Templates by BIGtheme NET
PÁGINA PRINCIPAL | Variedades | Ação integrada de alunos do IFRR com Legislativo começa a promover mudanças na zona oeste

Ação integrada de alunos do IFRR com Legislativo começa a promover mudanças na zona oeste

Primeiras intervenções foram voltadas para a questão representativa da região, que passou a ter como nomes de ruas pessoas e temas importantes para alunos e moradores – Fotos: Gildo Júnior

O processo de contato e intervenção na zona oeste da cidade, mais precisamente no bairro Laura Moreira, começou com a mobilização da Direção CBVZO (Campus Boa Vista Zona Oeste) do IFRR (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima), que foi em busca de uma assistência maior por parte do Município para aquela região da cidade, devido a deficiências diversas em áreas como segurança e infraestrutura. Para isso, além de acionar a Prefeitura com as demandas mais urgentes, sobretudo as relacionadas à instalação e ao funcionamento da nova unidade de ensino do instituto no local, a gestão do campus buscou o apoio do legislativo municipal para que conhecesse a realidade da área e passasse a se tornar agente ativo na representação do anseio da comunidade.

Feito o estreitamento, por meio do vereador Linoberg Almeida, que apoiou de pronto a iniciativa, o CBVZO promoveu discussões entre os moradores do bairro e adjacências, por meio dos estudantes do campus, que receberam orientações nas aulas de sociologia, sobre o processo de participação política da população junto ao legislativo na representação de demandas sociais.

Segundo o professor titular da disciplina, que encabeçou o projeto na unidade de ensino, Denison Rafael, o trabalho com os estudantes envolveu levantamento de dados e debate a respeito da situação da comunidade e da participação cidadã. “O objetivo inicial foi promover uma transformação simbólica, que agora inicia os próximos passos de ressignificação da zona oeste, além de entendermos a importância do CBVZO naquela localidade”, explicou, informando que as turmas que passaram por esse processo chegaram a participar também de sessões na Câmara Legislativa, de audiências públicas e da sessão itinerante realizada na comunidade.

O vereador Linoberg, além de continuar acompanhando as demandas apresentadas pelos alunos do IFRR e pela comunidade da zona oeste, durante a sessão itinerante da Câmara, como problemas de ruas intrafegáveis e falta de segurança, já conseguiu, por meio de encaminhamentos à Prefeitura, solucionar algumas questões pontuais como iluminação deficiente e, além disso, aprovar um projeto trocando os nomes de algumas ruas da área por outros escolhidos por meio da atuação dos estudantes.

“Depois do contato que tivemos com o IFRR, passamos a propor à população da zona oeste entender o que muda com a chegada do instituto naquele local, pois trata-se de um parceiro para o desenvolvimento dessa parte da cidade, desde o início da construção da unidade de ensino. A intenção é fazer com que as pessoas que já viviam ali antes do IFRR chegar entendam isso e participem desse processo histórico da construção dos bairros, da construção da cidade. E já conseguimos alguns resultados, como dar início ao processo de reconhecimento de identidade e pertencimento dos moradores com o trabalho em parceria com a gestão e os estudantes do campus da zona oeste, em que acabamos aprovando um projeto de modificação dos nomes de várias ruas, que passaram a ter significado para as pessoas daquele local”, destacou.

A partir de agora, com projeto de autoria do vereador Linoberg, aprovado nesta terça-feira, 6, na Câmara de Vereadores, cinco ruas do bairro Laura Moreira deixaram de ter códigos e ganharam nomes escolhidos por meio de representação popular: a rua CC 1 passa a se chamar rua Nonato Chacon (professor fundador do IFRR); a rua CC 8 agora é a Rua da Ciência; a CC 9 é a rua Vigilante Alan dos Santos Oliveira (prestador de serviço que foi assassinado trabalhando no campus); a CC 10 passa a ser Rua da Tecnologia; e a CC 11 é agora Rua dos Estudantes.

Para a estudante do CBVZO, Kezia Barbosa, a aprovação desse projeto, além de facilitar a localização no bairro, também foi uma oportunidade concedida à comunidade de escolher e prestar reconhecimento a quem considera merecedor. “Essa ação nos deu oportunidade de homenagear as pessoas que tiveram grande importância para o bairro ou para o IFRR, que, desde que chegou, passou a atuar fortemente nessa área da cidade”, declarou.

O também estudante do CBVZO, David Santos afirma que agora o bairro Laura Moreira começa a ter identidade. “Quando temos apenas um código no lugar de um nome na rua é como se tivéssemos sendo só rotulados. Então, o processo em que os alunos, os moradores daquele bairro e adjacências podem escolher um nome é um processo em que nós adquirimos uma identidade local”, declarou.

Sheneville Araújo

 

 

Deixe uma resposta