Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Opinião | Artigo: Encontro da música brasileira com a portuguesa – Luiz Carlos Amorim

Artigo: Encontro da música brasileira com a portuguesa – Luiz Carlos Amorim

O dia 25 de junho foi um dia memorável para Florianópolis, pois tivemos aqui no Teatro do CIC o show fabuloso do cantor português Antonio Zambujo e do violonista brasileiro Yamandu Costa e a participação da guitarra portuguesa de Luiz Guerreiro. Eles estiveram encantando outras platéias também no Rio e em São Paulo. Tive a oportunidade de assistir esse espetáculo imperdível por obra e graça do Pierre Aderne, cantor, compositor, poeta, apresentador e produtor que vive em Portugal e tem feito muito bem, lá e aqui, esse trabalho de integração da música portuguesa com a brasileira, com programas como “Música Portuguesa Brasileira,”, “Desafinado” e “Rua das Pretas”. E por gentileza do Tiago Cação, da produção do cantor português, aos quais muito agradeço.

Eu confesso que não sabia bem o que esperar, mas quando o espetáculo começou, eu não vi mais o tempo passar. Eu esperava, é claro, ouvir fados, mas não esperava tudo o que eu tive o privilégio de ouvir. O violonista brasileiro, um virtuose. Que talento, que energia, que bom gosto no repertório. A guitarra do xará português, que eu acho que já conheço porque tenho a impressão que ele tocou no show de lançamento do CD de Cuca Roseta no Mosteiro dos Jerônimos, em Lisboa, foi sensacional. E a voz do cantor Zambujo, ah, meus amigos… Vou repetir o que o Yamandu teria dito: a voz de Zambujo ilumina as palavras. Porque é a mais pura verdade. Um vozeirão que pode ser suave e intenso com uma facilidade incrível, alcançando os tons mais altos e mais baixos com a maior naturalidade. Uma voz cristalina, que a gente ficaria ouvindo muito além das duas horas do espetáculo, que passaram num átimo.

Que feliz encontro, esse, de talentos portugueses e brasileiro. O teatro do CIC lotou, com seus quase mil lugares, evidenciando o interesse por este tipo de espetáculo, intimista e interativo. Os músicos, tanto cantor como instrumentistas, fantásticos e o local apropriado, pois o som do teatro estava perfeito. Podia-se ouvir a voz de Zambujo limpa e clara e clara e os instrumentos sem distorção alguma.

Realmente um privilégio pode ter um espetáculo dessa envergadura na nossa capital. Que venham mais vezes, que venham de novo. A plateia agradece e aplaude. De pé

(*) Luiz Carlos Amorim é Coordenador do Grupo Literário A ILHA em SC, com 33 anos de atividades e editor das Edições A ILHA, que publicam as revistas Suplemento LIterário A ILHA e Mirandum (Confraria de Quintana), além de mais de 50 livros.

 

Deixe uma resposta