Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Opinião | Artigo: Prosperidade – João Antonio Pagliosa

Artigo: Prosperidade – João Antonio Pagliosa

A situação econômica de nosso país é muito séria. E o governo, pasmem, ainda não entendeu!

Os nossos políticos, com ênfase nas duas últimas décadas, foram os artífices desta caótica realidade, porque desprezaram e ignoraram princípios básicos de economia e gestão. Eles, no alto de sua arrogância e profundo despreparo, não se importaram com os números gritantes, com os déficits estratosféricos, com os gastos faraônicos, com os juros aviltantes. E deu no que deu!

E seguiram e seguem distribuindo aumentos salariais ao funcionalismo público, e as costumeiras benesses e mimos aos amigos do rei. Agiam e agem como se o Brasil fosse um país rico.

Nossos políticos não conseguem entender que não somos ricos. Somos país potencialmente rico, mas somos um país pobre, e afirmo isso baseado em números. Os números não mentem! Então vamos lá!

O PIB brasileiro em 2015: R$ 5,9 trilhões de reais. População em dez 2015: 205,2 milhões de habitantes.. Isto significa renda média de R$ 28.752.00 por pessoa por ano, ou R$ 2.396,00 por mês. A nossa carga tributária é 37%, então a renda média mensal de cada brasileiro é R$ 1.510,00. Este número é media de toda a população, ou seja, a coisa está nada bem. Se quiser considerar a renda familiar bruta de toda a população brasileira, ela se segmenta assim:

46% das famílias recebem até R$ 1.700,00 por mês.

24% das famílias recebem entre R$ 1.701,00 e R$ 2.600,00 por mês.

16% das famílias recebem entre R$ 2.601,00 e R$ 4.400,00 por mês.

9% das famílias recebem entre R$ 4.401,00 e R$ 8.800,00 por mês.

4% das famílias recebem entre R$ 8.801,00 e R$ 17.600,00 por mês.

1% das famílias recebem acima de R$ 17.601,00 por mês.

Estes números exprimem renda familiar total, de pessoas com carteira assinada.

Ora, todos sabemos que a distribuição de renda no Brasil é um grande problema, mas os números acima mostram que o problema maior é outro, ou seja, há pouca riqueza para distribuir ao povo brasileiro, e a única solução é aumentarmos o nosso PIB.

O PIB abaixo de 6 trilhões de reais para população acima de 205 milhões é exageradamente pequeno e a solução é aumentar a produção de riquezas, bens, serviços. Só isso irá melhorar o padrão de vida de cada um de nós. Em economia não há mágicas…Não há como repartir melhor o que não existe!

Porém, sabemos que o PIB encolherá este ano de 2016 e os ganhos diminuirão pelo menos uns três por cento na média. Está difícil e vai ficar pior! Embora o FMI e diversos outros órgãos de avaliações de economia, começam a melhorar as perspectivas e veem melhoras tênues em nosso panorama econômico. E isso é muito bom porque aumentam as possibilidades de investimentos no Brasil e nós precisamos muito de investimentos externos para alavancar obras em infraestrutura.

Mas, voltemos a realidade… Como virar o jogo? O que diferencia aquelas pessoas cujas famílias ganham menos de R$ 1.700,00 por mês, daquelas que ganham acima de R$ 17.601,00?

A resposta é : O que diferencia essas pessoas é unicamente a sua forma de pensar! Só isso.

Nós somos aquilo que pensamos! A forma como pensamos diferencia as pessoas, diferencia as suas atitudes e procedimentos, diferencia suas visões e entendimentos. Diferencia os seus proventos, as suas receitas, os seus LUCROS.

E invariavelmente o homem tende a repetir a história de sua família, ou seja, o homem não aprende com a história. E isso é uma grande lástima porque é uma questão crucial. Pobres tendem a continuar pobres. Remediados tendem a continuar remediados. Ricos tendem a continuar ricos nas suas descendências. Sim, há honrosas exceções, mas elas são poucas. Trágico, não é?

Pensar de forma positiva, engendrar na mente planos de negócios rentáveis, visualizá-los mentalmente, geram sensações assaz agradáveis e edificantes, que por sua vez geram experiências de vida e criam expectativas muito promissoras. E o universo sempre conspira a nosso favor, isto é, se penso positivamente, o universo me ajuda. Se penso de forma negativa, o universo continua conspirando a meu favor, ou seja ele me prejudica. O universo age como o seu cérebro determina, portanto tenha absoluto domínio sobre o que sua mente PENSA!

