Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Geral | Alunos da Uerr retornam de pesquisas no Amazonas

Alunos da Uerr retornam de pesquisas no Amazonas

Alunos da Uerr durante pesquisa - Foto: Ascom/UERRAlunos do mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior, da Universidade Estadual de Roraima (Uerr), retornaram a Boa Vista depois de 19 dias desenvolvendo pesquisas no Amazonas. As atividades fazem parte da grade curricular dentro da parceria da Universidade com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA).

Os trabalhos foram baseados numa estação flutuante de pesquisa do INPA, no Lago Catalão, no município de Iranduba, próximo a Manaus. Várias atividades foram realizadas com professores e alunos do Amazonas, principalmente na coleta de peixes, plantas, invertebrados e plânctons, dentro da disciplina de Ecologia em Áreas Alagáveis.

As pesquisas realizadas pelos alunos da Uerr e do INPA poderão servir para futuras políticas de conservação e preservação do meio ambiente como também proporcionar desenvolvimento sustentável na região. O curso de mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior, da UERR, conta com oito acadêmicos pesquisadores.

A acadêmica Isis Rafânia contou que a viagem proporcionou a troca de experiências com os colegas do mestrado naquele Estado. “Foi importante conhecer novos ambientes, o que são e quais as suas características. Nós vimos esses ambientes in loco e conhecemos professores com visões e experiências diferentes. Nosso trabalho foi focado na verificação da diversidade funcional, que é a adaptação do animal, sua importância e função dentro do ambiente”, disse Isis.

“A troca de experiências foi grande e conferiu um avanço acadêmico para todos nós. Para a UERR, que ainda engatinha na área de pesquisa, foi um largo passo para futuros trabalhos de pesquisa, que irão impactar na área biológica”, afirmou Luiz Primeiro, aluno da Universidade Estadual. Para a acadêmica Paula Lopes o período no Amazonas serviu para troca de experiências e aprendizado no que se refere à logística e infraestrutura de pesquisas.

 

 

 

Deixe uma resposta