cadastraram.

“É possível perceber a alegria das pessoas quando chegamos nas comunidades. Elas estavam ansiosas pelos atendimentos de saúde e conseguimos suprir essa necessidade, por isso toda a equipe está muito satisfeita com o trabalho”, disse Nadistony Pinheiro, diretor de Saúde Itinerante da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde).

A vista de Itaquera

No alto de um imenso barranco a comunidade de Itaquera observa o rio Jauaperi seguir seu rumo, dividindo os Estado de Roraima e do Amazonas. Pelo menos 33 famílias vivem no local, onde tudo é limpo e organizado, com sinal de internet aberto para os ribeirinhos.

A chegada da Caravana do Povo levou muito mais que os serviços disponibilizados pela equipe. Levou também a certeza da preocupação do Governo de Roraima com a saúde e o bem-estar dessa população. “Não é fácil conseguir sair da comunidade para conseguir atendimento médico, e sabemos que também não é fácil uma equipe tão grande passar todo esse tempo viajando e levando esses serviços. Por isso nós agradecemos o trabalho de vocês”, disse Márcio Nascimento, morador da comunidade de Itaquera.

Balcão e crédito

A procura pelo programa Balcão de Ferramentas, desenvolvido pela Setrabes (Secretaria Estadual de Trabalho e Bem Estar Social), em parceria com a Desenvolve RR (Agência de Desenvolvimento de Roraima), foi marcante nessa Caravana.

A vontade dos ribeirinhos em investir na pesca e na agricultura fez com que fossem realizados 227 cadastros no programa que ofertou uma linha de crédito de até R$ 3.000.

“A determinação da governadora Suely Campos foi de levar os serviços do Governo para a população ribeirinha, e ao longo de quase 15 dias foi o que fizemos. Uma equipe dedicada e esforçada que trabalhou duro para atender a todos”, comentou Adolpho Brasil, coordenador da Caravana do Povo.

O Crédito do Povo foi outro programa de Governo que chegou aos ribeirinhos. Nas comunidades visitadas, foram cadastradas 236 pessoas com perfil para serem contempladas com o programa de distribuição de renda do Governo de Roraima.

Sem divisas

Enquanto descia o rio Jauaperi a embarcação da Caravana do Povo também realizou atendimentos. Vez por outra uma pequena embarcação, impulsionada por um motor de rabeta se aproximava e se atracava na balsa.

Uma consulta com o clínico, uma medicação aplicada, remédios entregues e lá seguia o pequeno barco, para novamente enfrentar a força da água. “São pessoas que moram no Amazonas, na outra margem do rio Jauaperi, mas que acabam encontrando mais atendimentos médicos ofertados pelo Estado de Roraima”, confessou Romário Sousa, um morador da comunidade de Itaquera e que serviu como guia em um trecho da viagem, ajudando a evitar surpresas desagradáveis com os bancos de areia que começavam a aparecer por conta do nível do rio, que vem baixando.

Demais serviços

Ainda na área da saúde foram realizados exames de preventivo e também testes de malária. Em todas as comunidades visitadas foram diagnosticados e tratados casos da doença. A atualização do cartão de vacina foi um dos serviços mais procurados, ajudando a totalizar os 2.475 atendimentos no setor de saúde.

A Femarh (Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos) entregou 28 carteiras de pescador, para quem já havia entrado com o pedido junto à Fundação. Além disso foram recolhidas assinaturas dos ribeirinhos interessados em participar do conselho consultivo da APA Baixo Rio Branco, que vai definir as diretrizes ambientais para o desenvolvimento da região, levando em conta a preservação do meio ambiente.

Ensino Médio

Em quase todas as comunidades visitadas havia a presença de uma escola municipal. Umas das principais demandas em relação à educação é a oferta de ensino médio nessas comunidades. Por isso, Alcir de Oliveira, coordenadora pedagógico da Seed (Secretaria Estadual de Educação e Desporto) realizou um levantamento para conhecer a real necessidade de cada vila.

“É uma recomendação do Ministério Público que seja implantado o ensino médios nas comunidades ribeirinhas onde há demanda. Nessa viagem fizemos um mapeamento onde constatamos uma grande demanda. O ensino médio deve ser implantado em 4 pólos: Sacaí, Caicubi, Cachoeirinha e Terra Preta”, explicou Alcir, complementando que essa última, deve atender também as comunidades de Lago Grande e Canauini.

Despedida

Após 15 dias de convivência a equipe se despediu com emoção, do trabalho realizado com muita dedicação. Foram duas semanas de convivência, trocando experiências e realizando um trabalho conjunto, onde todos se auxiliavam de alguma forma, para que os atendimentos fossem realizados de uma maneira que a população ribeirinha pudesse ser atendida da melhor forma.

Uma reunião na proa da balsa, aplausos a cada agradecimento, e a certeza de que o trabalho foi um sucesso. “A sensação é de dever cumprido. Levamos atendimentos de saúde, social e principalmente informação para os ribeirinhos. Entregamos cestas básicas e kits para implementar a agricultura da região. Mas principalmente mostramos que o Governo do Estado está presente e se preocupa com a população de Roraima, mesmo nos locais mais distantes e de difícil acesso”, finalizou Gilzimar Barbosa, secretário estadual de Agricultura, e um dos coordenadores da Caravana do povo no Baixo Rio Branco.

Johann Barbosa

 

 

Deixe uma resposta