Quando você é pessimista você conspira contra você próprio. Quando você abre a boca para reclamar ou para se diminuir, você se fragiliza ainda mais e aborrece os outros. Quando você se deprecia, você age contra você mesmo. Quando você se deprime, você aceita ficar por baixo.

Urge mudar! E o meu conselho é : Abra-se com aquele em quem você confia! Não se intimide em pedir ajuda, porque todos somos falhos, porém todos podemos ser vencedores. Enquanto respirar, LUTE!

Entusiasme-se, porque o entusiasmo é quase tudo para se obter sucesso!

Ao longo de minha vida, conheci algumas pessoas prósperas, conheci algumas poucas muito prósperas. Prósperas no sentido global e não apenas financeiro, e essas pessoas, todas elas, tem uma característica comum.

Elas tem muito claro em suas mentes, o que querem obter e aonde querem chegar.

Pessoas prósperas mentalizam os seus sonhos, e os materializam, isto é, se desejam um determinado carro, elas se dirigem a concessionária e fazem um teste drive, tocam o carro que desejam. Sentem com exatidão o prazer de possui-lo. Dirigem o carro e saem da loja muito mais disposto a consegui-lo. Acredite, isso faz uma abissal diferença!

Creia, se você não tiver claro em sua mente o que quer conseguir, você não prosperará!

Todos temos sonhos, entretanto os empreendedores que não materializarem seus objetivos em suas mentes, e não trabalharem obstinadamente para isso, não terão sucesso em suas empreitadas.

Mas há ainda outras questões há considerar: Seu objetivo precisa estar ao alcance de suas habilidades e potencialidades. Avalie-se com tenaz realidade, e absoluta transparência. E pergunte-se : É possível para mim, adquirir este mimo que desejo? Posso alcançar este nível de rendimentos?

Eu possuo competência, ou estou iludido quanto a mim mesmo? Preciso estudar mais? Preciso agregar mais um curso em minha formação?

O que sei é que pessoas que prosperam acreditam em si próprias, e a crença é a base de sustentação para alavancar tudo aquilo que materializou conquistar.

E vivemos num mundo onde dependemos dos outros. Ninguém é uma ilha!

Nós precisamos nos relacionar e interagir com muitas pessoas para conquistar metas, e eu, particularmente, sempre aprendi mais ouvindo os outros do que estudando nos livros. Ler me ajudou e me ajuda muito, mas afianço que ouvir me ajudou muito mais. Pelo menos duas vezes mais.

E se quiser ser próspero, saiba conduzir a conversação para obter a informação que deseja. Eu sempre procurei ensinar qualquer pessoa que quisesse aprender o que sabia, por isso nunca tive nenhuma dificuldade em obter as informações que eu não tinha, fosse de quem fosse. É dando que se recebe! Simples assim! É o universo conspirando…

Os verdadeiros empreendedores colocam seu foco na geração de resultados para a Empresa, não para o seu grupo de trabalho ou o seu feudo. Reflita sobre isso!

Os sonhos se tornam reais quando nós temos propósito e nos enchemos de entusiasmo para realizá-lo. Quando este propósito irá contribuir para a melhoria de qualidade de vida de pessoas, isso nos encorajará, nos dará novas forças porque o empreendedor verdadeiro sabe que é muito mais importante DAR do que RECEBER.

Se você quer receber o bem de quem quer que seja, faça primeiro o bem a ele. Ele retribuirá! Certamente lhe retribuirá…

E teorias são sempre necessárias, contudo, não servem para nada se não as implementarmos. Só as ações movem o mundo, portanto AJA sob um plano de ação previamente estudado, discutido e definido.

A ação gera resultados. A ação gera dinheiro no bolso. A ação o torna útil a sociedade.

E como não somos ilhas, associe-se à pessoas que tem os resultados que você almeja ter. Aprenda com quem sabe! Seja transparente e peça orientação em temas que ainda são nebulosos para você.

Se deseja ser próspero, aprenda com quem já é próspero! É óbvio, é verdadeiro, mas muitos não fazem isso…Não aprendem…E insistem em reinventar a roda…

(*) João Antonio Pagliosa é de Curitiba-PR

Deixe uma resposta