Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Interior | Agricultores são resgatados após 16 dias perdidos na selva em Roraima

Agricultores são resgatados após 16 dias perdidos na selva em Roraima

Apesar de estarem muito debilitados e cansados, eles recusaram atendimento médico e foram direto para suas casas reencontrar suas famílias - Foto: Divulgação

Apesar de estarem muito debilitados e cansados, eles recusaram atendimento médico e foram direto para suas casas reencontrar suas famílias – Foto: Divulgação

Os agricultores Manoel Jakson de Jesus, vulgo Pototi, 36 anos, e Ezequias Carneiro da Silva, 20 anos, foram localizados na manhã desta quarta-feira, 18, após passarem 16 dias perdidos na mata no município de Rorainópolis, região sul de Roraima.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros Militar de Roraima Francisco de Assis, que coordenou as ações de busca, os dois foram encontrados próximo ao rio Alalau, na divisa com o estado do Amazonas.

Pototi e Ezequias moram em uma vicinal na Vila do Judiá e no dia 2 de novembro saíram para caçar e retornaram no mesmo dia, quando foi no dia seguinte, saíram novamente e desde então desapareceram.

Após serem dados como perdidos, moradores da região iniciaram as buscas sem obter sucesso. Somente três dias depois, os bombeiros da Companhia de Preservação Ambiental de Rorainópolis foram comunicados do fato e passaram a coordenar as ações de busca com o apoio de policiais militares.

Conforme explicou o tenente De Assis, durante os 16 dias de operação, foram empregados nove índios, 23 mateiros da Vila do Jundiá, seis policiais militares e 11 bombeiros.

“As equipes eram montadas com cerca de 15 pessoas, sendo três bombeiros, dois policiais, mateiros e índios. Cada equipe passava quatro dias realizando buscas”, declarou.

De acordo com o oficial, as equipes fizeram buscas ao longo do trecho da BR-431, passando por vários lotes do lado esquerdo e direito. “Os lotes do lado esquerdo da BR vão até o limite da terra indígena Waimiri Atroari, onde adentramos por cerca de 10km realizando as buscas. Nessa região encontramos pistas de um acampamento feito por eles no segundo dia”, explicou.

Na manhã desta quarta-feira, os perdidos localizaram um picadão usado pelos índios da região e seguiram por ele até certo ponto, onde ouviram o barulho de um barco próximo a aldeia dos indígenas, identificada como aldeia Alalau. Os agricultores pediram ajuda dos índios que já estavam sabendo do desaparecimento deles e os resgataram próximo ao rio Alalau.

Da aldeia, os índios comunicaram a localização dos perdidos por telefone via satélite e , no final da manhã desta quarta-feira, os bombeiros foram até o rio Jauaperi, no final da BR-431, conhecida por estradinha, e receberam os perdidos.

Durante os 16 dias que passaram na mata, os dois se alimentaram de animais e peixes. Apesar de estarem muito debilitados e cansados, eles recusaram atendimento médico e foram direto para suas casas reencontrar suas famílias.

Raustman Gondim

 

Deixe uma resposta